Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

SciCast #217: Coreia do Norte

por em sex 22America/Sao_Paulo set 22America/Sao_Paulo 2017 em Destaque, Scicast | 17 comentários

SciCast #217: Coreia do Norte

Bem vindos Deviantes e Derivadas a mais um SciCast Internacional, e porque não, BOMBÁSTICO!!

Esse semana vamos falar de um país que tem dado o que falar! A história da Coreia do Norte, como ela chegou onde ela está e, principalmente, onde ela quer chegar!

*Este episódio, assim como tantos outros projetos vindouros, só foi possível por conta do Patronato do SciCast. Se você quiser mais episódios assim, contribua conosco!*

Arte da Capa:


Publicidade:

Promobita maior comunidade de cupons e ofertas da internet brasileira!

Quando for comprar algo pela internet, sempre consulte a plataforma, pra conhecer produtos novos e encontrar as melhores promoções de lojas confiáveis. Baixe em seu IOS ou Android.

Site: www.promobit.com.br
Apps: https://www.promobit.com.br/ofertas/app-ofertas/
Black Friday: https://www.promobit.com.br/black-friday/ 


Redes Sociais:


Expediente:

Produção Geral: Tarik FernandesHosts: Fernando Malta e Marcelo GuaxinimEdição: Talk’ nCastEquipe de Pauta/Gravação: Willian Spengler, Marcelo Valença, Filipe Mendonça, Geraldo Zahran. Vitrine: Jânio Garcia (Portfólio • Instagram)


Material Complementar:

Chute 011 – A Política Internacional de Lula, Dilma e Temer com Guilherme Casarões

Chute 011 – Episódio Bônus – José Serra, Aloysio Nunes e a política externa nas eleições de 2018!

Catarse – 3a. Marcha pela Ciência

Vakinha Prof. Bernardo Riedel

 

Sugestões de leitura:

  • DEMICK, Bárbara. Nada a Invejar – Vidas comuns na Coreia do Norte. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.
  • HECHT, Emmanuel & SERVENT, Pierre [org.]. O Século de Sangue – 1914-2014. São Paulo: Contexto, 2015.
  • OLIVEIRA, Henrique A. de & MASIERO, Gilmar. Coreia do Sul: visões latino-americanas. Curitiba: Juruá, 2009
  • SILVA, Francisco Carlos Teixeira da [org.]. Enciclopédia de Guerras e Revoluções dos Século XX. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
  • VISENTINI, Paulo Fagundes [org.]. A Revolução Coreana: o desconhecido socialismo Zuche. São Paulo: Ed. Unesp, 2015.
  • Tara O. The Collapse of North Korea: Challenges, Planning and Geopolitics of Unification. Palgrave Macmillan; 1st ed. 2090 edition , 2016

 

Sugestão de filmes/vídeos:

 

 

Sugestão de links:

 

The Collapse of North Korea: Challenges, Planning and Geopolitics of Unification

  • VIctor Miguel Silva

    O poder de veto na ONU não seria sobre a pauta? Onde nem levado pra pauta o tema é, ao invés de ser apenas no voto?

    • Fernando Malta

      Não exatamente, Victor. O que acontece muitas vezes é que, sabendo do dissenso, o assunto nem chega a ser discutido. Na verdade, é incomum uma “reviravolta” nas votações, as discussões são feitas nos bastidores antes e os países já sabem o posicionamento dos outros. Mas, na Carta das Nações Unidos, na linha 3 do artigo 27, consta: “As decisões do Conselho de Segurança sobre quaisquer outros assuntos serão tomadas por voto favorável de nove membros, incluindo os votos de todos os membros permanentes”. Ou seja, nenhum dos 5 pode votar contrário a nada.

  • Marx Barroso de Mattos

    Sobre a ultima pergunta feita, temos o James Bond e Jason Born trabalhando duro para esse imponderável não acontecer ;)

  • Isabela Dias

    Adorei o cast! Sou uma estudante de RI no primeiro período ainda (praticamente um bebê), então esse cast foi uma incrível oportunidade de aprendizado pra mim, não conhecia o Chutando a Escada, mas agora com certeza vou dar uma olhada!
    E adorei as músicas de kpop no cast, quase dei um berro quando reconheci EXO, mas como foi só o instrumental no fundo da conversa, fica como um easter egg pra quem gosta kkkk
    Adoraria que vocês fizessem um cast sobre a situação na Venezuela, e em como isso pode afetar o Brasil ^.^

  • Alexandre Hagihara

    E então, será que rola um Costelas e Hidromel sobre a família Kim?

