Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Crítica | A Torre Negra

por em dom 27America/Sao_Paulo ago 27America/Sao_Paulo 2017 em Devaneios do Pena, Entretenimento | Nenhum comentário

Crítica | A Torre Negra

Nova adaptação de Stephen King para as telas de cinema, A Torre Negra abre mão dos mistérios e complexidade da trama original e conta uma aventura simples, sem grandes surpresas, que faz uso de cenas de ação e efeitos visuais para tentar agradar ao público.

O filme, que mistura fatos e personagens apanhados de trechos diversos dos 7 livros que constituem a obra original, acompanha a vida de Jake, um garoto de Nova Iorque atormentado por sonhos relacionados a uma suposta torre que protege a humanidade do “fogo e escuridão”. A trama começa quando a tal torre parece estar sofrendo ataques constantes de seres de outras dimensões, e Jake percebe que seus sonhos são mais reais do que parecem. Assim, o garoto irá ingressar numa aventura, junto com o pistoleiro Roland (Idris Elba), para impedir os planos do vilão Walter (Matthew McConaughey) em destruir a Torre Negra.

Está parecendo uma história infantil? É isso mesmo. O filme não explora o enredo nem aprofunda os personagens. Matthew McConaughey, o ator que já venceu o Oscar por sua atuação em Clube de Compras Dallas, faz um vilão sem grande destaque, apenas reproduzindo clichês. O clima desolado, cadenciado, misterioso que permeia os livros, os saltos temporais e os desequilíbrios da narrativa original, são deixados de lado nesta aventura típica de Sessão da Tarde. Mas se você estiver esperando apenas uma história com grandes cenas de ação, lutas enfurecidas e efeitos deslumbrantes, talvez A Torre Negra possa te agradar.

%d blogueiros gostam disto: