Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Trocas Macabras – Resenha

por em 08/01/2021 em Entretenimento, Notícias | Nenhum comentário

Trocas Macabras – Resenha

Todo mundo ama ter uma coisa por nada … mesmo que custe tudo.

Trocas Macabras – Stephen King

Vamos voltar para a cidade fictícia de Castle Rock, no Maine, mais uma localidade do universo stephenkinguiano. Castle Rock, cenário de Cujo e A Zona Morta, dentre outros thrillers e contos do autor.

Trocas Macabras é um thriller de 1991 que foi republicado em português pela Suma em 2020, com excelente tradução de Regiane Winarski. No livro, a cidade de Castle Rock é apresentada no primeiro capítulo por um narrador em primeira pessoa que observa o movimento da cidade e que convida o leitor para olhar a cidade de perto. Esse primeiro narrador reconhece no leitor um visitante recorrente da cidade e o convida para apresentar alguns de seus moradores, mostrando uma cidade que, olhando superficialmente, parece ser ordinária.

Esse narrador conta algumas fofocas da cidade, fala de alguns dos conflitos prosaicos não resolvidos e ele sente que as coisas estão prestes a mudar, revelando esse sentimento ao leitor. É assim que o leitor é convidado a olhar Castle Rock mais minuciosamente, quando ocorre uma mudança no narrador. Temos então o narrador onisciente que faz comentários sinceros e até acídos sobre os personagens, o tipo de narrador que é recorrente da obra stephenkinguiana.

A aparente mesmice de Castle Rock é rompida com a chegada de uma loja nova, a Artigos Indispensáveis. Os moradores da cidade inicialmente vêem essa novidade com uma curiosidade contida, porém há no ar uma certa ansiedade pela inauguração da nova loja porque ninguém sabe ainda qual tipo de artigo será comercializado nesse novo empreendimento. O proprietário é o forasteiro Sr. Leland Gaunt e assim que a loja é inaugurada, ele apresenta sua proposta de negócios, que são itens extremamente cobiçados vendidos por uma aparente barganha. O valor a ser pago (o dinheiro) pode ser relativamente baixo, mas os compradores também precisam pregar uma peça em um conhecido designado pelo Sr. Gaunt para concluir a transação. Ocorre que essas pegadinhas logo saem do controle e ocorre uma escalada de violência que se aproveita de conflitos já existentes na cidade: brigas de vizinhos, rivalidades religiosas, etc.

O livro é recheado de referências a cultura pop, prática típica de King e que os fãs gostam bastante. Músicas e artistas são mencionados (embora em Trocas Macabras isso não aconteça com tanta frequência como em outros livros do autor), marcas de produtos e modelos de carro também aparecem ao longo da história e fazem parte da trama. O elemento sobrenatural e a disputa do bem contra o mal – elementos também muito presentes no trabalho de King – também aparecem, além de heróis que lutam contra seus próprios fantasmas pessoais. Em Trocas Macabras, o xerife Alan Pangborn luta contra a depressão causada por uma tragédia pessoal, e Polly Chalmers luta contra a dor da artrite, e aida há um sofrimento causado por um passado triste que ela oculta.

Stephen King revela mais elementos de Castle Rock. Informações e novos pontos da cidade são acrescentados em Trocas Macabras, além do autor fazer referências a outros pontos de interesse mencionados em outras histórias (como o celeiro de Cujo). Personagens já conhecidos em outras histórias também estão em Trocas Macabras (como Ace Merrill do conto The Body) ou são rapidamente mencionados (como o cachorro de Cujo e o menino Gordie do conto The Body – adaptado ao cinema como Stand By Me). Como Castle Rock é mencionada nesses diversos trabalhos de King, o leitor pode observar a cidade mudando. Os acontecimentos de A Zona Morta e de Trocas Macabras tem 10 anos de diferença, por exemplo. Em 2018, o serviço de streaming Hulu lançou a produção original Castle Rock, que se baseia nas histórias que ocorrem na cidade e que aparecem nos trabalhos de King.

Trocas Macabras é uma história muito bem contada e que, depois da metade da leitura, escala de um jeito impressionante, com várias situações se amarrando e cenas se desenrolando simultaneamente pela cidade de Castle Rock. A trama consegue prender o leitor que anseia pelo desenrolar das consequências das compras e das pegadinhas. O livro é uma excelente dica de entretenimento para esses dias difíceis em que um isolamento social é a melhor opção.

Imagem da capa: cenário assustador de umlocal abandonado (Pixabay) com uma montagem da capa de Trocas Macabras, da Suma.

Modo Noturno