Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #28: Ceticismo e Pseudociências

por em 9 09America/Sao_Paulo maio 09America/Sao_Paulo 2014 em Scicast | 5 comentários

Scicast #28: Ceticismo e Pseudociências

Sim meus amigos e minhas amigas, ACREDITEM ou não, o tema desta semana será Pseudociências e Ceticismo. Vamos abordar todos os fatos (ou falácias) que cercam este terreno pantanoso habitado por mentirosos e charlatães.

Mas como não ser ludibriado por uma sedutora Pseudociência? Você acredita em tudo o que vê? Qual foi a coisa mais absurda que tentaram te convencer que era Ciência?

E como host desta bagun… DISCUSSÃO, contamos mais uma vez com nosso confiável Silmar e sua crível equipe de cientistas: André, Estrela e Ronaldo, assessorados pelos factíveis Gilmar Lopes e Carlos Cardoso (mais flexível que nunca). Não perca tempo, ligue djá o seu smartphone e comece a baixar, em doses homeopáticas, esse sensacional episódio.

Comentado neste episódio:

Vídeo

  • Série BullShit, de Penn & Teller: os dois mágicos profissionais criticam de maneira mordaz, satírica e muito pouco educada, temas que vão desde o Ground Zero até criptozoologia, passando pela Bíblia, UFOs, prostituição, médiuns etc.
  • Operação Bola de Cristal: um ator é treinado por mágicos e ilusionistas profissionais que o ensinam as mumunhas de como enganar as pessoas, fazendo com que elas falem de si mesmas e achem que o “Paranormal” sabe de suas vidas. Mesmo dizendo depois que era uma farsa, as pessoas não aceitaram.
  • James Randi desmascara ao vivo paranormal charlatão (legendado)
  • James Randi desmascara pastor ladrão (legendado)
  • James Randi testando os cristais (legendado)
  • James Randi testa o leitor de pensamento (legendado)
  • James Randi explica a Homeopatia – Parte 1 (legendado)
  • James Randi explica a Homeopatia – Parte 2 (legendado)
  • O Fenômeno Thomaz Green Morton: reportagem do Fantástico sobre Morton, com direito a depoimentos de famosos(parte 1parte 2 e parte 3)
  • Randi Chamando Thomaz Green Morton pro tatame: infelizmente, Thomaz Green Morton não pôde aceitar o desafio. Que pena…
  • A Raiz de Todos os Males: Richard Dawkins examina o impacto da religião na vida das pessoas. Como suas influencias políticas e sociais tem feito mais mal do que bem, desde o fanatismo islâmico até o Bibble Belt, nos EUA, onde livres pensadores tem que  se reunir às escondidas com medo de represálias.
  • Inimigos da Razão: documentário onde Richard Dawkins estuda alegações de curas, investiga o que está por trás dos milagres, médiuns, médicos homeopatas etc. Com uma visão cética, ele coloca à prova todas as alegações. Os proponentes passam?
  • Série Arquivo X: os agentes do FBI, Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) são investigadores de arquivos-x: casos não solucionados envolvendo fenômenos paranormais. Mulder acredita na existência de extraterrestres e em paranormalidade, enquanto Scully, uma médica cética, é designada para fazer análises científicas das descobertas de Mulder.
  • Nerdologia: Toque da Morte: episódio do programa Nerdologia, apresentado por Átila Iamarino, onde ele vai explicar se o “five-point-heart-exploding-techinique” realmente pode funcionar.
  • Plantão Médico Homeopático: citado diversas vezes no #SciCast, mas sempre nos divertimos ao assistir.
  • Dia do Julgamento: Design Inteligente (Criacionismo) Na Corte: documentário da PBS (a rede educativa norte-americana) sobre o Julgamento de Dover, quando se questionou a intervenção de criacionistas em tentar banir o ensino da Evolução nos colégios daquela cidade, em que a junta de professores findou levando o caso para a Justiça, indo parar na Corte Federal, acusando a assembleia escolar de violar a separação constitucional entre a Igreja e o Estado.
  • Palestra sobre Saúde Quântica: assistam ao filme, leiam a análise publicada no Ceticismo.net, e tentem não sofrer uma síncope.

