Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #45: Bioinformática

por em sex 05America/Sao_Paulo set 05America/Sao_Paulo 2014 em Destaque, Scicast | Nenhum comentário

Scicast #45: Bioinformática

A Bioinformática já é um exemplo de convergência de duas áreas do conhecimento, Informática e Biologia. Embora tenha detido destaque a partir dos últimos esforços para decifrar o genoma humano, seu escopo é muito mais amplo e envolve abordagens de expressão gênica, modelagem de moléculas, estudo de vias metabólicas, entre outras.

Com a ajuda de André e da irmã mais nova da Estrela, Super Nova Mabi, Silmar, Ronaldo, Marcelo e nossa representante cósmica preferida exploram as nuances do cruzamento de áreas do conhecimento tão distintas.

Foto da Vitrine: Pablo Rigamonti.

Diretoria

Comentado no Episódio

Vídeos

  • Médicos de Londrina usam kinect para manipular imagens em salas cirúrgicas: usando apenas o dispositivo, uma tela de 59 polegadas e um computador com Windows 7, os médicos conseguem controlar imagens digitais à distância, com o movimento das mãos. O grande atributo é software: o Intera permite que o médico amplie uma imagem para observar seus detalhes, o que é impossível no exame impresso. É possível também, no caso de exames que capturam uma sequência de imagens, vê-las como em uma animação, controlável com as mãos. Como o médico não tem contato com os exames, isto possibilita ainda a redução dos riscos de infecção hospitalar. O Intera pode ser controlado a uma distância de até 4 metros da tela, alternando entre imagens, com simples movimentos. Diversos hospitais pelo mundo já usam o Kinect para fins médicos. O Intera está em teste no Hospital Evangélico de Londrina desde janeiro deste ano e deve ser instalado em suas 12 salas até o fim do ano. A equipe médica responsável já solicitou a patente do software Intera.
  • “Google Glass”: o Informata Biomédico usa computadores como plataforma e cria ferramentas aplicadas a medicina e biologia. O Google Glass é um dispositivo que amplia as possibilidades desse profissional, que pode propor soluções e desenvolvimentos de novos softwares, pois se comunica e entende com clareza na área de informática e biociências.
    Há várias empresas como a Google e Royal Philips que estão percebendo a necessidade de melhorar a eficiência na realização de processos cirúrgicos e estão criando laboratórios (‘Google X’ e ‘Digital AcceleratorLab’, respectivamente) para que a tecnologia possa estar a favor da saúde. Portanto, a formação deste tipo de profissional multi e interdisciplinar é essencial, pois ele possui uma ampla visão sobre as áreas propiciando criatividade e inovação. Veja o Google Glass sendo usado:

    • Em hospitais: enfermeiros (que utilizam recursos da plataforma HANA – que usa tecnologia in memory para processar grande quantidade de dados em alta velocidade) verificam o plano de percurso apresentado em seus óculos inteligentes e, em seguida, saem com suas bandejas de medicação.
    • Em cirurgias: em cirurgias, o Google Glass pode ser utilizado para orientação, tanto com chamadas de vídeo com outros médicos, quanto para pesquisas na internet, e isto sem precisar parar qualquer procedimento. Assim, este aparelho permite que seja possível ver as imagens e vídeos e ao mesmo tempo não tirar os olhos do paciente.
    • Outros casos: pacientes com altos riscos de contaminação e doenças graves, infelizmente, passam horas, dias, meses e até anos dentro de quartos de hospitais, o que gera um grande estresse e a possibilidade de pioras em seus quadros clínicos. Pensando nisso, em um futuro próximo, o Google Glass pode auxiliar estas pessoas a conhecer o mundo além das quatro paredes do quarto.
  • A Cirurgia Robótica Minimamente Invasiva: disponível para o tratamento de diversas patologias, pode beneficiar pacientes na diminuição da dor e do desconforto no pós-operatório, na diminuição de perdas sanguíneas durante o procedimento, no menor tempo de permanência no hospital e ainda oferece a oportunidade de retorno mais rápido às suas atividades diárias.
  • Pesquisador comenta sobre bioinformática, sua importância e perspectivas (Inglês)

Cinema

  • GATTACA – Experiência Genética (Gattaca, 1997): em um futuro no qual os seres humanos são criados geneticamente em laboratórios, as pessoas concebidas biologicamente são consideradas “inválidas”. Aos pais é dada a oportunidade de escolher e manipular a interação entre seus gametas, para gerarem filhos com a combinação melhor de qualidade genética possível. Esse procedimento acaba criando uma distinção de quem está mais apto para fazer o que na sociedade. Vincent Freeman (Ethan Hawke), um “inválido”, consegue um lugar de destaque em corporação, escondendo sua verdadeira origem. O filme aborda as preocupações sobre as tecnologias reprodutivas que facilitam a eugenia e as possíveis consequências de tais desenvolvimentos tecnológicos para a sociedade.
  • SPLICE – A Nova Espécie (2009): Elsa e Clive, dois cientistas revoltosos que renunciam acordos jurídicos e éticos, desafiam a ciência para forjar um perigoso experimento: combinam os DNAs de um humano e um animal para criar um novo organismo. Batizado com o nome “Dren”, a criatura rapidamente se desenvolve, passando de uma jovem criança deformada a uma bela e perigosa quimera. Inicialmente o novo ser cria uma relação de afetividade com seus criadores, mas não tarda a mostrar seu lado mortal.

Games

  • Assassin’s Creed: o Animus é uma máquina que analisa o DNA dos indivíduos e faz eles reviverem memórias dos seus ancestrais. Este equipamento produz diversos dados analisados pela técnica Rebecca Crane (a bioinformata em questão).
  • Prototype: o game conta a história de Alex Mercer, um homem transformado numa arma biológica, assombrado por seu passado e que luta em uma guerra secreta na cidade de Nova York. Logo entra em cena uma trama que ameaça o futuro da humanidade. O protagonista, com seus poderes mutantes, é capaz de transformar-se em uma réplica perfeita daqueles que atravessam o seu caminho, roubando inclusive habilidades e poderes. Mercer é capaz de usar diversas armas, mas seu próprio corpo já é uma máquina de guerra: o braço, por exemplo, pode se transformar num instrumento perfurocortante e estraçalhar quem estiver pela frente.
  • The Elder Scrolls V: Skyrim: edição da fantástica série de RPG agora na região de Skyrim, em que a antiga profecia do retorno dos dragões representa uma ameaça terrível para o mundo. Você pode criar personagens combinando tipos diferentes de DNA e personalizando várias partes do corpo. Também existe a seleção de raça onde você pode, por exemplo, escolher ser um Argonian, uma mistura de humano com lagarto.
  • SPORE: crie e comande uma criatura exclusiva em uma jornada épica por um universo criado por você. Passe pelas cinco fases evolutivas do SPORE: Célula, Criatura, Tribal, Civilização e Espacial. Cada uma das fases possui desafios e objetivos diferentes. Você pode começar como uma célula e acompanhar a evolução de uma espécie desde suas humildes origens aquáticas até a transição para uma raça inteligente. Você também pode começar criando tribos ou civilizações em vários planetas.
  • Minecraft – Advanced Genetics Mod: o mod permite que o usuário consiga habilidades especiais dos mobs de Minecraft através de genes que você pode infundir no seu personagem. A função principal do mod é ganhar a habilidade dos genes, mas existem blocos no game que você deve produzir para infundir os genes externos com os seus.
%d blogueiros gostam disto: