Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Fronteiras no Tempo #54 Mitos da Escravização

por em 17/02/2021 em Destaque, Fronteiras no Tempo, Podcasts | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo #54 Mitos da Escravização

Estamos de volta com o Fronteira no Tempo! E desta vez C. A. e Marcelo Beraba vão debater com vocês a respeito de alguns dos mitos que cercam o processo de escravização dos africanos ocorrido entre os séculos XVI e XIX. Diante de um tema bastante complexo as pesquisas historiográficas têm encontrado cada vez mais formas de entender as relações dentro do sistema escravista, porém, ainda são muitos os enganos e interpretações equivocadas povoando a nossa visão sobre este passado. Venham conosco em mais essa viagem ao pretérito, sempre de olho nas questões do presente em relação a este tema.

Neste episódio:

Entenda os significados da escravidão moderna e as diferenças entre regime e os que existiram em outras sociedades. Reflita sobre o processo de escravização como forma de criação de relações sociais, políticas e culturais no mundo moderno e contemporâneo. Entenda como se desenvolveram as pesquisas históricas, as principais interpretações e autores, e de que forma essas leituras sobre a escravidão moldaram nossa identidade nacional. Analise como a escravidão se relaciona com o desenvolvimento do sistema capitalista. Conheça o processo do tráfico negreiro e, ainda, as diferenças entre a escravidão que existia em África e a que foi sendo criada pela demanda europeia por mão-de-obra. Se surpreenda ao perceber como um sistema que terminou há tanto tempo ainda traz consequências graves para todo o conjunto da sociedade brasileira e, também, de todas as regiões que formavam o que hoje em dia conhecemos como mundo atlântico.

Arte da Capa


Publicidade

Ajude nosso projeto! Você pode nos apoiar de várias formas:

PADRIM  – só clicar e se cadastrar (bem rápido e prático) – http://www.padrim.com.br/fronteirasnotempo

PIC PAY – Baixe o aplicativo do PicPay: iOS / Android

PIX: [chave] [email protected]


Mencionado no Episódio

“2º CURSO DE INTRODUÇÃO À HISTÓRIA PÚBLICA”
https://doity.com.br/historiapublica

Comissão Pró-Índio de São Paulo

https://cpisp.org.br/


Expediente Produção Geral e HostsC. A BerabaRecordar é ViverWillian SpenglerVitrine:  Augusto Carvalho, EdiçãoAdriano João


Como citar esse episódio

Fronteiras no Tempo #54 Mitos da escravização. Locução: Cesar Agenor F. da Silva, Marcelo de Souza e Silva e Willian Spengler [S.l.] Portal Deviante, 17/02/2021. Podcast. Disponível em http://www.deviante.com.br/?p=44900&preview=true


Material complementar

Referências

ALENCASTRO, L. F. DE. O trato dos viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Cia das Letras, 2000

CHALHOUB, S. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil oitocentista. São Paulo: Cia das Letras, 2012.

COSTA E SILVA, Alberto da. Um Rio Chamado Atlântico: a África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro: UFRJ, 2005.

FLORENTINO, M. Em costas negras: uma história do tráfico de escravos entre a África e o Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX). São Paulo: Ed. Unesp, 2014.

RODRIGUES, Jaime  De Costa a Costa: escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780-1860). São Paulo: Cia das Letras, 2005.

SILVA, Ligia Osório. Terra devolutas e latifúndios: efeito da lei de terras de 1850. Campinas: Unicamp, 1996.

THORTON, John. A África e os africanos na formação do mundo atlântico (1400-1800). Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

COSTA, E. V. Da senzala à colônia. 4a ed. São Paulo: Ed. Unesp 1998.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. 2a ed. São Paulo: Global, 2007.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. 43.ed. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2001.

GENOVESE, Eugene D. A terra prometida: o mundo que os escravos criaram. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Perspectivas, 2016.

ROSSI, Amanda. Abolição da escravidão em 1888 foi votada pela elite evitando a reforma agrária, diz historiador. BBC Brasil, São Paulo, 13 de mai., 2018. Diponível em: <<https://bbc.in/2KTy5OR>> (entrevista com Luís Felipe de Alencastro)

SCHWARCZ, L. M. Por que temos poucos memoriais de abolição da escravidão?  Nexo Jornal, 9 de abr., 2018. – https://www.nexojornal.com.br/colunistas/2018/Por-que-temos-poucos-memoriais-de-aboli%C3%A7%C3%A3o-da-escravid%C3%A3o

SCHWARCZ, L. M. STARLING, H. Brasil: uma biografia. São Paulo: Cia das Letras, 2015.

SCHWARCZ, L. M;  Gomes, Flávio. O passado e o presente: os sentidos da escravidão. [Vídeo] https://www.nexojornal.com.br/video/video/O-passado-presente-os-sentidos-da-escravid%C3%A3o

SCHWARTZ, Stuart. Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru, SP: Edusc, 2001.

SKIDMORE, Thomas. Preto no Branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. São Paulo: Cia das Letras, 2012.

FRANÇA, J. M. C. FERREIRA, R. A. Três vezes Zumbi: a construção de um herói brasileiro. São Paulo: Três Estrelas, 2012.

GOMES, F. S. De olho em zumbi dos palmares: histórias, símbolos e memória social. São Paulo: Claro Enigma, 2011.

