Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu
Miçangas

MeiaLuaCast #226: Os melhores jogos de 2018

por em 10/01/2019 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #226: Os melhores jogos de 2018

Todos os anos uma grande quantidade de jogos são lançados e muitas das expectativas trouxeram decepção, mas não será disso que falaremos hoje.

O ano de 2018 teve grandes títulos e uma disputa acirrada na opinião de público e crítica para definir qual o melhor jogo lançado.

Para ajudar nessa definição, solicitamos ao nosso time e a alguns amigos que votassem nos três melhores jogos que desfrutaram para definir a lista derradeira e incontestável dos 10 melhores jogos de 2018.

Leia mais...

MeiaLuaCast #225: Homenagem a Giovani Arieira

por em 21/12/2018 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #225: Homenagem a Giovani Arieira

Essa é a homenagem do Meia-Lua, em parceria com Renegados Cast e Dragões de Garagem, ao nosso amigo e colaborador do site, Giovani Arieira.

Na podosfera, seu legado perdura por meio dos inúmeros podcasts que participou, os quais fazemos questão de listar abaixo, para que vocês possam ouvir.

Giovani, “diante da vastidão do tempo e da imensidão do universo, foi um imenso prazer para nós dividir um planeta e uma época com você”.

Leia mais...

MeiaLuaCast #224: Borderlands

por em 13/12/2018 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #224: Borderlands

Ao final da primeira década do século XXI os jogos em primeira pessoa saturavam o mercado e dificilmente traziam inovações, até que em 2009 surgiu Borderlands.

Muito além de um jogo de tiro a nova franquia da Gearbox arriscou ao misturar características de diversos estilos e gêneros de jogos para criar algo peculiar que conquistou uma legião de fãs.

Apesar do pouco tempo de vida e tendo apenas 4 títulos, Borderlands soube conquistar os jogadores com seus personagens insanos, seu visual peculiar, características de RPG e um senso de humor agressivo.

Leia mais...

MeiaLuaCast #223: Explorando o Mundo Aberto

por em 06/12/2018 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #223: Explorando o Mundo Aberto

Desde os RPG de mesa os jogadores desejam explorar novos mundos de forma livre, tomando decisões que pesam no fluxo da estória contada e impactam seu futuro.

Nos jogos digitais isso também é buscado desde o princípio, através da implementação de calabouços profundos e do vazio do espaço.

Os jogos de mundo aberto evoluiram muito nos quase quarenta anos de existência, permitindo aos jogadores explorar mundos cada vez maiores e mais vivos seja em aventuras, corridas pelo mundo ou resolvendo quebra-cabeças.

Conversamos sobre as peculiaridades dessa forma de planejamento de mapas, suas vantagens e desvantagens.

Leia mais...

MeiaLuaCast #222: PokéMon Let’s Go

por em 29/11/2018 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #222: PokéMon Let’s Go

A franquia PokéMon transitou pela maioria das gerações de videogames da Nintendo e em cada iteração ampliou e modificou sua jogabilidade e mundo para apresentar novas experiências aos jogadores.

Com a chegada da franquia no Nintendo Switch, a Pokemon Company aproveitou o sucesso de Pokémon GO para retornar à região de Kanto e implementar a captura dos monstros por movimentos do controle.

Após explorar ambas as versões Pikachu e Eevee, nos reunimos para conversar e apresentar nossas opiniões sobre as diversas mudanças apresentadas em Pokémon Let’s Go.

Leia mais...

MeiaLuaCast #220: Metroidvania

por em 15/11/2018 | Nenhum comentário

MeiaLuaCast #220: Metroidvania

Em 1986 foram lançados para o NES os primeiros títulos de franquias de jogos que se tornariam cultuadas por jogadores do mundo inteiro: Metroid e Castlevania.

Essas séries tiveram bons inícios, com grande aceitação de público e crítica, mas foi no meio da década de 1990 que ambas se estabeleceram e juntas definiram um gênero de jogo completamente novo: o Metroidvania.

Em 1994 foi lançado Super Metroid, que firmou a ambientação e atmosfera de seus antecessores e estabeleceu as pedras fundamentais de exploração, sistema de bloqueio de áreas e navegação, além de permitir que os mais experiêntes quebrassem a sequencia tradicional do jogo.

Já em 1997, em Castlevania: Symphony of the Night haveria a sedimentação do estilo Metroidvania, com a inclusão de elementos de evolução de personagem nos moldes de RPG e o aprimoramento do conceito de exploração e do fator replay.

Nete programa conversamos sobre como esses dois jogos influenciaram diversos títulos nos anos seguintes e quais influências e mudanças os jogos mais novos trouxeram para aprimorar e subverter o estilo.

Leia mais...
Modo Noturno