Literatura

  • O Mundo Assombrado pelos Demônios: (Carl Sagan): nesta obra, Carl Sagan, preocupado com as explicações pseudocientíficas e místicas que ocupam os espaços dos meios de comunicação, reafirma o poder positivo e benéfico da ciência e da tecnologia para tentar iluminar os dias e recuperar os valores da racionalidade. O autor aborda à falsa ciência, às concepções excêntricas e os irracionalismos que são acompanhados por lembranças de sua infância.
  • O Relojoeiro Cego – A teoria da evolução contra o desígnio divino (Richard Dawkins, 1986): empenhado em conquistar novos adeptos para o evolucionismo e para o pensamento científico, Richard Dawkins faz aqui uma defesa vigorosa da visão darwinista e põe a nu as falácias polêmicas do criacionismo. Dawkins descobre exemplos criativos para explicar que, ao contrário do que tantas vezes se imagina, a seleção natural não ocorre por meio de combinações aleatórias: a sobrevivência é um jogo árduo, de regras estritas e definidas.
  • Por Que as Pessoas Acreditam em Coisas Estranhas – Pseudociência, Superstição e Outras Confusões dos Nossos Tempos (Michael Shermer, 2011): acreditando que a racionalidade é a melhor arma para promover a verdade, Michael Shermer, fundador da revista Skeptic e da Skeptics Society, uma das mais importantes organizações de céticos do mundo, escreveu este livro para desmistificar diversas superstições que afetam cotidianamente as decisões e o comportamento de várias pessoas.
  • The Truth About Uri Geller (James Randi, 1982): Randi acusou Geller de ser um charlatão que usava truques comuns de mágica e ilusionismo para conseguir os alegados feitos sobrenaturais, e apresentou as suas críticas no livro. Para sustentar sua tese, Randi repetiu várias vezes os experimentos de Geller, obtendo os mesmos resultados surpreendentes, mas sempre afirmando ter usado apenas truques e ilusionismo.
  • O Livro dos Milagres – a Ciência Por Trás Das Curas Pela Fé, Das Relíquias Sagradas e Dos Exorcismos (Carlos Orsi, 2011): o objetivo deste livro é facilitar o acesso do público às conclusões científicas acerca de eventos tidos como milagrosos, com explicações, contextualização, fontes e, sempre que possível, um pouco do ambiente histórico que cercou cada caso, para ajudar na compreensão.
  • Pura Picaretagem (Carlos Orsi, Daniel Bezerra, 2013): com as surpreendentes descobertas da Física Quântica, muitos”picaretas” passaram a afirmar que ela justificaria diversos pressupostos esotéricos ou religiosos. Inúmeros livros começaram a circular com títulos como cura quântica, ativismo quântico, metafísica quântica ou coisas do tipo. Em Pura picaretagem (Leya Brasil), o físico Daniel Bezerra e o jornalista Carlos Orsi procuram mostrar as razões pelas quais a espiritualidade quântica não passa de pseudociência. NOTA: Carlos Orsi deu uma entrevista no Fronteiras da Ciência, em Set/2013, Episódio 29 da 4ª Temporada.

Games

  •  Peter Paranormal: jogo simples e divertido, no qual você é o Peter e coisas paranormais estão acontecendo em sua casa. Atire em todas as assombrações para fazê-las desaparecer.

Saiba Mais

 

Você pode assinar o SciCast através do iTunes ou usar o Feed RSS no seu agregador preferido.

  • O pior é quando você apresenta argumentos lógicos que explicam porque a homeopatia não funciona, e tudo que seu interlocutor tem a oferecer como resposta é “Ah, mas é porque você não acredita! Seu cético!”
    Aconteceu comigo hoje de manhã.

