Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #95: China Antiga

por em sex 14America/Sao_Paulo ago 14America/Sao_Paulo 2015 em Destaque, Scicast | 40 comentários

Scicast #95: China Antiga

SciCast_MP3Cover

Tentar falar de culturas tão distantes da nossa sempre é um desafio, um desafio que também atinge os pesquisadores. Tentamos adaptar e comparar períodos e momentos que nós, do Ocidente, vivemos com nossos irmãos do Extremo Oriente, mas isso nos leva à muitos erros que, felizmente, já vem sendo corrigidos por novos pesquisadores… Ou não.

Hoje falaremos de uma cultura Milenar, tão importante quanto Roma, Grécia, Mesopotâmia, Egito e Chapecó. Uma civilização que fundou os alicerces de todas as culturas do Extremo Oriente, assim como Roma fez para o Mundo Ocidental, tão antiga quanto a própria História registrada.

Hoje desceremos as corredeiras e longas planícies dos rios Huang-Ho e Yang-Tzé e descobriremos as origens e a formação da Grande Civilização Chinesa.

 

Produção/Apresentação: Silmar Geremia. Coordenação: Marcelo Guaxinim. Pauta: Ronaldo Gogoni e Matheus Silveira. Engenharia de Som/Edição: Silmar Geremia e Felipe Reis. Participação: Marcelo GuaxinimRonaldo Gogoni e Matheus Silveira. Convidados Especiais: Igor AlcântaraFernando Malta. Arte da Vitrine: Pablo Rigamonti.

 

Publicidade:

 

Contato Comercial:

Ajude a levar o SciCast mais longe:

Redes Sociais:

Aperte o pause:

 

 

Comentado no Episódio:

Site pessoal do Igor Alcantara – Conheça seus livros, artigos e podcasts que ele participa (PodCast Mundo Freak e TemaCast)

Links

Site história do mundo China / Civilização.

História da China – link

Site dedicado a história da china – Link

Sites bem completos, em inglês – Link, link 2, Link 3

Videos

https://www.youtube.com/watch?v=NgQz8wJ7Bok – Vídeo sobre invenções chinesas.

  • Olá SciCasters! Aqui quem fala é o Lucas Bahamut, diretamente da gringolândia!

    Recentemente, entrei pro mestrado em uma faculdade americana. Aeeeeew! Todo mundo comemorando por mim:

    ♪ └(☆o★)┐ ♪ ┌(★o☆)┘ ♪ └(★o☆)┐ ♪

    Pra minha surpresa, a grande maioria dos meus colegas de mestrado são… chinesas! (ノ゚0゚)ノ

    Não simplesmente chineses, mas chinesas, totalizando 127 dos 145 alunos do meu programa. Visto que são maioria esmagadora, eu tive que mudar meus meios comunicativos pra poder alcançá-las quando necessário.

    Se não pode vencê-las, una-se a elas! High five: ♪ヽ( ⌒o⌒)人(⌒-⌒ )v ♪

    Os chineses usam um app chamado WeChat, que mistura as ferramentas do Whatsapp com a timeline do Twitter e o sistema de fotos do Instagram. Um verdadeiro balaio de gato, mas que funciona muito bem (e tem uma versão desktop decente). Porém, tanto nos grupos de conversa quanto nas conversas individuais, eu não consigo entender o que as chinesas estão dizendo. Fui surpreendido mais uma vez: isso não acontece por causa do Inglês delas, que é muito bom, mas sim por causa dos emojis, principalmente os terríveis kaomojis. (@_@)

    Pra quem não sabe, este último é uma modalidade de emoji que usa vários caracteres para se expressar, em vez de poucos como xD ou de imagens pequenas. Eu espalhei vários nesse texto pois… que maneira melhor de ilustrar o conceito?

    Veja esta lista enorme de kaomojis: http://www.japaoemfoco.com/kaomoji-os-emoticons-japoneses/

    Eles não seriam problema se fossem usados apenas no início ou no final de uma conversa. Porém, as chinesas insistem em usá-los no lugar de palavras.

    Em vez de:

    “Não entendi o exercício do professor, fiquei brava!”

    Eu tenho que lidar com:

    “Não entendi o _〆(。。) do (´⊙ω⊙`), fiqueiヽ(≧Д≦)ノ !”

    Agora imagine um textão só disso! Profissionalismo: Onde vive? Como se comporta? Do que se alimenta? Como se reproduz? Hoje, no Globo Repórter.

    Aliás, eu percebi que elas criam um kaomoji específico pra cada pessoa, como se fosse um apelido, um substantivo próprio.
    Sempre que se referem a este professor específico, usam (´⊙ω⊙`).

    Pra elas que são adéptas da cultura dos kaomojis, não faz diferença, mas pra quem não tem experiência com esse contexto, eles atrapalham a mensagem. O que era pra facilitar e simplificar, virou expressão cultural, cresceu, e agora dificulta e complica tanto a escrita (codificação) quanto a leitura (decodificação).

