Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

SciCast #203: Carlos Magno e o Sacro Império

por em sex 16America/Sao_Paulo jun 16America/Sao_Paulo 2017 em Destaque, Scicast | 22 comentários

SciCast #203: Carlos Magno e o Sacro Império

Sejam bem vindos Deviantes e Derivadas a mais um SciCast histórico!

Essa semana vamos falar de Carlos Magno! Essa figura quase mítica do imaginário medieval!

*Este episódio, assim como tantos outros projetos vindouros, só foi possível por conta do Patronato do SciCast. Se você quiser mais episódios assim, contribua conosco!*

Arte da Capa:

 


Publicidade:


Redes Sociais:


Saldão da Loja do SciCast – corram!


Expediente:

Produção Geral: Tarik FernandesHosts: Fernando Malta e Marcelo Guaxinim. Edição: Talk’ nCastEquipe de Pauta/Gravação: Matheus Professor BarbadoWillian SpenglerRoberto Pena e Dany Madrid Vitrine: Jânio Garcia (PortfólioInstagram)


Material Complementar:

SciCast #190: Estado e Nação

SciCast #193: Expansão Árabe

 

Sugestão de literatura:

ARIÈS, Philipe e DUBY, Georges. História da Vida Privada. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, vol. I e II.

BANFIELD, Susan. Carlos Magno. São Paulo, Nova Cultural, 1988.

BASCHET, Jérôme. A Civilização Feudal. São Paulo: Globo, 2006.

DUBY, Georges. Guerreiros e Camponeses. Lisboa: Estampa, 1978.

ESPIG, Marcia Janete. A presença da gesta carolíngia no Movimento do Contestado. Canoas: Ed Ulbra, 2002.

FAVIER, Jean. Carlos Magno. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

LE GOFF, Jacques e SCHMITT, Jean-Claude (dir.). Dicionário temático do Ocidente Medieval. Bauru: EDUSC, 2002.

LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente Medieval. Lisboa: Estampa, 1986.

LE GOFF, Jacques. Heróis e maravilhas da Idade Média. Petrópolis: Vozes, 2009.

MELLO, José Roberto. O Império de Carlos Magno. São Paulo: Ática, 1990.

MENDONÇA, Sônia Regina de. O mundo carolíngio. São Paulo: Brasiliense, 1985.

QUINTANA, Juan Carlos Rivera. Breve História de Carlomagno y el Sacro Imperio Romano Germânico. Madrid: Nowtilus, 2009.

 

Sugestão de vídeos:

 

Sugestão de filmes:

“Charlemagne”

“Au temps de Charlemagne”

 

Sugestão de links:

 

Sugestão de games:

Attila Total War – Age of Charlemagne

Crusader Kings II: Charlemagne

Sid Meier’s Civilization IV: Beyond the Sword

  • Lucas Marques

    Parabéns pelo trabalho

  • João Farias

    Essa Canção de rolando é a mesma história que inspirou a Torre Negra, do Stephen King?

    • Seria esse Rolando o mesmo que aparece no Final Fantasy Tactics?

  • Eu sempre tinha lido ou ouvido falar (livro de nome de bebês) que o nome Carlos (assim como suas derivações Charlies, Carl e etc), tinha a ver com ser alguém ligado a terra e sensato. :D

    Parabéns pelo episódio, esse definitivamente fez jus a frase de encerramento, foi muito divertido escutar, sou muito fã dos dois Magnos o Charlinho ai e do Alexandre Macedão. :D

    Ass.: Carlos “Alexsander Magno” :D

  • Marcus Barros

    Pessoal, não sei se perdi alguma coisa, mas o que aconteceu com o República Deviante?

    • Fernando Malta

      Voltará em breve! ;-)

  • Miguel Nakajima Marques

    Episódio excelente!
    Apesar de ter visto esse assunto na escola, só me interessei depois de assistir a série Vikings do History Channel.
    Na série os Vikings invadem as terras dos “descendentes” de Carlos Magno.
    Interessante ver de onde veio toda a mítica em volta de Carlos Magno que dura por muito tempo.

  • Matheus Pereira Furlan

    q n era nem sacro, nem imperio e nem romano

  • Riveiro

    Tenho prova sobre o assunto essa semana. Obrigado! ?

  • Marcelo Paz

    Já que o documento de doação de constantino é um documento venéreo ( 30m22), que alguém o leve para procurar tratamento médico.

  • Eric Souza

    Olá, Deviantes!
    Espero que a minha pergunta seja relevante.

    Quais são as provas mais procuradas ao fazer um estudo da História?

  • Julliana

    É sério que o Pippin de senhor dos anéis correu grave risco de se chamar Pepino em português?
    Mas quem é que traduziu esses nomes? Eu já achava estranho James para Tiago, William para Guilherme, mas essa foi demais.

    • Daniel Cavassani

      Portugueses, para variar. Tenho uma enciclopédia em PT, e as vezes chega a ser cômico os nomes.
      Porém não seria correto chamar de traduções, mas sim versões. William para Guilherme parece estranho, mas quando lembramos do Wihelm no meio, não parece mais ser tão estranho. Agora Pippin pra Pepino é sacanagem mesmo.

  • Darley Santos

    Carlos Magno é um baita personagem! Tirando-se a camada mítica do homem, ele foi de uma importância providencial! Valeu pelo passeio histórico! Mas… às vezes é algo “so boring” essa atitude sarcástica e cética típica de historiadores pós-modernos, assim saídos da universidade… But, that’s ok!

    • Fernando Malta

      Oi Darley, obrigado pelo comentário e pelos elogios!

      Sobre o “so boring”, você poderia especificar o momento onde nossos historiadores tiveram atitudes “sarcásticas e céticas” que não nos infames comentários sobre as infelizes escolhas de nomes pra época? =P

    • Darley Santos

      Impressão minha, ou uma hora eu realmente cheguei a escutar a música de Assassin’s Creed Brotherhood???

  • De deixar desnorteado o início desse episódio, pensava que já tinham se esgotado as piadas com os nomes carolíngios com os episódios anteriores.

  • Carlos Henrique Barbosa

    Excelente cast!

  • Sou fã do trabalho de vocês, mas creio que neste episódio, em determinados momentos, o excesso de piadas prejudicou a clareza do conteúdo.

  • Antonio Carlos da Graça Mota D

    O pai de Carlos Magno era um Hobbit! Pippin, the Short.
    Só não vê quem não quer…

  • Paulo Artur

    Foi um dos melhores episódios de história, já escutei umas três vezes. Parabéns a todos.

  • Lisbeth

    Muito legal ouvir alguém comentando dos Merovíngios – mesmo q super brevemente.

%d blogueiros gostam disto: