Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Games no Lab: Dimensões de bolso, comilança, inflação cósmica e parece o Jigglypuff, mas não é

por em 01/06/2022 em Ciência, Entretenimento, Notícias | Nenhum comentário

Games no Lab:  Dimensões de bolso, comilança, inflação cósmica e parece o Jigglypuff, mas não é

E finalmente vamos falar sobre um exclusivo da Nintendo. Fundada em 1889, em Quioto no Japão, a empresa originalmente fabricava baralhos Hanafuda (tradicional baralho japonês), porém foi nos anos 1980, depois do lançamento do seu primeiro console de mesa, o Famicom (NES no ocidente) que ela ficou mais conhecida no mundo todo. Console esse que seria a casa de grandes games que se tornariam clássicos, gerando franquias que estão entre as melhores da indústria.  

Quando falamos em Nintendo, os primeiros nomes que nos vem à cabeça são Mario, Zelda, Metroid e Pokémon, e não por menos, são franquias que possuem excelente games, muitas vezes criando ou redefinindo um gênero. Entretanto, temos outros games que também nasceram nos primeiros consoles da Nintendo e apesar de as vezes não tão lembrados, não são menos importantes, esse é o caso de Kirby. E quando falamos em Kirby, a primeira coisa que lembramos é de uma bolinha rosa esfomeada engolindo tudo que vem pela sua frente. E por que essa bolinha come tanto e não fica maior? Para onde vai tudo o que Kirby engole? Se ficou curioso e quer saber mais, segure-se na estrela mais próxima e vamos juntos para Dream Land, descobrir porque Kirby é um “saco sem fundo”. 

Desenvolvido pela HAL Laboratory (empresa intimamente ligada à Nintendo), o primeiro game foi lançado em 1992 para o portátil Game Boy. Trazendo como protagonista Kirby, uma bola rosa com olhos, “mãos” e pés, o game de plataforma tinha como objetivo reaver toda a comida roubada pelo Rei Dedede.  

Como característica da série, Kirby podia inalar inimigos e objetos do cenário e cuspi-los de volta na forma de uma estrela, sendo essa a forma principal de ataque do protagonista.

Outra alternativa também, seria Kirby engolir esses objetos e/ou inimigos se o jogador apertasse o direcional para baixo durante a jogatina. Foi somente no game seguinte, Kirby’s Adventure para o NES, que Kirby ganhou a habilidade de assimilar os poderes dos inimigos engolidos.

Mas se Kirby engole tantos inimigos e outras coisas, como ele não fica maior? Para onde vai tudo isso? Bem, vamos cientificamente discutir sobre a teoria mais aceita e como ela funciona, a chamada dimensão de bolso. 

Porém, antes uma pequena pausa para falarmos sobre outra teoria. 

Poderíamos imaginar que Kirby tenha um metabolismo mega acelerado e, com isso, tudo o que ele comesse já fosse rapidamente digerido fazendo com que o mesmo não aumentasse de tamanho. E como Kirby engole qualquer coisa, de arvores à inimigos pedregosos, uma estomago parecido com os das emas e avestruzes seria de boa ajuda. Esses animais possuem um suco gástrico tão forte que pode dissolver até metais, daí a expressão “estomago de avestruz”. Devido ao metabolismo acelerado, Kirby precisaria comer constantemente, estando sempre com fome. 

Kirby, o terror dos rodízios

OK, isso é basicamente o gameplay da maioria dos seus games. Então se juntarmos tudo, o metabolismo acelerado, a fome constante e o estomago com um forte suco gástrico, parece uma boa solução para a nossa questão do porquê ele não aumentar de tamanho. Infelizmente isso não responde a outra questão: Para onde vai isso tudo? 

Sim minhas amigas e meus amigos, se Kirby for como a maioria dos seres vivos (menos os que se alimentam de energia solar), sua alimentação deve gerar resíduos (isso mesmo que você está pensando, cocô) e com um metabolismo mega acelerado a geração de resíduos seria na mesma frequência com que ele se alimenta… 

Se fosse o protagonista do game Boogerman do Super NES, até que essa ideia seria bem-vinda, mas para um personagem fofo como Kirby, isso já não cairia tão bem. Vamos voltar à teoria inicial então.

Conhece esse clássico da era 16 bits?

Eu digo teoria, mas, em alguns manuais oficiais da Nintendo, é dito que Kirby consegue engolir tanta coisa porque ele tem uma dimensão de bolso dentro de si. Uma dimensão de bolso seria um pequeno portal (tão pequeno que poderia caber em um bolso, daí o nome) de entrada/saída para outro universo ou dimensão. 

