Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

O que é o Ouro leve?

por em 01/07/2020 em Ciência, Notícias | Nenhum comentário

O que é o Ouro leve?

Em geral o que me leva a escrever são reflexões aleatórias que me vêm à cabeça, e eu penso, ISSO DARIA UM TEXTO, HEIN! Normalmente eu não boto elas no texto, porque, bom, não cabe muitas das vezes, mas dessa vez eu não pude deixar passar. Vamos lá! Você já parou pra pensar na quantidade ABSURDA de peso que deve ser andar por ai assim?

Esse é o Datta Phuge, que se auto intutulou “O Homem de Ouro de Pimpri”

Ouro é um dos elementos puros mais densos que tem. Ouro puro tem uma densidade de 19,3 g/cm³. Só para você ter uma ideia, o chumbo, que normalmente é nossa referência de “coisa pesada”, tem uma densidade de 11,3 g/cm³, é quase a metade do ouro. Então se o falecido Datta Phuge tivesse usado uma camisa de chumbo, seria quase que 2x mais leve do que ter usado essa de ouro. Sério, um puta de um esforço só pra ostentar uma grana. Fora os problemas de coluna que depois dinheiro nenhum no mundo vai te resolver.

Pois então,

com certeza não foi pensando em resolver esse problema de coluna, mas existe um esforço de pesquisa mundial para desenvolver ligas de ouro mais leves. O ouro padrão 18k possui normalmente uma densidade entre 15 a 16 g/cm³, isso ainda faz com que soluções de engenharia em ouro sejam muito pesadas.

PAUSA

Acho que cabe aqui uma ligeira explicação sobre o padrão de quilates. Bem resumidamente 1 quilate é 1/24 de porcentagem de ouro na liga. Ou seja, uma liga de ouro 18 quilates, tem 18/24 % em massa de ouro na liga. Normalmente o resto ou é cobre ou prata, mas NÃO NECESSARIAMENTE. Eu nem vou entrar aqui no mérito de por que usar uma medida TÃO ZOADA ASSIM! Mas como regra geral, metais preciosos têm diversos padrões fora do nosso sistema métrico (vulgo O MELHOR SISTEMA), por motivos puramente históricos.

FIM DA PAUSA

Voltando ao assunto, nem só de OSTENTAÇÃO vive o mercado de ouro, diversas aplicações de engenharia utilizam ligas de ouro como solução. Ouro é usado como catalisador de reações, escudos de radiação em espaçonaves, contato elétrico de alta performance, dentre diversas outras. De uma forma geral, reduzir o peso de um produto é reduzir custos (ÓBVIO que isso não é uma relação direta, está mais pra uma tendência). Então ligas de ouro, que mantenham as propriedades do ouro e tenham menores densidades, possuem um atrativo muito alto para quase toda a indústria.

É aí que chegamos no nosso assunto do dia. Ouro leve, uma forma de unir as propriedades do ouro com a baixa densidade de polímeros. Sim, parece estranho, mas ouro leve é uma liga de ouro com polímeros. E mais ainda, com espumas poliméricas. Eu já falei aqui sobre dois outros tipos de espumas, as metálicas, e as cerâmicas, e dessa vez chegou a vez das poliméricas.

Uma equipe de pesquisadores suíços,

desenvolveu uma técnica para unir ouro com uma matriz de Poliestireno (PS) formando uma liga com densidade real de 3,6 g/cm³ e densidade aparente de até 0,7 g/cm³. Não só isso como ainda conseguiram manter excelentes propriedades mecânicas no material, o que vinha sendo um problema para as outras ligas leves que vinham sendo desenvolvidas.

Mas como eles fizeram isso? Calma, eu te explico. (Se não, qual seria o propósito do texto né?)

O primeiro passo foi criar uma solução contendo íons de ouro e fibras de proteínas que servem para reduzir esses íons a nano partículas de ouro. Depois eles adicionaram nano partículas de poliestireno na solução e formaram um gel disso tudo. Com esse gel você pode moldar livremente o seu material e depois remover a fase líquida dele, fazendo a espuma sólida.

Eu expliquei de forma ULTRA RESUMIDA

e pulando todos os termos e detalhes técnicos, porque não é esse o objetivo aqui, mas gosto sempre de deixar a recomendação de que, se você se interessou, leia o artigo original, já te facilitei e deixei o link aqui ó. Lá eles descrevem em todos os detalhes, o método e as variações possíveis no método.

Mas bom, depois desse processo nós chegamos nisso aqui:

Não parece muito com ouro né? É que o poliestireno é um polímero cristalino, então ele precisa ainda passar por um processo chamado recozimento, para que a matriz fique transparente e deixe o brilho natural do ouro aparecer (parece frase motivacional né?)

TCHARAM! Agora tá parecendo ouro REAL OFICIAL né? E se você quiser ainda dar um tapa de polimento nele ele fica assim:

Lembrando que essas peças estão assim porque são corpos de prova, sem nenhuma preocupação com o aspecto estético da peça, mas hoje já temos tecnologia para produzir espumas com acabamentos muito superiores a isso. Então, uma vez que essa pesquisa venha a se transformar em tecnologia de fabricação, poderemos muito em breve ter uma camisa como aquela do Datta Phuge no modelo ESPORTIVO.

Por mais divertido (A ciência TEM QUE SER DIVERTIDA) que seja pensar nisso, provavelmente não vão usar essa tecnologia pra fazer camisas e sim pra fazer escudos de radiação de espaçonaves.

Modo Noturno