Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #33: Especial: Futebol

por em sex 13America/Sao_Paulo jun 13America/Sao_Paulo 2014 em Destaque, Scicast | 4 comentários

Scicast #33: Especial: Futebol

Nós brasileiros sabemos que o futebol, querendo ou não, faz parte da nossa vida e principalmente da nossa cultura. Afinal, não é a toa que o Brasil é conhecido mundialmente como “O País do Futebol”. A paixão pelo futebol faz parte de nossa história, de nossa tradição, da cultura de uma parcela muito significativa dos brasileiros.

E que melhor ocasião para falar da história, da sociologia, da psicologia e da ciência envolvida no futebol do que a realização do maior campeonato mundial de futebol no Brasil? Entre em campo com a equipe do SciCast, que traz Ronaldo (Doutor), Estrela (Fenômeno), Matheus (Imperador), e a ajuda inestimável de Ana (Profeta) e Matheus (Toad) sob a coordenação do técnico Silmar (Professor), para enfrentar os 90 minutos mais divertidos e informativos que você terá nesta copa.

Comentado neste episódio:

Vídeo

  • A primeira Copa do Mundo (Uruguai, 1930).
  • O Brasil em todas as Copas: coletânea da ISTOÉ desde a Copa de 1930 até 1994.
  • O Casamento de Romeu e Julieta (2005): Julieta (Luana Piovani) é a líder do time feminino do Palmeiras e seu pai, um torcedor fanático do time. Por uma ironia do destino, ela se apaixona por Romeu (Marco Ricca), líder da torcida do Corínthians. Uma comédia, inspirada em Shakespeare, pelo amor proibido.
  • Como é feito o Exame de Doping: o Professor Francisco Aquino Neto, coordenador Geral do Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico, do Instituto de Química da UFRJ, explica como é realizado o controle de Dopagem no Brasil.
  • Fuga para a Vitória (1981): com Pelé, Sylvester Stallone e Michael Caine, o filme relata a vida de prisoneiros aliados que estão numa prisão nazista, durante a Segunda Guerra Mundial. É proposta a ideia de fazer um jogo entre a Alemanha e um time formado pelos prisoneiros aliados. Os nazistas planejam vencer o jogo e usar como propaganda nazista, os jogadores aliados planejam uma arriscada fuga durante o intervalo da partida.
  • O Ano em que meus pais saíram de férias (2006): 1970. Mauro (Michel Joelsas) é um garoto de 12 anos, que adora futebol e jogo de botão. Um dia sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele, deixando-o sozinho com seu avô paterno (Paulo Autran). Aguardando um telefonema dos pais, Mauro precisa lidar com sua nova realidade, enquanto  acompanha o desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo. Disponível também em formato ebook.
  • O Preço da Copa (2014): documentário produzido por um jornalista Dinamarquês, Mikkel Keldorf, que desistiu de cobrir o evento após ver a situação do país. “O preço da Copa”, segundo ele, fala sobre “as populações nas camadas mais baixas da sociedade”. Um dos principais temas do filme é a condição das crianças de rua no Brasil, e as denúncias de que elas seriam alvo de grupos de extermínio, como parte da ‘limpeza’ das capitais em preparação para a Copa do Mundo.
  • Duelo de Campeões (2005): o filme narra a verdadeira história da equipe estadunidense de futebol que jogou a Copa do Mundo de 1950 e que, contra todas as probabilidades, venceu a Inglaterra por 1 a 0, na cidade de Belo Horizonte, Brasil. Conta com nomes como Gerard Butler, Wes Bentley, Gavin Rossdale (vocalista da banda Bush), e até o Patrick Stewart (hi, Prof. X ;). Um filme sobre superação e sobre desde quando o futebol namora os EUA, disponível para venda e locação digitais.
  • Nós que aqui estamos por vós esperamos (1998): documentário brasileiro de 1998, dirigido por Marcelo Masagão. Foi premiado no Festival de Gramado em 2000 por sua montagem e no Festival do Recife como melhor filme, melhor roteiro e melhor montagem.

