Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

O Guia das Drogas nos Games (parte 2)

por em 25/04/2018 em Ciência, Games | Nenhum comentário

O Guia das Drogas nos Games (parte 2)

OS ANÁLOGOS DAS DROGAS DEPRESSORAS NOS GAMES

Em julho do ano passado iniciei uma série sobre as drogas nos games. Se você não leu a primeira parte, recomendo que leia clicando AQUI antes de continuar. Hoje, após um longo hiato, trago finalmente a continuação. Vamos falar das drogas depressoras.

Veja bem, uma droga ou medicamento depressor não é aquele que provoca sintomas de transtorno depressivo. Uma droga depressora inibe ou reforça a inibição do sistema nervoso central, em geral por hiperpolarização (inibição) dos neurônios. Ou seja, são substâncias químicas que reduzem a atividade dos neurônios.

Sendo assim, essas substâncias, de modo geral, provocam sedação, perda de reflexos, redução da ansiedade, redução na percepção da dor, entre outros efeitos.

Na série Fallout é comum o uso de substâncias químicas para alterar temporariamente os atributos do jogador. Vamos usar como exemplo Fallout 4, pois é um jogo que a maioria dos gamers entrou em contato mais recentemente. Em Fallout 4 temos uma droga chamada Med-X que aumenta a resistência do jogador ao dano provocado por inimigos. Essa substância fictícia parece ter relação com os opióides como morfina, codeína, hidrocodona (o Vicodin, do Dr. House) ou mesmo a heroína. São substâncias que atuam no sistema nervoso central, reduzindo a transmissão do estímulo doloroso em nível da medula espinhal e reduzindo a capacidade de interpretação da dor pelo encéfalo.

Ainda falando de Fallout 4, algo que chama muita atenção é que, se você utilizar demais determinado tipo de droga, você pode ficar dependente. Isso se manifesta no jogo com a redução de atributos na ausência da droga: uma definição virtual de abstinência. Para auxiliar a lidar com este problema, é possível utilizar no game a droga fictícia Addictol, que visa diminuir os sintomas da abstinência. Medicamentos com essa finalidade são constantes alvos de pesquisa. Temos a Bupropiona utilizada para redução da abstinência ao cigarro, Acamprosato utilizado na abstinência do Álcool; Naltrexona para auxiliar a reduzir o risco de recaídas com opióides e álcool e assim por diante.

Modelo 3D do Med-X de Fallout – A via injetável possibilidade um efeito mais rápido, porém mais curto e com maior probabilidade de provocar dependência.

O mesmo raciocínio que fizemos para o Med-X de Fallout 4 vale para os Painkillers de Max Payne. Embora haja um aumento no HP (Hit Points) do personagem, isso deve ser interpretado não como a recuperação da saúde, mas com maior resistência aos estímulos dolorosos.  Falando nisso, aqui vai uma “viagem” um pouco maior: todos conhecem a icônica florzinha de fogo da serie Mario Bros. não é mesmo? Visualmente ela guarda muitas semelhanças com a flor da papoula, planta da qual se extrai o ópio e de onde se originaram os opiáceos, como a morfina. Bem, na China antiga acreditava-se que o ópio poderia trazer maior vigor e masculinidade a um indivíduo. Provavelmente essa crença era oriunda da propriedade analgésica da droga, que permitia que os guerreiros suportassem mais dor e continuassem lutando mesmo feridos. É possível que o Mario se torne mais “poderoso” quando usa a flor do ópio, ou melhor, a flor de fogo, devido a essa linha de pensamento.

 

Flor da papoula

Flor de Fogo do Mario

Indo um pouco mais longe, na série Zelda, temos um item chamado Tears of Light. Em Spirit Tracks as Tears of Light devem ser coletadas para que link possa atordoar os Phantoms, levando à possibilidade de forçá-los a cooperar. Medicamentos benzodiazepínicos (como Diazepam, Midazolam, Clonazepan – Rivotril) são drogas sedativas/hipnóticas. Isso signficia que em baixas doses reduzem ansiedade e em altas doses induzem sono (do grego Hipnos). São medicamentos bastante utilizados em situações pré-cirúrgicas, ou antes de procedimentos desconfortáveis, como endoscopia. De fato, estas medicações são utilizadas com diversos propósitos e, um deles é tornar o paciente mais cooperativo. A maior parte das vezes você não irá se lembrar que cooperou, pois um dos seus efeitos é a amnésia anterógrada, ou seja, a perda de capacidade de formar novas memórias enquanto se está sob efeito do fármaco.

Para finalizar, não podemos deixar de citar o álcool. Embora seja uma substância real, o álcool está muito presente no mundo virtual, em especial em jogos mais realistas ou adultos. Temos a possibilidade de utilizá-lo na série GTA, em Red Dead Redemption, em Far Cry 5 (aguardente). O mecanismo de ação do álcool ainda é alvo de constantes descobertas, mas Sabe-se que em parte atua em vias semelhantes aos dos benzodiazepínicos, mas em parte também possui um mecanismo opióide (aumento da liberação de endorfinas e encefalinas), além de outras interações. Dessa forma, embora possa provocar desinibição e excitação inicial, é uma droga com características depressoras. Portanto, de maneira geral, podemos dizer que a superdosagem (overdose) de drogas depressoras – como estas citadas no texto – podem conduzir coma e à depressão cardiovascular, enquanto no uso crônico (contínuo), a retirada da droga costuma provocar insônia, ansiedade e, para alguns indivíduos, até mesmo convulsões.

Na parte 3 deste guia vamos explorar as drogas estimulantes e os seus correspondentes do mundo virtual. Até lá!

Modo Noturno