  • Darley Santos

    O ditador da Coréia do Norte lembra aqueles personagens vilanescos de anime! O país ermitão realmente é único, acho que não tem paralelo a nível de país. O culto de personalidade aos líderes, a histeria de massa, a internalização de um discurso vitimista que fomenta o ressentimento e o ódio ao que é estrangeiro, a total manipulação do povo, a bomba atômica como fator de autoafirmação… que barril de pólvora! “A geopolítica confere um aspecto global a uma guerra local” (…) Se não for o EUA para fazer alguma coisa, quem mais faria neh… É a polícia do mundo.

  • Willian Spengler

    “Tenho constantemente clamado por novas decisões políticas, essenciais à obtenção de uma solução. Mas houve esforços para distorcer minha posição.
    Na verdade, disseram que sou um belicista. Nada poderia estar mais distante da verdade. Conheço a guerra como poucos homens a conhecem, e nada, para mim, é mais revoltante.
    Há muito tempo defendo sua completa abolição, uma vez que a destruição que causa, tanto entre aliados como inimigos, tornou-a inútil como meio de resolver disputas internacionais.
    Mas, uma vez que somos forçados a ir à guerra, não há outra alternativa a não ser utilizar todos os meios disponíveis para levá-la a um rápido desfecho.
    O objetivo da guerra é a vitória, não a indecisão prolongada. Na guerra, não há nada que substitua a vitória”. – Douglas MacArthur,19 de abril de 1951.

  • QUal a música tocando no minuto 38?

  • Adriano Alexandrino

    Gostei do programa 100% melhor que o JN e outros programas que discutem o assunto. contaram a História, os conflitos a Sunshine Policy (que li a pouco enquanto ouvia o program pela 5° vez) mas o termo “Como você sabe, que você sabe, aquilo que você acha que você sabe.” me fez rir pois é complicado mesmo aquele anão de tamancas devia se sensibilizar e olhar o risco que tem em mãos.

  • Henrick Prestes

    Gosto mt do scicast , mas esse episódio deixou a desejar.. os “especialistas” chamados estavam claramente influenciados pela suas visões políticas inclinadas a esquerda/comunismo.. nem citaram os massacres realizados por mao tse e stalin.. mais de 200 milhões de mortes nas mãos dos vermelhos e nada foi citado.. ao mesmo tempo citam o governante sul coreano, o chamam de extrema direita e ditador sanguinário.. esperava um pouco mais de imparcialidade dos participantes, evidenciando apenas o que esta na historia , sem influencia de suas inclinacoes e opiniões. bom tirando isso bom cast

  • Madiel França

    Só tem palpiteiro ant trump nesse cast, o maluco do koreano ta fazendo o que quer e o culpado é o trump, serio mesmo? esse cast foi uma vergonha vocês tem um divórcio com a realidade absurdo, graças a politica complacente dos governos anteriores que a situação chegou onde está, agora um aliado americano pede socorro o trump se posiciona e ele que é maluco? Por favor.

    • Fernando Malta

      Oi Madiel, bom dia. Obrigado pelo comentário.

      Perdão, mas o que você quer dizer (de forma bastante… efusiva, vamos colocar assim) é que discorda dos pontos levantados no cast, certo? Poderia elaborar melhor, a fim de que possamos de fato discutir, e não apenas generalizar?

      • Madiel França

        O cast em si foi bom o problema é a forma que vocês abordam as atitudes do Trump como se ele fosse um maluco toda a midia mais a esquerda faz isso por puro viés ideológico sem base e vcs estão indo para o mesmo caminho