    Se você é um amante de kaomoji e já está com tochas e forcados preparados, entenda que eu também gosto deles, mas dentro do limite do bom senso né. ๏[-ิ_•ิ]๏

    Diante deste problema, gostaria de recomendar este excelente texto do Manual do Mundo sobre o assunto: As fronteiras da linguagem minimalista.
    http://www.manualdousuario.net/fronteiras-linguagem-minimalista/

    Fica a dica, e boa leitura!

    • uhauahuahauhauha

      • inuyashagui

        Intercâmbio Scicast e Mundo Freak! Parabêns Igor, principalmente pelas piadas!!!!

    • Werther Krohling

      Qual o kaomoji que criaram pra você? ^▽^)/\(^▽^)

    • ThallisPHP

      (⊙.☉)7 realmente fica complicado de entender assim, me parece uma versão mais recente e minimalista daquele povo que trocava cada palavra no MSN por um emoticon com palavra desenhada ლ(ಠ_ಠლ) , ou (num nível de loucura extremo) todas as letras (ノ ಠ 益 ಠ) ノ

      Esse texto to Manual do Mundo é muito interessante, obrigado pela recomendação. (°◇°人°◇°)

    • inuyashagui

      Kra, esse kaomoji do professor parece um porco!

    • Minha esposa tem umas amigas chinesas e tailandesas e elas se falam por este programa. Aqui em Los Angeles também tem muito asiático, entao acaba-se fazendo amizade com eles.

      • O Wechat é bacana! Os grupos são bem organizados, dá pra passar arquivos de office tranquilamente e tem uma versão de desktop que não é aquela gambiarra do whatsapp.

        O problema são os usuários viciados em emojis e kaomojis hahahaha

    • Schmidt

      Esses kaomoji funcionam legal pra elas pois usam uma forma de escrita bem parecida, a escrita tradicional chinesa o hanzi, e os japoneses com o kanji que é uma adaptação da escrita chinesa ao idioma japonês. É bem complicado aprender a ler, seja hanzi ou kanji pois tem varias formas de ler e pronunciar um mesmo logograma/ideograma que parecem um monte de desenhos bacanudos.

      • Hahahaha sim. Elas me ensinam símbolos e eu finjo que aprendo.

        帅虎 (shuài hǔ): tigrão bonitão.

        • Schmidt

          Hahahahahha bem isso mesmo!!

  • Paulo Roberto Galliac

    Estão escutando a maravilhosa banda popular de rock da Mongólia Altan Urag (Marco Polo)? https://www.youtube.com/watch?v=CdkqVK0AzEk

    • zé do Desemprego

      excelente banda

  • irenildo melo da silveira juni

    Eu estou realmente confuso quanto ao número desse podcast.

    • Paulo Roberto Galliac

      Confuso ou Confúcio? Hehehe!

  • zé do Desemprego

    edição muito boa,musicas de fundo muito legais.reconheci só a banda ego fall,que aliás é uma banda de folk metal muito boa

  • André Luiz

    Excelente trabalho pessoal.
    Passem ai o nome das musicas de fundo, fantásticas

  • “Let one walk alone, committing no sin, with few wishes, like elephants in the forest. “

    • Jake, the Dog

      E esse Ghost in The Shell aí!

      • Sempre tento expremer uma! Hahaha que bacana ver que consegui te trazer do site do Jovem Nerd pra cá.

  • Malcomtux

    Homem de c# hahaha. [insira o meme do Captão America aqui.]

  • Fernando Malta

    Queridões, primeiro podcast que participo. Críticas são bem vindas. Falei bem, falei mal, falei demais, falei merda…? =D

    • Mandou super bem.

    • Prof. Barbado

      Foi muito boa sua participação cara!

  • Lucas Barretto e Silva

    Fala pessoal, nada contra, mas somente o Fernando tinha conhecimento sobre a história da China, pelo visto foi o unico que realmente fez o research a respeito, enquanto os outros infelizmente se preocuparam mais em descontruir a história chinesa, do que compreende la de acordo com o que está registrado. Ao meu ver não foi apenas uma falta de respeito com à história chinesa, mas, também à todos os grandes historiadores que dedicaram suas vidas para registrar a história chinesa dentre séculos e séculos. É óbvio que há incoerências, é impossível que haja registro de todos os fatos, mas, ainda assim há um registro oficial e um cara que confunde o Huangdi com o Qin Shi Huangdi tem que no mínimo que pesquisar antes de falar ou ao menos deixar o mano q tem conteúdo moderar a conversa. Que fique claro que quem manifesta a opinião manipula a informação. Se hoje há incoerência em muitos fatos históricos é pq muita gente apenas expressa opinião e não se importa com a informação.

    Espero que essas críticas possam ajuda-los no controle desse ímpeto de “sabe tudo” da maioria. Antes de falar sobre história respeite a história! Grande abraço!

    PS.: Fernando parabéns man, você mandou bem, mas vc tinha q ter puxado mais a responsa já q você sabia mais que todos os outros juntos e provavelmente sabia que eles estavam perdidos… Em relação ao nome “China” ainda há muitas dúvidas sobre a origem do nome de fato, e o mais provável é de que seja por causa do comércio de porcelana e não por causa da Dinastia Qin, visto q o contato efetivo com o ocidente foi muitos séculos depois.

    • Lucas Barretto e Silva

      Ahhh, Fernando!? Da uma aula pra essa galera antes do próximo Podcast.

      • inuyashagui

        Que isso kra, o Ivan trouxe muita coisa sobre o Confúcio e todos contribuíram também…

        • Lucas Barretto e Silva

          Desculpa, mas ele não falou praticamente nada, a importância do Confúcionismo é gigantesca. Num precisa ir longe para ver, é só ler no Wikipedia man. Eu acho legal os caras abrirem um espaço para bater um papo com uma temática, mas, tem q fazer o dever de casa e estudar à fundo, pois, quando se fala de história, precisão é fundamental.

          Não me levem a mal caras eu percebi que vocês manjam muito da história ocidental, mas, é preciso um pouquinho mais de respeito com a história oriental, só isso. É só a minha opinião e quis dar um toque. Para que talvez possam repensar mais em sua metodologia.

          • Fernando Malta

            Ivan e Matheus agregaram muito, Lucas, não acho que só eu trouxe algo novo. Na verdade, a pauta estava bem dividida – o Matheus fazendo a linha-mestra, falando mais do factual; o Ivan complementando mais do ponto de vista filosófico-espiritual e eu com questões sociais, políticas e assuntos gerais. Fizemos algo parecido em um cast que ainda está para sair, funcionando (ao meu ver) bem novamente.
            Sobre o nome da China, sei que não há consenso dessa origem, mas admito que desconhecia a que comentou, ou a teria citado. Obrigado!
            Um abraço!

          • Lucas Barretto e Silva

            Fernando, eu discordo de você sobre os demais, trazer confusão e desdém não agregou em nada. Mesmo assim, parabéns cara, além da humildade você é um cara muito amigo dos demais. Forte abraço.

  • Vitor Urubatan

    Eita, bora ouvir a parada.

  • Roger Vincoletto

    Muito legal o Cast, estou sempre escutando. Porém não entendo porque sempre existe a idéia de ridicularizar quem acredita na criação (independente de sua versão). Tipo não basta apenas contar as estórias que os caras acreditam, como o homo sapiens chegou lá etc. Sempre nos comentários é necessário chamar quem acredita em criação (o que é diferente de criacionista) de maluco, etc, sempre necessário diridularizar, dizer que acredita em conto de fadas. Sei que é um cast de ciência, mas é necessário ridicularizar? AO fazer isso apenas estão se igualando a criacionistas que também acham cientistas malucos, se acham superiores por ter Deus enquanto cientistas não etc… enfim… enquanto o cast estava voltado pra china estava bem legal, quando cai na ridicularização (bom tempo perdido no cast com isso) cai bastante na qualidade. Aliás os da bomba atômica foram muito legais também. Parabéns!

    • Fernando Malta

      Oi Roger, na verdade o foco foi longe de ridicularizar. Quis trazer a história da criação por dois motivos: primeiro, porque sempre gostei do mito go Pangu e seu machado :) , segundo pra mostrar que, diferentemente de boa parte das outras civilizações, os chineses não tiveram um mito criacionista ATÉ o século XIX. Isso é muito emblemático – mostra muito tanto sobre as religiões praticadas na região, como do aculturamento ocidental pós-imperialista.
      Se pareceu que houve ridicularização por nossa parte, peço desculpas; mas o ponto de sempre é desnaturalizar verdades pré-concebidas a fim de entender seus “porquês” e seus “comos”. No processo, o papo jocoso por vezes acontece, mas não desrespeitando quem acredita, e sim facilitando a compreensão de quem não conehce. :)

      • Roger Vincoletto

        Fernando eu entendi essa parte sim e a questão de como surgiram as crenças, religiões, e que isso não existia na China. Ma sempre acaba caindo em um tom jocoso. Sei que estou em um cast de ciência e apesar de eu ser um cara (muito) religioso, entendo perfeitamente que a ciência não pode colocar deus nas coisas, senão você para de pesquisar. Que os fatos tem que ser apresentados conforme a ciencia, conforme aquilo que foi comprovado e que religião tem sim que ficar de fora. Porém, quando existe um tom jocoso, de ridicularização, acho que se perde um pouco a razão manja? Meio que se coloca no mesmo nivel da galera que fala que a terra foi criada a 6000 anos, dinossauros foram colocados aqui pelo diabo e que cientistas sao arrogantes porque nao tem deus.
        Enfim, eu sei separar as coisas e nao vou deixar de ouvir o cast por causa disso com certeza, foi apenas a observação de um cara religioso mas que também ama ciencia.
        Um grande abraço!

  • Hilbert Franca

    O podcast num geral foi bem legal mas acho q perderam tempo demais falando de religião(desdenhando de religião ne mas td bem). Eu sou agnóstico, n curto religião mas acho q as vezes vcs pedem muito tempo debochando de religião e falando o óbvio. Mas no geral foi bem legal. To conhecendo o podcast agora

  • Maurien Aragaki

    Documentário sobre o primeiro imperador da China, eu gostei

    https://www.youtube.com/watch?v=ZO6Lv55fdew

%d blogueiros gostam disto: