Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Qual é o grande segredo do planeta Terra para a formação e desenvolvimento da vida? (parte 2)

por em 18/10/2017 em Ciência | 3 comentários

Qual é o grande segredo do planeta Terra para a formação e desenvolvimento da vida? (parte 2)

Oi galerinha!!!!! Voltei!!!!

Estão preparados para a nossa viagem?

Hoje iremos falar sobre assuntos que envolveram as áreas de química e biologia.

Durante as precipitações o CO2 foi diminuindo na atmosfera e o N2 e NH3 que eram dominantes. Nesta atmosfera, sem ozônio e sem oxigênio, o ultravioleta não era filtrado e chegava até a superfície terrestre, torrando qualquer forma de vida que tentasse se desenvolver por ali. Por isso não era possível a vida se desenvolver na superfície terrestre. Então ela só poderia aparecer nas águas mais profundas, local onde o estes raios nocivos não conseguiam chegar.

A foto abaixo está mostrando o nascer do sol em Marte, podemos pega-la como exemplo para a nossa Terra primitiva.

fonte: space4case.com

Se na superfície da Terra não havia possibilidade de ter vida…então como se formou a vida……?

Cena do filme Prometheu – Fonte: adorocinema

Calma, muita calma. Não foi como o filme Prometheus mostrou.

Segundo a NASA, para uma forma de vida ser considerada um ser vivo ela precisa ter “Um sistema químico autossustentado com capacidade de realizar a evolução darwiniana” (NASA, 2005).

Se resumimos as formas de vidas existentes no sistema mais singular, o mais simples possível, encontraremos que estes seres são compostos de água, ácido nucleico, aminoácidos, lipídios, e carboidratos. Os elementos químicos presentes em todos esses grupos são os chamados CHONPS (Carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, fósforo, enxofre).

Então, lá nas profundezas das águas as primeiras criaturas vivas poderiam encontrar um ambiente tranquilo e propício para se desenvolver. As primeiras formas de vida eram os estromatólitos, formados por cianobactérias fossilizadas. Estes organismos fabricavam seu alimento a partir da água e do CO2 dissolvido nela. O resultado deste alimento é fotossíntese que tem como produto o oxigênio: 12 H2O + 6CO2 + energia (luz) —- C6H12O6 + 6 O2.

Estromatólitos – fonte: geoalmasunibh

A grande quantidade de estromatólitos possibilitou o excesso de oxigênio na atmosfera e com o tempo a formação da camada de ozônio e a presença de oxigênio livre. Agora, com o oxigênio em quantidade significante houve a possibilidade de uma grande variação de espécies vivas nos mares.

Com o ozônio formando uma camada na estratosfera possibilitou a filtragem da radiação na terra e desta forma alguma proteção para as futuras formas de vida. Com a mudança de uma atmosfera, antes redutora agora oxidante, houve uma seleção natural possibilitando a continuação da vida para aqueles organismos que se beneficiam do oxigênio. Em química dizemos que uma substância é redutora quando recebe elétrons e oxidante quando ela perde elétrons. Sendo assim, uma atmosfera redutora era uma atmosfera que recebia elétrons e uma atmosfera oxidante é uma atmosfera que perde elétrons. Assim a vida conseguiu atingir a terra e se desenvolver.

A camada de ozônio se encontra entre as camadas da estratosfera e a mesosfera, que juntamente com outras camadas formam a nossa atmosfera atual. Acima da estratosfera encontra-se a mesosfera, uma camada que se possui substância em forma atômica, entre elas está o oxigênio.

Os oxigênios (O2) presentes na atmosfera estão ligados com uma ligação covalente (ligação entre dois ametais). Esta ligação se conceitua pelo compartilhamento de elétrons. Assim os dois átomos conseguem ficar com oito elétrons na última camada de valência, obedecendo à regra do octeto.

A regra do octeto diz que para um elemento ficar estável ele precisa ter na sua última camada de valência oito elétrons (existem exceções para esta regra, mas aqui não se aplica)

Galerinha está na hora da aterrissagem. Hoje falamos sobre a formação da vida e como ela contribuiu para a formação da nossa atmosfera. No próximo capítulo iremos tratar sobre a dinâmica dos raios solares na atmosfera e como eles se contribuíram para nos proteger, e também como ele podem nos fazer mal. Fiquem ligados no nosso portal e acompanhem os nossos textos.

Então tchau…….

 

REFERÊNCIAS

Você sabe como é o nascer do Sol em Marte? Essas (15) imagens te mostram o espetáculo

Os Estromatólitos e as Origens da Vida

Química Simples #29 – [Ligações] Intro – Regra do Octeto

…………………………………………………………………………………………………………………………………………

Glaucia de Souza

Licenciada em Física e apaixonada por ciências.

Modo Noturno