Literatura

  • O Cachorro que Jogava na Ponta Esquerda (Luis Fernando Veríssimo, 2010): Veríssimo deixa de lado os estádios, as copas, os passes e os cartolas para contar a história de um time de futebol de várzea dos menos profissionais. “O Nosso Time não tinha camisa, hino, nem 11 homens. Só sete – isto é, se Canhoto, o cachorro do título, for contado como um.” Mas esse time de pernas de pau vai enfrentar a partida de suas vidas quando desafiam os gêmeos Moreirinha e Moreirão, donos do organizado, uniformizado e profissional Universal Futebol e Regatas.
  • Quando é Dia de Futebol (Carlos Drummond de Andrade, 2002): nesta obra, o autor encara com sua escrita peculiar e seu jeito característico não só o futebol, mas também a política e sua influência nas massas humanas. Aproxima-se também do carnaval, da família e de alguns outros assuntos que o leitor deve ir descobrindo à medida que avança na leitura. Drummond é capaz, inclusive, de fazer uma revista em nossos políticos do passado com toda sua perspicácia de sempre.
  • Brasil em campo (Nelson Rodrigues, 2012): um dos muitos livros do cronista esportivo sobre futebol.  Nas crônicas aqui reunidas, percebe-se que, a partir do chute inicial, com belos e inesperados dribles na pauta de sua coluna, Nelson passa a bola para questões políticas, culturais e acaba avançando fundo na alma brasileira. Porque esse é seu espaço por excelência de discussão do humano e de suas verdades. Mas “Brasil em campo” é ainda, sobretudo, o retrato de uma paixão. Paixão pessoal, coletiva, brasileira.
  • A Eterna Privação do Zagueiro Absoluto (Luís Fernando Veríssimo, 1999): na crônica, ele é o craque maior da nossa seleção. Plenamente identificados com seus personagens, rimos de suas fraquezas – e das nossas. Se o assunto é política nacional, é crítico implacável. Mas se o assunto é futebol, ele é o torcedor apaixonado que acompanha com sofrida teimosia a pátria de chuteiras. Claro que estamos falando dele: Luís Fernando Veríssimo, que marca mais um gol de placa. Também disponível em ebook.

Games

  • Football Manager 2014: um pouco diferente dos habituais jogos de futebol (FIFA, PES, …), Footbal Manager foca mais no trabalho de um administrador/treinador de um time. Você administra seu time escolhendo jogadores, conseguindo patrocinadores, contratando ou demitindo jogadores. É uma boa “mudança de ares” em jogos do tema, e que deu origem também aos genéricos Elifoot e Brasfoot.
  • Pelé Soccer I e II: um dos primeiros jogos de futebol pra videogame. Se é que podemos chamar isso de um jogo de futebol. Jogam 4 x 4, sendo um goleiro. O Pelé Soccer chegou a receber uma versão para o Mega Drive, mas para o Atari… bem… é o que tinha pra época.
  • International Superstar Soccer (e Soccer Deluxe): provavelmente o jogo de futbol mais jogado no SNES (tinha pra Mega Drive também =D), é o precursor do Pro Evolution Soccer. Jogo da Konami, cujo Konami Code ativava juízes e bandeirinhas que era cachorros. Clique no link para jogar ISS online.
  • NeoGeo Super Sidekicks: um dos primeiros jogos de futebol pro NeoGeo. O melhor foi a edição 3.
  • NeoGeo Tecmo World Soccer (1996): o jogo de futebol mais popular dos fliperamas brasileiros. Ele trazia um áudio sensacional para a época, com grito de torcida, controle de bola na hora do escanteio, e comemorações com animações dos jogadores.
  • Super Mario Strikers (2005 – Gamecube) e Super Mario Strikers Charged (2007 – Wii): jogo de futebol ligeiramente alterado para o estilo de Mario Kart, sem árbitros ou faltas, com os personagens da franquia Mario. Há uma jogada especial de gol que vale 10 pontos.

Saiba Mais

  • A Regra é Clara: um dos melhores árbitros de futebol de todos os tempos, juiz da partida final da Copa do Mundo de 1982, Arnaldo Cezar Coelho revela aspectos de sua vida ligados ao futebol e a arbitragem. Além disso, A Regra é Clara apresenta as 17 regras do futebol: sua origem e seu desenvolvimento histórico, incluindo comentários e respostas para questões difíceis, comentando também casos bastante curiosos envolvendo árbitros do futebol brasileiro e internacional e uma história da arbitragem nas Copas do Mundo.
  • Anthenor Júnior

    O quadribol não era jogado com o quadril, né? hahaha

    • Flavio Henrique

      HAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAH badum tsss

  • Flavio Henrique

    Acabei de indicar esse cast num post do Cardoso nesse link:
    http://meiobit.com/308757/super-bowl-2015-comecou-economizando-energia-em-iluminacao-usando-led/
    Silmar está me devendo uma coxinha hahahahahahahahaha

  • Homem Que Não é Possível

    Nossa!
    Discordo totalmente da Ana!
    Nunca vai se ter o mesmo esforço para uma atividade em que se tem uma recompensa do que uma atividade em que não se ganha nada!
    Essas medalhas que ela mencionou são medalhas de participação!
    E mesmo que a pessoa queira se iludir de que os dois time subam ao pódio iguais, as crianças sempre vão contar vantagem umas com as outras quando não tiver um adulto para ver…
    Aí ela diz que numa situação ideal em que se tem recurso abundante em todas as áreas (seja financeira, sexual ou alimentar) não há competição… Sim! Isso se chama utopia! E utopia por definição “é a ideia de civilização ideal, fantástica, imaginária. É um sistema ou plano que parece irrealizável, é uma fantasia, um devaneio, uma ilusão, um sonho. Do grego “ou+topos” que significa “lugar que não existe”.”
    Ou seja, em uma situação que não existe, não há competição.

%d blogueiros gostam disto: