Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Games no Lab: Ratos, furtividade, antibióticos e vacinas

por em 26/05/2020 | Nenhum comentário

Games no Lab: Ratos, furtividade, antibióticos e vacinas

Em meio a pandemia do coronavírus que estamos vivendo (e nesse momento acabo de “datar” o texto), muitos estão lembrando das aulas de história (ou vendo no Youtube mesmo) onde os professores nos ensinaram sobre outra pandemia que afligiu a humanidade durante a baixa Idade Média, a peste negra ou peste bubônica. E com esse tema em voga novamente, acabei jogando um game lançado no começo de 2019 e que dialoga muito com o que estamos vivendo, A Plague Tale: Innocence.

Leia mais...

Games no Lab: Alienígenas metamorfos, novas habilidades, ativando neurônios com luz e “I Know Kung Fu”

por em 16/04/2020 | Nenhum comentário

Games no Lab: Alienígenas metamorfos, novas habilidades, ativando neurônios com luz e “I Know Kung Fu”

Muitos conhecem a longa história de desenvolvimento de Duke Nukem Forever, sequência de Duke Nukem 3D, que demorou 14 anos para ser finalmente lançada. Porém em paralelo a isso, a 3D Realms desenvolvia Prey, um FPS onde você controlaria Domasi “Tommy” Tawodi, um descendente dos índios Cherokee que acaba envolvido em uma invasão alienígena. Prey saiu em 2006 e teve uma boa recepção, o que garantiu o anuncio de uma sequência. No entanto a sequência só ficou nisso mesmo, no anuncio, já que, depois de passar pelas mãos de diversas desenvolvedoras, ela foi cancelada em 2014. Mas em 2016 a Bethesda, agora com os direitos da franquia, anunciou um reboot que estava sendo feito pela Arkane Studios, um estúdio interno da Bethesda.

Leia mais...

Games no Lab: Monstros gigantes, hormônio do crescimento, Dwayne Johnson e cidades destruídas

por em 13/02/2020 | Nenhum comentário

Games no Lab: Monstros gigantes, hormônio do crescimento, Dwayne Johnson e cidades destruídas

Aproveitando que no ultimo texto falamos de um game para fliperama, que você pode conferir aqui, vamos usar as fichas que ainda ficaram em nossos bolsos e falar sobre mais um game que nasceu nos fliperamas. Monstros gigantes destruindo cidades sempre foram garantia de diversão para o público do cinema e TV, visto que até hoje temos novas versões e refilmagens dos dois maiores deles, King Kong e Godzilla. Porém, até perto do final dos anos 1980 não tínhamos visto algo desse tipo no mundo dos games. Foi então que a desenvolvedora Bally Midway lançou para os fliperamas, Rampage.

Leia mais...

Games no Lab: Arcades, fichas, átomos e forças intermoleculares

por em 06/12/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Arcades, fichas, átomos e forças intermoleculares

No início dos anos 70 vimos o surgimento dos primeiros arcades (fliperamas como são mais conhecidos aqui), máquinas eletrônicas com games que utilizavam o que havia de mais moderno para criar gráficos até então inimagináveis, muito à frente do que os consoles domésticos podiam realizar. Como essas máquinas eram caras demais para o consumidor comum, surgiram as casas de jogos eletrônicos, lugares com várias máquinas que podiam ser jogadas através de fichas ou moedas. O que chegou até mesmo a ocasionar a falta de moedas em certo mercado estrangeiros, devido à febre pela jogatina.

Leia mais...

Games no Lab: Downgrades, varíola, loots e ataques terroristas

por em 15/10/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Downgrades, varíola, loots e ataques terroristas

Em 2012 durante a E3, a Ubisoft revelou o game Watch Dogs com um gameplay espetacular, gráficos lindos e uma ambientação primorosa, porém quando o game saiu em 2014, vimos que as coisas não eram bem assim, o game tinha passado por um grande downgrade, ficando bem atrás do que foi apresentado em 2012. Então, foi com grande receio e desconfiança que o público viu a revelação de mais uma IP inédita da empresa em 2014, novamente na E3. The Division foi apresentado com um gameplay e gráficos espetaculares, porém quando lançado em 2016, o mesmo também passou por um downgrade, mas nem tanto como o visto em Watch Dogs. Passado todo o “alvoraço” em volta disso na época, o game se mostrou ser muito bom, com um forte apelo multiplayer e calçado em elementos de RPG, mesmo sendo um third person shooter. As vendas foram boas, o que garantiu uma sequência lançada no começo de 2019.

Leia mais...
Modo Noturno