Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Postagens mais recentes

Fronteiras no Tempo #45 Primeira Guerra Mundial

por em 24/01/2020 | Nenhum comentário

A Grande Guerra. A guerra para acabar com todas as guerras. A Primeira Guerra Mundial. Assim ficou conhecido o conflito entre as potências europeias, ocorrido entre 1914 e 1918, que trouxe consequências diretas para todo o globo. Uma guerra com milhões de mortes que inaugurou a era das grandes barbaridades até então não vivenciadas em outras guerras anteriores: armas mais letais, gases venenosos, lança-chamas, tanques, aviões, tudo isso foi utilizado nos campos de batalha e também vitimaram milhares de civis. Neste episódio, que conta com o apoio da Universal Pictures Brasil, falamos também sobre o lançamento do filme 1917, no qual parte dessa história que iremos discutir é narrada sob o ponto de vista de dois soldados. Venham conosco refletir sobre este momento importantíssimo da nossa história!

 

Neste episódio: 

Descubra os motivos que levaram à guerra e entenda como ela foi gestada por mais de 50 anos antes da sua eclosão. Compreenda as configurações políticas e econômicas que marcaram as relações entre as potências europeias no período anterior ao conflito e surpreenda-se com as histórias das batalhas que se desenrolaram após agosto de 1914. Conheça as relações do contexto histórico e o que é apresentado no filme 1917, entenda como as inovações técnicas apresentadas na película nos ajudam a vivenciar as experiências dos soldados que lutaram no conflito. Conheça os motivos da entrada dos Estados Unidos, da saída da Rússia e da derrota alemã. Por fim, reflita conosco sobre os horrores da guerra e a importância de conhecê-la para promover a cultura da paz. 

#advertisement #1917filme

*Este é um conteúdo patrocinado pela Universal Pictures Brasil

Leia mais...

Um tributo ao isentismo, ou porque o cético é isentão em tempos de pós-verdade

por em 24/01/2020 | Nenhum comentário

Esse texto é escrito em homenagem àquelas pessoas que recebem críticas quando conversam tanto com os amigos de esquerda quanto com os de direita; àquelas pessoas que, quando não sabem o suficiente de um assunto, preferem não se posicionar; àquelas pessoas que não acreditam fielmente nem no que os pensadores que admiram dizem. Esse texto é uma homenagem a todos os que são, com frequência, chamados de isentões. Mas, apenas a homenagem é pra vocês, porque o texto é exatamente para todos os outros.

Leia mais...
Modo Noturno