Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

A miscelânea deslumbrante e +18 de Love, Death & Robots

por em 15/04/2019 | Nenhum comentário

A miscelânea deslumbrante e +18 de Love, Death & Robots

Love, Death & Robots é uma série ótima! Mesmo! Mas esse texto não vai ser um panfleto encomendado pela Netflix – onde ela está hospedada – e nem uma resenha sobre o quão disruptivo e revolucionário o seriado seja. Porque não é. Nem a primeira, muito menos a segunda opção. risos Resolvi escrever sobre essa série porque eu realmente gostei e, assistindo, me peguei pensando em algumas questões que julguei interessantes compartilhar.

Leia mais...

A história que a história não conta – mas a Mangueira sim

por em 12/04/2019 | Nenhum comentário

A história que a história não conta – mas a Mangueira sim

Histórias Para Ninar Gente Grande

G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira

Mangueira, tira a poeira dos porões

Ô, abre alas pros teus heróis de barracões

Dos Brasis que se faz um país de Lecis, jamelões

São verde e rosa, as multidões

 

Brasil, meu nego

Deixa eu te contar

A história que a história não conta

O avesso do mesmo lugar

Na luta é que a gente se encontra

 

Brasil, meu dengo

A Mangueira chegou

Com versos que o livro apagou

Desde 1500 tem mais invasão do que descobrimento

Tem sangue retinto pisado

Atrás do herói emoldurado

Mulheres, tamoios, mulatos

Eu quero um país que não está no retrato

 

Brasil, o teu nome é Dandara

E a tua cara é de cariri

Não veio do céu

Nem das mãos de Isabel

A liberdade é um dragão no mar de Aracati

 

Salve os caboclos de julho

Quem foi de aço nos anos de chumbo

Brasil, chegou a vez

De ouvir as Marias, Mahins, Marielles, malês

Leia mais...

Parada dos Museus: Museu da Imagem e do Som

por em 08/04/2019 | Nenhum comentário

Parada dos Museus: Museu da Imagem e do Som

Em um piscar de olhos você se encontra ao lado de seu personagem de quadrinho favorito e ele o acompanha ao longo de histórias e evolução de autores, mídias, traços e desenhos. Parece uma continuação de “Uma Cilada para Roger Rabbit”, mas na realidade é a exposição do MIS – Museu da Imagem e do Som em São Paulo.

Leia mais...

MeiaLuaCast #234: H.P. Lovecraft e os Mitos de Cthulhu

por em 04/04/2019 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #234: H.P. Lovecraft e os Mitos de Cthulhu

Nascido ao final do século XIX, Lovecraft se destaca na literatura do terror por focar no medo do desconhecido e apresentar criaturas de outras dimensões, que a mente humana sequer consegue compreender.

Foi após sua morte que suas obras passaram a ser notadas e sua influência foi crescendo em todas as outras mídias de produção cultural.

Adentramos as montanhas da loucura para conversar sobre como os mitos de Cthulhu cresceram e foram se emaranhando no conhecimento popular.

Leia mais...

Reino de Dreen – Homem do Leste – Parte Final

por em 03/04/2019 | Nenhum comentário

Reino de Dreen – Homem do Leste – Parte Final

Hector e Luigi eram os últimos. Estavam de costas um para o outro com suas armas nas mãos ameaçando as criaturas que não pareciam estar incomodadas. Jerum assistia a tudo aquilo sem acreditar. Agora as criaturas investiam contra eles e agarravam Hector. Eles tentaram golpear, mas nada funcionava contra aquelas coisas. O rapaz gritou em desespero até sumir sendo arrastado para dentro da floresta por seis criaturas. As poucas que restaram não tocaram em Luigi, eles se curvaram para a escuridão. Assim surgiu uma figura, não em forma de esqueleto, mas de uma mulher. Parecia ter uns trinta anos. O bárbaro demorou para entender que aquilo um dia fora uma mulher, pois a forma dela demorou muito para ficar consistente. Ela olhou para o homem do leste quando passou, mas rapidamente voltou sua atenção para o último ladrão. Quando chegou a sua frente, o homem tremia, talvez por causa da aura obscura que ela emitia.

Leia mais...

Crítica: Dumbo (2019)

por em 28/03/2019 | Nenhum comentário

Crítica: Dumbo (2019)

Em meio a segunda guerra mundial em 1941, os estúdios Disney lançaram o filme que os salvou da falência depois do prejuízo que Fantasia dera um ano antes. Talvez seja esse o principal motivo de Dumbo ser supostamente o filme favorito do patriarca da empresa, Walt Disney. Por se situar em um período conturbado, Dumbo foi uma produção de baixo orçamento. Para ter uma base, outras obras custaram o dobro (Branca de Neve e os sete anões) e até mesmo o triplo (Pinóquio) na mesma época o que refletiu por exemplo na duração do longa, até hoje o filme mais curto do estúdio com 64 minutos.

Leia mais...
Modo Noturno