Temos vários exemplos de dimensões de bolso usadas na cultura Pop. Quando o Pernalonga tira uma marreta gigante do bolso, ou o Agente K no final de MIB 2 abre uma porta e mostra para o Agente J que eles fazem parte de um universo bem maior, ou até mesmo o homúnculo Gluttony devorando tudo em Full Metal Alchemist, todos esses são exemplos de dimensões de bolso. 

O poderes de Cream, stand de Vanilla Ice, podem vir também de uma dimensão de bolso. E sim, encaixamos uma referencia a JoJo aqui.

Mas dimensões de bolso existem no mundo real? A física pode explicar esse acontecimento? Vamos explorar melhor isso. 

Na física, dimensão de bolso é um conceito da teoria inflacionária proposta por Alan Guth em 1981. A Teoria Inflacionária ou de inflação cósmica diz que o universo, no seu início, passou por uma fase de crescimento exponencial. Essa inflação teria sido produzida por uma densidade de energia do vácuo negativa ou por uma espécie de energia gravitacional repulsiva. Seria como se pegássemos um pequeno pedaço de borracha e fossemos esticando-o, aumentando seu tamanho cada vez mais. Esse pedaço de borracha seria o nosso universo.

A inflação cósmica está intimamente ligada ao Big Bang

Agora, segundo o astrofísico Jean-Luc Lehners, um universo inflacionário produziria bolhas, bolhas essas que poderiam ser consideradas outros universos, já que ali a inflação seria mais lenta, o tempo poderia até passar de maneira diferente do nosso universo. Seriam, assim, pequenos universos dentro do nosso universo.

Isso, por enquanto, não explica muito nosso amigo Kirby, pois, se universos podem existir dentro do nosso universo, aparentemente para chegar até eles teríamos que fazer uma viajem até lá, e isso não aconteceria pela boca do Kirby, a não ser que fossemos por um portal… Vamos flertar com a Teoria das Cordas então. 

A Teoria das Cordas começou a ser desenvolvida por volta de 1919 por Theodor Kaluza, a proposta era unificar a relatividade geral e a física quântica. Como aprendemos na escola, os átomos são formados por elétrons, prótons e neutros, os quais seriam formados por quarks. Porém, segundo a Teoria das Cordas teríamos mais uma camada “abaixo”, os quarks seriam formados por pequenos filamentos de energia vibrante, parecidos com cordas (daí o nome da teoria), e, dependendo de como esses filamentos vibrassem, formariam um ou outro átomo, produzindo assim as diferentes partículas de que nosso mundo é feito.

A Teoria das Cordas explica a formação da matéria

Mas em sua demonstração matemática, a teoria não funciona em três dimensões, e sim em dez dimensões. Desse modo, teríamos sete dimensões que não podemos ver, e as vezes essas dimensões são também entendidas como universos, por isso a teoria da corda é muitas vezes relacionada ao Multiverso da Loucura, na verdade só ao multiverso mesmo, é que acabei de assistir Dr. Estranho e estou impressionado com a genialidade do Sam Raimi

Faça um favor a você mesmo e assista a trilogia Evil Dead

Algumas teorias mais recentes dizem que as dimensões ou universos que não podemos ver, de alguma forma, poderiam estar ligados um ao outro, então com a tecnologia certa você poderia acessar essa outra dimensão e acabar criando uma dimensão de bolso através de um portal. Esse portal poderia sem bem pequeno, pois ele apenas conecta um universo ao outro, podendo caber dentro de uma sala, do porta malas de um carro ou… dentro do Kirby. 

Alguma teorias também sugerem que buracos de minhoca poderiam gerar dimensões de bolso.

Isso responderia a nossa pergunta inicial de como cabe tanta coisa dentro do Kirby. Na verdade, ele não teria uma dimensão de bolso dentro de si e sim um portal que se conectaria a outra dimensão, talvez até uma dimensão de bolso formada pela inflação cósmica. Explicando assim, como Kirby poderia comer tanta coisa e para onde vai isso tudo.

Um dos melhores personagens de Super Smash Bros? Sim ou com certeza?

E chegando ao fim de mais um texto, só gostaria de lembrar que não abordei a teoria de que Kirby poderia ter um buraco negro dentro do estomago, pois um buraco negro “engole” tudo o que está ao seu alcance, até mesmo a luz, distorcendo até a gravidade. Com isso, o buraco negro engoliria tudo dentro de Kirby, inclusive o próprio Kirby.  

Espero que tenham gostado, Kirby é uma das minhas franquias preferidas da Nintendo e espero trazer outros personagens dela aqui. Deixe aí nos comentários se você também curte os games e o que achou do texto. Críticas e sugestões são sempre bem-vindas. Até a próxima. 

Fontes: Infinitas Terras, Reddit, Wikipédia, Super Interessante, Revista Galileu, Tropedia, Quora e Brasil Escola

 

Modo Noturno