Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Em Busca do “eu interior”

por em 25/02/2016 em Entretenimento | 1 comentário

Em Busca do “eu interior”

Não é preciso muito tempo de tela para começar a gostar de Kung Fu Panda 3.

O terceiro filme da franquia, que já rendeu milhões ao redor do mundo, chega com uma nova aventura com todos os elementos que o tornaram um sucesso.

A história não tem nada de muito mirabolante: o vilão Kai, após se apossar do Chi de Mestre Oogway, retorna do mundo dos espíritos para enfim derrotar todos os outros mestres do Kung Fu. Enquanto isso, nosso herói, Po, se depara com a volta de seu verdadeiro pai, Li Shan, que lhe revela a existência  de uma vila secreta repleta de outros pandas. Quando Kai consegue capturar quase todos os seus amigos, Po só vê uma saída: ir até a vila dos pandas para tentar entender quem ele realmente é, e assim despertar seu Chi para a batalha. Mas, antes, Po terá que se aventurar como professor e ensinar uma trupe de pandas desajeitados a arte do Kung Fu.

A Vila secreta dos pandas

A Vila secreta dos pandas

O filme aposta no humor simples e nonsense, já característicos dos personagens da série, com uma pitada a mais, já que o pai de Po carrega muitas das características do nosso protagonista. Isso rende algumas cenas hilárias, com a ingenuidade e a falta de jeito aparecendo em dobro dessa vez. Vai agradar tanto adultos quanto as crianças. A mensagem do filme é muito clara e objetiva, não dá margem a interpretações e vai ser de grande valia para os pequenos. Kung Fu Panda 3 trata da busca do próprio “eu”. Uma ótima continuação para a franquia.

Alguns aspectos merecem destaque. O 3D do filme está impecável. Se tratando de animações, dificilmente vi um 3D que serve tão bem ao propósito narrativo. Nada daquelas cenas malucas com coisas sendo atiradas na direção do espectador, muito pelo contrário, a profundidade de campo foi muito bem explorada e os efeitos tridimensionais servem para aproximar a experiência visual. Em algumas cenas de flash back, quase esqueci que se tratava de um desenho animado. O único porém é a claridade da imagem que fica comprometida, não tem jeito, 3D é isso aí.

Po e seus dois pais

Po e seus dois pais

Outro ponto alto do filme é a estética. Algumas imagens são belíssimas e trazem uma estética muito bem estudada e arquitetada do cinema chinês. Talvez por conta de metade do filme ter sido feito na divisão oriental da DreamWorks na própria China. Cenas que normalmente servem apenas para explicar o contexto para o espectador, ganham um toque sutil, quase poético. Vale a pena prestar atenção.

E, finalmente, as cenas de ação do filme. O Kung Fu apresentado é belo! Claro, existem as piadas, que não podem deixar de existir numa animação, principalmente como essa. Mas algumas cenas de lutas realmente são bonitas de assistir. Quase me fizeram lembrar “O Tigre e o Dragão”. Guardadas as devidas proporções, é claro.

Dito isso, tenho que ressaltar que Kung Fu Panda 3 é uma animação, portanto não se intimidem com os comentários acima, no fundo o filme é leve, divertido e é garantia de ótimos momentos com a criançada. Estreia no dia 03 de Março. Não tem como errar. É comprar a pipoca, levar os pequeninos e depois do filme passar uma semana inteira repetindo os golpes de Po e seus amigos em cima do sofá da sala. Haja fôlego e boa sorte!

Modo Noturno