GOMES, F. S.; DOMINGUES, P. (orgs.). Políticas da Raça: experiências e legados da abolição e da pós-emancipação no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2014.

GOMES, F. S.; DOMINGUES, P. Da nitidez à invisibilidade: legados do pós-emancipação no Brasil. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira: desafios, políticas e práticas. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação – Periódico científico editado pela ANPAE, [S.l.], v. 27, n. 1, abr. 2011. ISSN 2447-4193. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/19971>.

NASCIMENTO, E. L (org.) A matriz africana no mundo. São Paulo: Selo Negro, 2008.

SCHWARCZ, L. Nem preto nem branco, muito pelo contrário. São Paulo: Claro Enigma, 2013.

Podcast

Impérios Africanos (SciCast #310)

Impérios Africanos II (SciCast #334)

Fronteiras no Tempo: Historicidade #37 Elites e trabalho escravizado no sul do Brasil

Fronteiras no Tempo: Historicidade #35 Família Escrava

Fronteiras no Tempo: Historicidade #26 Direitos Humanos e Racismo

Fronteiras no Tempo: Historicidade #21 Relações étnico raciais e educação no Brasil

Fronteiras no Tempo: Historicidade #18 – Negros escravizados na guerra civil Farroupilha

Fronteiras no Tempo: Historicidade #16 Guarda Nacional no Império do Brasil

Fronteiras no Tempo #36: Zumbis, História e Consciência Negra

Fronteiras no Tempo #33: Inquisição

Fronteiras no Tempo #30: Abolição da Escravidão

Fronteiras no Tempo: Historicidade #7 História da África e da cultura afrobrasileira

Fronteiras no Tempo #19 – Tráfico Negreiro

Fronteiras no Tempo #4 – Raça e Racismo no Brasil

 


Redes Sociais TwitterFacebookYoutubeSPOTIFY, Instagram

Contato [email protected]


Trilha sonora do Episódio

01 – Uma Vida – Dom Salvador e Abolição
02 – Lets Have a Ball Tonight – Tim Maia
03 – Ismália – Emicida(feat. Larissa Luz & Fernanda Montenegro)
04 – Zumbi – Jorge Ben Jor
05 – Canto das Três Raças – Clara Nunes
06 – Negro é Lindo – Jorge Ben Jor
07 – Sou Negro I’m Black – Toni Tornado
08 – Mandamentos Black – Gerson King Combo
09 – Heróis da Liberdade – Jair Rodrigues
10 – Wakanda – Baaba Maal
11 – Menina Mulher da Pele Preta – Jorge Ben Jor
12 – Refavela – Gilberto Gil
13 – Inferno Colorido – Bezerra da Silva
14 – Dia da Graça – Candeia
15 – A Coisa Tá Preta – Rincon Sapiência
16 – Pantera Negra – Emicida
17 – Boa Esperança – Emicida
18 – Eu Só Peço a Deus – Inquérito
19 – Preto Cismado – Aláfia
20 – Tambor – Kamau (feat. Rincon Sapiência & Thalma de Freitas)
21 – Principia – Emicida (feat. Fabiana Cozza, Pastor Henrique Vieira & Pastoras do Rosário)
22 – Tribunal de Rua – O Rappa
23 – Paisagem – Emicida
24 – Breu – Xênia França
25 – Black Lives Matter – Dax
26 – AmarElo – Emicida (Sample: Sujeito de Sorte – Belchior) feat. Majur & Pabllo Vittar
27 – Olhe Sempre Pro Lado Bom da Vida – Monty Python
28 – Palco – Gilberto Gil


Madrinhas e Padrinhos

Adilson Lourenço da Silva Filho, Alexandre Strapação Guedes Vianna, Alexsandro de Souza Junior, Aline Lima, Anderson O Garcia, Anderson Paz, André Luis Santos, Andre Trapani Costa Possignolo, Andréa Silva, Andressa Marcelino Cardoso, Artur Henrique de Andrade Cornejo, Bruno Scomparin, Carlos Alberto de Souza Palmezani, Carlos Alberto Jr., Carolina Pereira Lyon, Ceará, Charles Calisto Souza, Cláudia Bovo, Eani Marculino de Moura, Eduardo Saavedra Losada Lopes, Eliezer Ferronato, Elisnei Oliveira, Ettore Riter, Felipe Augusto Roza, Felipe Sousa Santana, Flavio Henrique Dias Saldanha, Iago Mardones, Iara Grisi, Isaura Helena, João Carlos Ariedi Filho, José Carlos dos Santos, Leticia Duarte Hartmann, Lucas Akel, Luciano Beraba, Manuel Macias, Marcos Sorrilha, Mayara Araujo dos Reis, Mayara Sanches, Moises Antiqueira, Paulo Henrique de Nunzio, Rafael, Rafael Alves de Oliveira, Rafael Igino Serafim, Rafael Machado Saldanha, Rafael Zipão, Raphael Almeida, Raphael Bruno Silva Oliveira, Renata Sanches, Rodrigo Olaio Pereira, Rodrigo Raupp,  Rodrigo Vieira Pimentel, Rubens Lima, Sr. Pinto, Wagner de Andrade Alves, Willian Scaquett, Willian Spengler e ao padrinho anônimo

Modo Noturno