Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Games no Lab: Cinto de utilidades, explosivos, rapel, raios-X e… Eu sou o Batman.

por em 04/07/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Cinto de utilidades, explosivos, rapel, raios-X e… Eu sou o Batman.

Por um bom tempo, jogos baseados em super heróis não foram o que indústria de games tinha de melhor. Não que não existiam games bons, os dois Spiderman do PS1 comprovam isso, mas, se por um lado tínhamos esses games, por outro tínhamos coisas como o infame Superman para N64 e o Aquaman para Game Cube. Porém o cenário mudou em 2009 quando a Rocksteady, uma empresa nova que tinha apenas um game em seu currrículo (Urban Chaos: Riot Response, um FPS que eu recomendo jogarem), nos presenteou com Batman: Arkham Asylum. Arkham Asylum. O game inovou com seu sistema de combate fluido e tático que nos passava a sensação de estar na pele do Morcegão, além de uma ótima história levemente baseada em um quadrinho de mesmo nome.

Leia mais...

Games no Lab: Protagonista overpower, vírus, mutações e atchiin

por em 24/05/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Protagonista overpower, vírus, mutações e atchiin

No cinema temos os chamados filmes gêmeos, filmes com a mesma temática e que são lançados no mesmo ano. No mundo dos games isso também ocorre, mais raramente, mas ocorre. Foi o que aconteceu no ano de 2009, que nos apresentou Infamous e Prototype. Os dois são games de mundo aberto em que controlamos um personagem com superpoderes e que vai ganhando mais skills durante a jogatina. Porém hoje nossa atenção estará voltada a Prototype. Infamous ainda pode esperar sua vez.

Leia mais...

Games no Lab: Cidades flutuantes, foguetes, balões e levitação quântica

por em 29/04/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Cidades flutuantes, foguetes, balões e levitação quântica

Já falamos aqui sobre a desenvolvedora Irrational Games e seu enorme sucesso, Bioshock. Porém ainda nos resta outro grande sucesso criado por ela, Bioshock Infinite. Lançando em 2013, o game segue os moldes do seu antecessor sendo um FPS com elementos de RPG, novamente trazendo os tônicos que garantem “poderes” ao protagonista e a exploração de uma cidade perdida. E, se antes explorávamos a cidade submersa Rapture, agora o cenário é completamente o oposto com Columbia, uma cidade que flutua pelos céus.

Leia mais...

Games no Lab: Criaturas bizarras, a vida na Terra e Do the Evolution

por em 29/03/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Criaturas bizarras, a vida na Terra e Do the Evolution

O PC por muito tempo foi a casa de certos gêneros de games, como os RTS (estratégia em tempo real), os Point-and-Click e os simuladores de gerenciamento como Roller Coaster Tycoon e SimCity, esse último um dos grandes sucessos de Will Wright e sua empresa Maxis que foi lançado em 1989. Porém Will Wright não parou só em seu “simulador de cidades”, logo foi lançado seu “simulador de vida” The Sims, game que foi não foi só mais um sucesso, como deixou sua marca na indústria. Contudo foi só em 2008 que ele (Will) nos entregou aquilo que foi o ápice da sua ambição, Spore. No game acompanhamos toda a evolução de uma única célula até seres inteligentes que podem fazer viagens espaciais. Então, se você quer saber mais sobre as teorias da evolução e como o game explora isso, não fique parado e evolua com mais conhecimento, porque hoje o tema é: Spore o “simulador de evolução da vida”.

Leia mais...

Games no Lab: Bombas nucleares, filas em metrôs, mutantes e sotaque russo

por em 25/02/2019 | Nenhum comentário

Games no Lab: Bombas nucleares, filas em metrôs, mutantes e sotaque russo

Em 2013, em meio a um monte de shooters genéricos, um FPS se destacou por possuir pitadas de sobrevivência e uma atmosfera de solidão devido aos cenários devastados por bombas atômicas. Esse game é Metro 2033, que foi baseado em uma obra de mesmo nome, escrita pelo russo Dmitry Glukhovsky (não me pergunte como se pronuncia esse sobrenome) e lançada em 2002. A história acompanha o protagonista Artyom e outros sobreviventes que vivem refugiados dentro dos metrôs de Moscou, depois que uma guerra nuclear devastou a capital e tornou a superfície inabitável. Mas se houvesse uma guerra nuclear, os tuneis do metrô de uma cidade, seriam capazes de resistir às bombas? Poderiam servir de abrigos aos sobreviventes? Vamos responder a essas e outras questões a seguir. Então, lembre-se de trocar os filtros de sua máscara de gás e fique atento quanto a aparição de mutantes, pois hoje entraremos nos tuneis de Metro 2033.

Leia mais...
Modo Noturno