Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Horas decisivas – Análise [Sem spoilers]

por em 15/02/2016 em Entretenimento | 2 comentários

Horas decisivas – Análise [Sem spoilers]

O filme “horas decisivas” conta a história, baseada em fatos reais, do maior salvamento da guarda costeira americana. A história se passa em 1952 quando uma grande tempestade racha o casco do navio SS Pendleton que possuía 84 tripulantes a bordo. Apesar de diversas embarcações serem enviadas para o resgate, é um grupo de 4 pessoas em um barco pequeno, com capacidade para 12 pessoas, que consegue resgatar os 32 tripulantes do SS Pendleton. Para isso, eles precisam enfrentar uma tempestade de neve, ondas de 20 metros, bancos de areia, e instrumentos de orientação inoperantes.

Barco de resgate

O filme alterna entre dois núcleos da história, o primeiro gira em torno de Bernie Webber (Chris Pine), que é o oficial responsável por liderar o barco que irá fazer o resgate. Enquanto o segundo núcleo gira em torno de Robert Sybert (Casey Affleck), engenheiro de máquinas a bordo do SS Pendleton.

Bernie Webber indo para o resgate

Bernie Webber indo para o resgate

Robert Sybert desesperado com a situação

Robert Sybert desesperado com a situação

No início percebemos que Robert Sylbert não possui muitas skills sociais e que possui grande dificuldade em se expressar verbalmente para os membros da tripulação como um todo. Enquanto Webber se mostra uma pessoa bastante insegura devido a algum resgate fracassado que ocorreu no passado e que é citado de relance durante a história. Apesar de ambos serem heróis improváveis no começo do filme, há uma grande transformação de ambos no decorrer do tempo.

Os efeitos especiais são muito bons, passando a tensão e a grande dimensão do acidente durante todo o filme, o que acaba enaltecendo os feitos de toda a tripulação do navio. Além disso vale destacar os efeitos que estão relacionados com a navegação dos navios dentro da tempestade, principalmente no que diz respeito a embarcação de resgate, pois como a mesma é extremamente pequena (capacidade para 12 pessoas) podemos ver como as ondas de cerca de 20 metros engoliam a embarcação, fazendo com que o barco ficasse alguns instantes submerso logo após o choque com cada onda. Vale de aviso para quem for ver o filme em 3D que os efeitos se concentram nos fatores climáticos como a neve e  a chuva para te trazer para dentro do filme de uma maneira bem suave, portanto se você está esperando que os efeitos saltem da tela direto para a sua cara, com explosões e destroços voando, recomendo que escolham a opção em 2D para não se decepcionar.

finest-hours-movie-trailer-poster

Barco na tempestade

A trilha sonora desempenha seu papel quando temos o personagem Bernie em contato com seu par romântico, Miriam (Holliday Grainger), onde podemos ouvir uma calma melodia no piano, passando a ideia de uma relação com bastante ternura. Entretanto, em todo o resto do filme a trilha se mostra mais discreta. Gostaria de citar em específico a canção “Haul Away Joe”, cantada pela tripulação do navio de resgate para afastar o medo e as inseguranças antes de enfrentar a dura tempestade, me passando o mesmo sentimento de empolgação e ansiedade de quando ouvia a tripulação do navio gralha em Assassin’s Creed 4 cantando em uníssono.

A interpretação feita por todo o elenco do filme não é um ponto forte na trama, chegando a faltar um pouco mais de ênfase dramática em certos momentos da história que fariam com que muita gente normal se desesperasse. Acredito que a ideia do diretor foi mostrar que a calma e a  maturidade emocional por parte dos lideres de cada embarcação foram cruciais para o sucesso do resgate. Porém, acho que o resultado obtido se aproxima mais de um sentimento de  “indiferença” do que de um sentimento de “segurança”, além do fato de não ter havido tempo hábil para que os personagens passassem da água para o vinho como é mostrado durante o filme. Outro ponto negativo do filme foi a fraca interação entre o par romântico Mirian e Webber, fazendo com que a relação se parecesse um tanto quanto forçada, principalmente por parte de Webber, fazendo com que eu não me importasse muito com o destino do casal

Em resumo, o filme é extremamente empolgante com várias cenas grandiosas que passam muita tensão. Apesar de existirem pontos negativos, como em qualquer obra, fiquei imerso na história durante todo o tempo. Os efeitos visuais em conjunto com a engenhosidade de Robert para resolver os problemas apresentados ficam como os pontos altos do filme. Recomendo, que todos que tenham a oportunidade, a assistir a esse filme em 3D para aumentar ainda mais a imersão durante a obra.

Como fazer um timão improvisado

Como fazer um timão improvisado

Nota: 3,8 de 5,0

Trailer do filme:

Modo Noturno