Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Fronteiras no Tempo: Historicidade #25 História e Democracia

por em 18/09/2019 | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo: Historicidade #25 História e Democracia

Damos início à terceira temporada do Historicidade, o programa de entrevista do Fronteiras no Tempo: um podcast de história! Para marcar este momento tão especial, recebemos para um bate papo sobre História e Democracia a historiadora Heloísa Starling (UFMG). A convidada é autora de importantes obras da historiografia nacional, dentre as quais se destacam “Ser Republicano no Brasil Colônia” (Cia das Letras, 2018) e é co-autora do best-seller “Brasil: uma biografia” (Cia das Letras, 2015).

Nesta conversa a entrevistada chamou nossa atenção para a importância de conhecermos a História e entendermos os papéis que os historiadores têm em qualquer nação. Ela também trouxe à tona reflexões sobre a relevância de pensarmos a história da democracia no Brasil: inúmeros foram os momentos do nosso passado em que a população lutou por direitos e liberdade. Num momento como o atual em que se discutem os rumos do nosso sistema político, olhar para a História é o que pode nos possibilitar um reencontro com nossas tradições mais democráticas, cujo conhecimento, divulgação e valorização são fundamentais para o reforço dos valores democráticos que sustentam toda nossa sociedade.

Leia mais...

Fronteiras no Tempo: Historicidade #24 Criminalização da Cocaína no Brasil

por em 20/08/2019 | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo: Historicidade #24 Criminalização da Cocaína no Brasil

Encerramos a segunda temporada do Historicidade, o programa de entrevista do Fronteiras no Tempo: um podcast de história, recebendo a professora Mestra Thamires Sarti, doutoranda em História Social pela UNICAMP. Neste episódio vamos conversar sobre a Criminalização da cocaína no Brasil.

Desenvolvida como um medicamento, a cocaína e outras substâncias, como os opiáceos, passaram a ser alvos das políticas de controle estatal no início do século XX. No Brasil, acompanhando a tendência mundial, a proibição começou a se efetivar a partir da década de 1920. Neste papo com a pesquisadora Thamires Sarti pudemos entender o contexto, as causas e as consequências desta proibição. Ela também nos explicou como os historiadores se aproximaram do tema e quais as fontes e interpretações têm construído a partir destas. Por que algumas substâncias foram criminalizadas e outras não? Quais grupos foram alvo das ações de criminalização? Como estes processos podem ser relacionados às demais formas de exclusão social presentes historicamente no Brasil como o racismo, por exemplo? Resta evidente que podemos aprender muito sobre as questões de segurança pública e combate ao tráfico de drogas atuais ao estudar a história da criminalização destas substâncias.

Leia mais...

Fronteiras no Tempo #41 A Era Vargas parte 1: A Revolução de 1930

por em 07/08/2019 | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo #41 A Era Vargas parte 1: A Revolução de 1930

Neste episódio comemorativo dos 5 anos do Fronteiras no Tempo damos início a uma série sobre a Era Vargas, que durou de 1930 a 1945. Nesta primeira parte falaremos sobre os momentos iniciais do período, especificamente da Revolução de 1930. Naquele ano, foi deposto o presidente e tomou posse o candidato que havia sido derrotado, Getúlio Vargas. Diversos fatores precedentes contribuíram para que este movimento fosse vitorioso e desse início a um dos períodos mais expressivos na constituição da nossa identidade, da nossa economia, e até mesmo da nossa cultura política, dentre outras grandes transformações. 

 

Neste episódio: 

Descubra por que os militares estavam descontentes com os rumos da República e como alguns de seus membros demonstraram essa insatisfação; entenda como se organizavam os acordos políticos para as eleições presidenciais e como isso se quebrou a partir do governo de Washington Luiz; reflita conosco acerca das informações sobre a campanha e os resultados das eleições para presidente de março de 1930; surpreenda-se com os casos (e acasos) que culminaram no movimento armado que depôs o presidente e instalou um governo provisório.

Leia mais...

Fronteiras no Tempo: Historicidade #23 Ensino de História Antiga no Brasil

por em 24/07/2019 | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo: Historicidade #23 Ensino de História Antiga no Brasil

No décimo primeiro episódio da segunda temporada do Historicidade, o programa de entrevista do Fronteiras no Tempo: um podcast de história, recebemos  o professor doutor Fábio Frizzo (UFTM) para bater um papo sobre Ensino de História Antiga.

Neste episódio buscamos responder à uma questão fundamental: para que serve ensinar/aprender História Antiga no Brasil? Desde que começaram os debates sobre as primeiras versões da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) a comunidade de historiadores tem sido instigada a refletir sobre o porquê e como estudar história nos ensinos fundamental e médio. No caso dos conteúdos de História Antiga, houve mudanças drásticas e o professor Fábio pôde nos mostrar as implicações que estas podem ter na forma como compreendemos o mundo presente. Segundo o entrevistado, estudar história em geral, e história antiga em especial, tem o potencial de desnaturalizar o presente, mostrando que a humanidade já construiu e constrói muitas formas diferentes de vida em sociedade. Venham conosco refletir também sobre o que podemos (e certamente devemos) aprender com os nossos antepassados que viveram há milhares de anos.

Leia mais...

Fronteiras no Tempo: Historicidade #22 Guerra do Contestado

por em 02/07/2019 | Nenhum comentário

Fronteiras no Tempo: Historicidade #22 Guerra do Contestado

No décimo episódio da segunda temporada do Historicidade, o programa de entrevista do Fronteiras no Tempo: um podcast de história, recebemos  o professor doutor Rogério Rosa Rodrigues (UDESC) para bater um papo sobre a Guerra do Contestado.

Conversamos sobre as pesquisas do professor Rogério e as suas interpretações a respeito da guerra do Contestado, que ocorreu na região entre os Estados do Paraná e Santa Catarina entre 1912 e 1916, envolvendo agentes públicos e o Exército contra grupos de sertanejos moradores da região motivados por anseios de justiça e acesso à terra misturados com messianismo. O povo na nossa história, especialmente quando se revolta, nem sempre foi bem representado, muitas vezes tratados como “obstáculos” ao desenvolvimento. É preciso rever estas histórias buscando desmistificar as atuações dos grupos populares na defesa de seus desejos e visões de mundo. Mais de cem anos após os eventos principais, esta guerra ainda é muito presente para a população da região do conflito e seu estudo é crucial para a compreensão de outros aspectos da cultura, sociedade e política brasileiras nos anos iniciais do período republicano.

Leia mais...
Modo Noturno