Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Portugal funcionando somente com energia sustentável

por em 24/05/2016 em Notícias | Nenhum comentário

Portugal funcionando somente com energia sustentável

O sonho molhado de todo bicho grilo se tornou realidade pelo menos para os bichos grilo portugueses. O pequeno país ibérico “funcionou” somente com energia sustentável, mesmo que por somente 4 dias, mas já é uma grande prova que as fontes de energia renováveis são competitivas, confiáveis e vieram pra ficar.

Depois de analisar os dados, a associação de energia renovável português determinou que entre 06:45 de 7 de maio e 17:45 de 11 de maio, o uso total de energia de Portugal estava todo coberto por fontes de energia renováveis.

O Fórum Econômico Mundial relata que Portugal vem construindo as suas fontes de energia renováveis para os últimos anos. Em 2013, o país teria gerado 7,5 por cento de sua eletricidade com energia eólica, aumentando para 22 por cento no ano passado. Portugal tem cerca de metade da sua energia a partir de fontes renováveis (incluindo energia solar e hídrica) em 2015.

Planta fotovoltaica Amareleja (Moura)

Planta fotovoltaica Amareleja (Moura)

Enquanto quatro dias não parece muito, é uma perspectiva animadora de que um país inteiro pode satisfazer suas demandas de energia através de fontes renováveis. Talvez ele irá inspirar aqueles que são particularmente impulsionados pela concorrência amigável.

Este resultado veio após 17 anos de um política de incentivo a energia sustentável chamado “Estratégia Nacional de Energia”, criado para reduzir a dependência externa do país em relação aos combustíveis fósseis, tal projeto levou o país à liderança em matrizes energéticas renováveis no mundo.

mapa eolicas

mapa eolicas

Cinco eixos norteiam o plano: agenda para a competitividade, crescimento e independência energética e financeira; aposta nas energias renováveis; promoção da eficiência energética; garantia de abastecimento; e sustentabilidade econômica e ambiental.

Além de focar nas fontes de energia hidrelétrica, eólica e solar, o plano prevê a implantação de “smartgrids” e novas formas de iluminação pública, que já tem projetos piloto nas cidades de Évora e Guimarães. Existe também o estímulo à produção local, com a instalação de painéis de energia solar em casas, que podem vir a fornecer energia excedente para a rede elétrica.

O plano abrange estratégias até 2020 para o consumo de petróleo e gás natural, o desenvolvimento de fontes de energia renováveis, a introdução de carros elétricos e o aumento de eficiência da rede elétrica do país.

Fontes: Polular Science

Modo Noturno