  • Essa operação bola de cristal foi uma das melhores matérias já feita pelo Fantástico.

    Saudades de quando o Fantástico fazia materias de qualidade como essa e a do desmascaramento do homem do Rá.

  • Marcus Alves

    Fui ouvir esse podcast (o segundo de vocês que ouço) e me decepcionei com uma parte. Tanto que precisei comentar (apesar de ser uma postagem antiga).

    A psicologia é uma pseudociência? Em primeiro lugar, é preciso refletir sobre o método científico antes de fazer uma afirmação dessas. A leitura de alguns filósofos da ciência vai desconstruir a limitação de pensar que apenas as ciências biológicas e exatas são ciências. O método científico pode (e é) muito aplicada nas ciências humanas, sociais e do comportamento (como a Psicologia, tanto, que em muitos lugares é vista como uma ciência biológica). Na verdade, muito dos temas dos podcasts de vocês aborda assuntos estudados cientificamente por psicólogos, como psicopatias, memória, comportamento social etc. Então é incompreensível chamar a psicologia de pseudociência e depois usar dos estudos de psicólogos para balizar as discussões “científicas” do podcast. Minha sugestão é que vocês leiam mais sobre os assuntos que vão abordar no podcast, caso contrário o que acontecerá será um mero ato desinformação generalizada e, principalmente, preconceituosa. Uma busca rápida na pubmed, google e até na wikipedia quebraria rapidamente a bobagem dita sobre estudos de psicólogos – e a aplicação da ciência psicológica em terapias, socialmente, na educação etc. – e a confusão feita com a psicanálise e a prática psicanalítica (que não vou explicitar, tendo certeza que os cientistas irão buscar esse conhecimento por si mesmos).

    O podcast de vocês deve ser bastante ouvido e escrevi esse comentário apenas por me preocupar com a difusão de desconhecimento. Como vocês também são cientistas, acredito que aceitarão acrítica de forma profissional. E espero ter conseguido fazer uma crítica construtiva e não só uma reclamação ao vento.

    Alguns blogs em português sobre psicologia científica que podem servir de ajuda para o entendimento da ciência psicológica são: scienceblogs.com.br/socialmente/; scienceblogs.com.br/cognando/; cog-psi.blogspot.com.br/; prismacientifico.wordpress.com/.

    • Olá Marcus, talvez você não tenha notado, mas estávamos sendo sarcásticos, brincando, exatamente com o senso comum a respeito da psicologia. Acho que vc vai entender melhor o nosso jeito quando ouvir mais alguns programas. Recomendo estes, em que abordamos melhor a ciência psicológica:

      http://www.scicast.com.br/scicast-035-psicologia-humana-psicopatias-autismo-asperger-transtornos-mentais/

      http://www.scicast.com.br/scicast-036-toxicologia-social/

      • Marcus Alves

        Olá Silmar,

        Com certeza continuarei ouvindo o podcast de vocês, porque é muito interessante e divertido. Os dois programas citados já estão na minha lista, tanto que citei eles no meu comentário. De qualquer forma, acredito que se é preciso conhecer outros episódios para perceber o sarcasmo (que não foi nada aparente, tendo em vista que mesmo um integrante falhou em percebê-la, tanto que sugeriu logo depois que a “psicologia comportamental” seria científica, enquanto na verdade citava exemplos da também científica psicologia social… E, bom, até as ‘tiazinhas na terapia’ podem – e devem – usar a psicologia científica aplicada), talvez então a crítica ainda seja válida.

        Reitero que meu comentário foi uma tentativa de fazer uma crítica construtiva (para vocês e futuros ouvintes), não apenas reclamar, porque acho que o trabalho de divulgação que vocês estão fazendo é extremamente necessário e, sem dúvidas, está sendo bem feito.

        Abraços,

Compartilhar

Share This

Share this post with your friends!