        • Fernando Malta

          O cast não foi sobre ele. Mas, caso queira, podemos aqui discutir um sem número de ações no mínimo obtusas que ele tem feito desde que assumiu a presidência.
          Mas, para ficar no tema do cast apenas: ele não tem plano de política externa fundamentada. É consenso por parte dos analistas políticos que suas ações internacionais não fazem sentido quando colocadas em contexto. E não é uma questão de discordância ideológica do que ele ou faz, mas de que não há lógica interna que a fundamente, seja fundamentação teórica ou mesmo numa abordagem mais prática.
          Minto. Há uma explicação que tanto teóricos mais liberais quanto conservadores concordam: a teoria do “homem louco”. Trump é imprevisível. E a crítica nisso, bem, além de ser um “homem louco” com acesso a um arsenal nuclear, é que, no limite, torna inviável qualquer política externa que preste aos interesses americanos de longo prazo. Caso se interesse, um artigo bem interessante sobre: http://foreignpolicy.com/2017/04/18/trumps-madman-theory-isnt-strategic-unpredictability-its-just-crazy/
          E por fim, mas não menos importante, Mariel, não jogue um cast super trabalhoso como esse e os demais aqui, que envolvem a dedicação de uma grande equipe de especialistas nos assuntos como “uma vergonha” só por conta de discordâncias ideológicas que possa vir a ter dos mesmos. Você não precisa concordar conosco – oras, a discordância bem embasada é o que faz as ideias progredirem – mas, por favor, não nos tome ou nos trate como tolos, por favor.

          • Madiel França

            Não falei mal do cast mas sim dos comentários inviesados, seu argumento e suas fontes pautadas na opinião também inviesada, é a abstração de um presidente humano tendo que lidar com grandes conflitos que são por si só imprevisíveis. Obama foi um disastre com a politica externa, vide estado islâmico e Rússia que são um completo disastre, a série de crimes dos democratas e Hilary, mas vcs ficam na moita como todo esquerdista agora quando é um conservador ai ele é um louco com armas nas mãos e querem pagar de isentos, esta bem claro o lado ideológico de vcs fomentando o ódio de vcs pela politica conservadora dele, vocês não avaliam o senário como um todo mas a ação isolada de um homem que não é perfeito mas vcs não trazem os dois lados da história vcs debocham da figura Trump e não mostram as coisas boas que ele faz é realmente uma vergonha.

          • Fernando Malta

            Oi Madiel,
            Primeiro, calma, rapaz. Ainda que eu possa vir a discordar do que você argumenta, em momento algum eu estou rebaixando seu comentário como “uma vergonha”, como você está fazendo. E uma coisa pra sua vida: não existe comentário que não seja “não-enviesado”. O seu comentário, agora, por exemplo, é enviesado. O mundo é enviesado – sendo o viés dependente de quem o analisa. Neutralidade absoluta não existe. Cuidado pra pedir por uma neutralidade que apenas concorde com o que você acha. Quer dar um outro lado a uma questão que discorde? Por favor, o espaço aqui é aberto e por isso estamos discutindo. Só peço, mais uma vez, que o fundamente em fontes e dados, e menos em achismos.

            Obama não foi perfeito, nem santo. E em momento algum falamos dele. Se o programa fosse sobre ele, ou em sua administração, assim falaríamos. Eu tenho um sem-número de críticas à política externa do Obama, começando pelo inacreditável Nobel da Paz que ele recebeu em seu primeiro ano de mandato, passando pela ausência de ação nas questões de Ucrânia e Síria e culminando de forma magistralmente ruim no não cumprimento de uma promessa de campanha de Guantánamo. E poderíamos falar de muitas outras coisas, é só falar qual tópico quer adotar. Um bom artigo sobre isso: https://www.washingtonpost.com/opinions/obamas-inner-circle-has-few-kind-words-for-the-former-boss/2016/01/11/ddd67742-b892-11e5-829c-26ffb874a18d_story.html

            CONTUDO, eu ter um tom crítico ao Obama não me faz ser um apoiador automático do Trump. Muito pelo comentário. Ele está errando, bastante, em política externa e em outros pontos, ao meu ver. Se você discorda, ótimo. Caso consiga parar de nos agredir de forma gratuita e queira explorar como que ele tem acertado, mostrando uma opinião contrária que justifique a ação dele nas Coreias agora, serei o primeiro a ouvi-la ou lê-la.

            Por fim, só peço mais uma vez, Madiel: não nos tome por tolos e não venha com discursos prontos de uma direita ferida ao ver ídolos sendo criticados. Ouça as críticas. Entende-as. Daí sim as rebata – com argumentos, por favor. Isso, e somente isso, pode fazer com que seus argumentos possam vir a convencer alguém. Ou, ao menos, podem promover um melhor entendimento geral da mesma questão.

            Mais uma vez, sinta-se bem vindo a contribuir quando quiser. ;-)

          • Willian Spengler
%d blogueiros gostam disto: