Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Era Sombria 2.0 – Ano 1 – Capítulo 6 – Volta

por em 13/06/2018 em Entretenimento | Nenhum comentário

Era Sombria 2.0 – Ano 1 – Capítulo 6 – Volta

A volta também foi agitada. Outra vez encontraram um pequeno grupo de nômades usando um carro bem estranho que pilhava aqueles que tentaram atacar o grupo quando se aproximava de Horizon. Eram mais espertos e fugiram quando perceberam a aproximação do grupo. Depois Ivan teve caminho livre até a “fortaleza”. Nenhum sinal de movimento por lá, ainda foram mais próximos das minas para fazer um outro rastreamento. Optaram por outro caminho ao entrar na cidade, já que foram informados sobre uma disputa de gangues; deveria ser uma disputa pelo controle do pedágio. O caminho era mais longo, as ruas ainda cheias por causas dos jovens tornando o deslocamento na cidade lento, esses jovens da periferia aproveitavam os poucos dias de liberdade, pois na noite de domingo seriam encaminhados novamente para as instituições onde passariam a próxima quinzena.

Assim chegaram na empresa para devolver os carros e escoltar os empregados. Ivan e Chris solicitaram uma audiência com o sr. Osvaldo que foi negada. Estava com família se preparando para fazer a despedida do filho, o corpo tinha retornado há quase quarenta minutos e seria desintegrado daqui há quatro horas. Ivan insistiu para falar com o chefe da segurança que aceitou ouvi-lo. Eles se reuniram por meia hora. Chris relatou ao chefe Doug que o filho de Osvaldo foi morto por um dos empregados, os tiros partiram de dentro e acertaram o rapaz de baixo para cima, provavelmente a perícia privada deveria informar isso. Aconselhou a interrogar o empregado que estava com ele. Doug agradeceu a informação e saiu rapidamente, decidira tratar do assunto imediatamente. No futuro, Ivan e Chris serão comunicados pelo chefe que não conseguira interrogar o empregado, pois o mesmo fora encontrado morto dentro de um banheiro da empresa, nesse comunicado Doug avisava que seguiria com a investigação.

Quando saíram de lá, Lee e Fred aguardavam ao lado do carro no enorme estacionamento da empresa, necessário para uma empresa de transporte mesmo sendo de médio porte. O restante já tinha sido dispensado, Ivan recebera a informação do deposito do dinheiro, logo seguiram em direção a base. Saíram de uma área relativamente organizada onde várias empresas médias se localizavam. Havia uma considerável movimentação de pessoas na rua, mas não chegava nem próximo dos lugares onde os jovens frequentavam. Bêbados, espiões, informantes e muitos empregados transitavam para lá e para cá, muitos bares disputavam com as empresas um ponto privilegiado para captar as pessoas depois do expediente. Apesar de ser um pratica arriscada, muitos não resistiam a uma bebida após um dia duro de trabalho. O grupo ignorou os bares e seguiu em direção a base, o carro precisava de alguns reparos e a noite começava a cair.

Foram várias piadas e conversas entre eles narrando brigas e confusões que se envolveram no passado. Até Lee compartilhou duas histórias sobre si. Então Ivan perguntou a Chris quantos carros estavam seguindo eles, Chris disse que eram dois e Ivan confirmou com a cabeça. Fred tomou um susto, olhou para trás e viu dois carros italianos pretos. Lee sabiamente avisou que teriam três pessoas em cada carro, acrescentou que seriam atacados quando chegassem numa área menos movimentada, então Ivan comentou que iria guiá-los para um local estratégico.

Quando os carros atrás começaram acelerar para emparelhar, Ivan pisou, tomou alguns toques na traseira que chegaram a desestabilizar o carro, mas Ivan era um ótimo motorista e não perdeu o controle do carro. Chris teve o vidro blindado atingido várias vezes, o mesmo aconteceu com o carro deles, mas Lee conseguiu tirar um carro da perseguição quando acertou dois pneus. Ivan ainda conseguiu dirigir por mais alguns metros quando também foi atingido da mesma forma, mas chegou no destino entrando à direita num beco imundo.

Era área portuária pouco movimenta, as pessoas não se interessavam em ir ali, apenas os trabalhadores do porto e das empresas de transporte, a tripulação dos navios e vários traficantes frequentavam essa região e não gostavam que as pessoas observassem seus negócios. Assim o motorista do carro preto entrou no beco, viu que Ivan fazia uma curva de noventa graus a esquerda. Não houve tempo, mas se tivesse olhado o mapa do local, teria notado que aquele beco dava acesso a um local de carga e descarga, quando chegou lá, viu que o carro de Ivan estava atravessado para dar proteção aos seus ocupantes.

Chris, Fred e Ivan tinham saído e buscado proteção atrás de algumas rampas de acesso das mercadorias, o motorista foi rápido fez uma manobra deixando seu carro paralelo ao de Ivan. Saíram pela porta que dava acesso ao beco enquanto o carro era alvejado por vários disparos. Mesmo assim a armadilha dera certo, a posição de Ivan e Chris era privilegiada, o motorista tombou ao sair do carro com um tiro no peito e no pescoço. Ivan precisou trocar alguns disparos para derrubar outro, mas havia um inimigo ainda, e o grupo não estava disposto a avançar. Fred avisou para ficarem prontos, assim tirou algo da roupa e jogou por baixo do seu carro. Tinha deixado rolar uma granada. Chris e Fred correram procurando abrigo em um caminhão de carga abandonado pelos trabalhadores. O inimigo tentou aproveitar para atirar, mas Ivan foi mais rápido, correu para conseguir um visão clara e acertar o alvo com três disparos. A explosão acertara a lateral do carro de Ivan colocando uma porta para dentro do banco do motorista, furando os pneus laterais e partindo o eixo dianteiro do carro. Ivan ficou com o ouvido zunindo da explosão e precisou da ajuda de Lee para sair dali pela entrada dos caminhões, Fred comunicou a A que enviasse alguém com um carro para buscá-los, tinham que sair dali antes que a segurança da empresa aparecesse ou a própria polícia.