Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #131: Trabalho

por em sex 15America/Sao_Paulo abr 15America/Sao_Paulo 2016 em Destaque, Scicast | 28 comentários

Scicast #131: Trabalho

Olá Deviantes e Derivadas, sejam bem vindos a mais um SciCast! E olha que esse deu trabalho… Essa semana vamos falar de… trabalho: sua origem, sua implicação social, seus pensadores e sua necessidade!

Descubra: O que é trabalho? Quem foi o primeiro a ter essa ideia absurda? O trabalho é o que forma o homem? Quem foi Karl Marx e quais era suas ideias? Porque esse senhor de barbas longas e camiseta vermelha é tão polêmico? E, principalmente, qual a profissão mais antiga do mundo?

Print

Capa131

Publicidade:

Quer dar um Up na sua carreira ou conhecer as novas possibilidades de carreira que você pode seguir? Acesse o site do Carreira 21 e inscreva-se no evento Gestão de Carreira, não perca, de 25 a 28 de Abril (semana que vem, corre!).

Além disso, acompanhe o blog que têm artigos, palestras e muitas novidades!

Marie Curie Front

 

Contato Comercial:

Redes Sociais:

Aperte o pause:

 

Produção Geral: Tarik FernandesHosts: Fernando Malta e Marcelo GuaxinimEquipe de Gravação: Willian SpenglerJuliana Vilela e Nicolas Réus. Arte da Vitrine: Google imagens.

 

Comentados no Episódio e Sugestões de Leitura:

ANDRADE, Mario de. Macunaína, o herói sem nenhum caráter. Rio de Janeiro: Agir, 2008.

BOYLE, David (org). O Manifesto Comunista de Marx e Engels. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

DARMO, Paulo S. do. História e ética do trabalho no Brasil. São Paulo: Moderna, 1997 (Coleção Polêmica).

FRIEDMAN, Thomas. O Mundo é Plano. 2005.

HENDERSON, W. O. A Revolução Industrial. São Paulo: Verbo/EDUSP, 1979.

OLIVEIRA, Carlos Roberto de. História do Trabalho. São paulo: Ática, 2006 (Série Princípios).

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

WEBER, Max. A gênese do capitalismo moderno. São Paulo: Ática, 2007.

GORZ, André. Metamorfoses do trabalho: crítica da razão econômica. São Paulo: Annablume, 2007.

Nômades Digitais

Sugestões de vídeos:

  • Vinícius Felipe

    Pessoal, parece que o áudio tá corrompido!

    • SciCastPodcast

      consertamos.

  • Thomas Ghadban

    Pois é, o podcast por enquanto ainda não tá funcionando :'(

    • SciCastPodcast

      Agora vai…

  • MarceloGuaxinim

    AI vamos resolver guenta ai.

  • Igor Navarro Rabelo

    Ta dando trabalho pra ouvir esse

    • SciCastPodcast

      Agora vai :)

  • Vocês falam leiam Marx, e eu falo Leia Marx e depois Misses, vamos ver quanto tempo vão achar o Marxismo bom, afinal onde ele foi aplicado foi uma MARAVILHA! Fora que o socialismo está presente em países capitalistas, estatais são simplesmente socialismo.

    • Willian Spengler

      Salve! A fórmula (a meu ver) é mais ou menos assim: ler para conhecer (não se falou em concordar com aquilo que se lê); conhecendo os argumentos apresentados, abre-se a porta para a realização das críticas necessárias. Saudações!

  • Willian Spengler

    Aqui o cartaz mencionado no cast: o relógio marca oito horas, numa alusão à principal reivindicação dos trabalhadores franceses naquele momento: a jornada de trabalho de oito horas. Desde a primeira Revolução Industrial, quando a jornada de trabalho chegava a 15 horas diárias, os operários procuraram se organizar e reduzi-la, como forma de melhorar o padrão de vida.

  • Guilherme Cioccia

    esse ta polemico?

    • Fernando Malta

      Citamos mamilos algumas vezes, mas no geral passa. ;-)

  • Luiz Angelo Ceron

    Só eu me incomodo em ter q converter o arquivo para MP3?

    Cada conversão é feita em separado… dá até dó de quem disponibiliza o serviço de conversão!

    Disponibilizem o arquivo tbm por favor, nem que de forma extra-oficial (4Shared e afins)

    • Marco Faleiro

      Também me incomodou isso. Mp3 é bem mais universal. Meu celular, que é mais humildão, nem reproduz o m4a. Aí fica difícil…

  • Inoue

    Interessante,quando era mais novo eu pensava em me formar e trabalhar com algo que eu gostasse,pois é,não deu certo.Hoje em dia eu aprendi que só tenho que gostar do que faço.
    Vida longa e próspera.

  • Vinicius Roggério da Rocha

    Esse episódio foi muito bom para ouvir sobre conceitos como mais valia e sobre Karl Marx de modo racional, sem discursos inflamados e passionais

    • Fernando Malta

      O caminho do meio, sempre. ;-)

  • Vinicius Roggério da Rocha

    Sobre o livro “O Capital”, existe uma versão em quadrinhos muito interessante: http://www.monolitonimbus.com.br/o-capital-em-quadrinhos/

  • Andrey Santiago

    Hora de botar o Scicast em dia!

  • Andrey Santiago

    A propósito, uma dica para o download, upem no Mediafire o podcast, ele é ótimo, fácil de mexer e rápido de baixar :)

  • Tauan

    Vocês já pensaram em fazer um podcast sobre Ciência Política?

    • Fernando Malta

      http://deviante.com.br/podcasts/scicast/49-democracia/
      :)
      Mas sempre falamos um pouco sobre volta e meia.
      Dentro em breve, também abordaremos o tema especificamente, mas com outro foco. ;-)
      Mas se quiser dar uma sugestão específica, fique a vontade!

      • Tauan

        Ciência Política mesmo, dando um histórico de Maquiavel por exemplo. Volta e meia vocês falam de história e contextualizam, mas nunca entraram de cabeça na definição e na história do que se conhece por “Ciência Política”

        • Fernando Malta

          Anotado aqui. =)

  • Diegolinkk

    pessoal, desculpa minha ignorância sobre o fato, mas eu não acompanho todos os episodios.

    Cadê o Silmar? o.O

  • Thiago Costa

    Seria interessante vocês terem alguém no cast que conhecesse melhor o campo religioso.
    Pois a diferença entre Protestante e Católicos que levou a reforma não estava no fato de uns crerem que o destino de salvação não pode ser alterado enquanto católicos criam no perdão de pecado várias vezes.

    Protestantes questionavam que a salvação era exclusiva pelo perdão do pecado pela fé em Jesus, excluindo para isso qualquer prática humana.Não tem relação com saber ou não.

    Enquanto o catolicismo agregava a fé em Jesus a necessidade das indulgências e outras práticas realizadas pelo Homem.

    Por isso há o choque entre
    Fé sem obras = Protestantes
    Fé + obras = Católicos.

    • Willian Spengler

      Salve! A tônica aqui era a visão estabelecida por Max Weber. Por isso não comentamos sobre indulgências, relíquias e afins. Sobre as diferenças entre as Igrejas Cristãs, estabelecidas a partir da Reforma, torço, assim como tu, para que exista um cast específico sobre o tema. Afinal de contas, é um assunto muito interessante, concorda? Saudações!

%d blogueiros gostam disto: