Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Você lê o que você come? II

por em 18/03/2020 em Notícias | Nenhum comentário

Você lê o que você come? II

Olá a todos! Volto aqui para continuar falando sobre rotulagem.

É assunto para mais de metro.

Hoje vamos falar de uma fake news que rolou no Whatsapp da minha tia e que a Ana Maria Braga já explicou, mas você não viu.

Bom, a fake news que ocorreu é que o fundo da embalagem de leite tem “sinais” que dizem quantas vezes aquele leite foi reprocessado.

No fundo das embalagens tem números que significam a numeração das bobinas que foram utilizadas. Também tem uns quadradinhos coloridos. Esses quadrados coloridos são tipo um padrão para realizar a impressão de cores dos produtos e elas ficarem iguais. A gente fica meio desconfiado quando vê uma embalagem meio fora de padrão, ou com diagramação errada, cores diferentes das que estamos acostumados. Para evitar esse tipo de problemas, os fabricantes colocam em lotes de embalagens as cores específicas a serem utilizadas para que todas saiam de forma igual.

Pessoal, muito criativo, achou que isso eram cores para mostrar quantas vezes o leite havia sido reprocessado. Bom, esses fundinhos de embalagem aí na foto acima, nenhum é leite. São três produtos diferentes. Bom, as cores expliquei do que se tratam (observe nessas 3 embalagens, cada uma tem um padrão diferente, porque são produtos diferentes de marcas diferentes com designe diferente!). Outra coisa muito importante de colocar é que no Brasil é PROIBIDO A REUTILIZAÇÃO/REPROCESSAMENTO DO LEITE! Tá escrito na Legislação de Inspeção de Produtos de Origem Animal, o RIISPOA, no artigo 255 parágrafo 8: é proibido a repasteurização do leite para consumo humano direto. O Ministério da Agricultura até soltou uma Nota a respeito desse assunto, ano passado. Mas como ainda há dúvidas sobre isso, resolvi escrever aqui.

Nesse artigo do Decreto 9013/17, eles falam da repasteurização e nós profissionais da área, lemos como reprocessamento, porque não há como tirar o leite da caixa e reembalar sem fazer todo o processo de pasteurização novamente.

Se você cutucar vários produtos aí na sua casa, mesmo sem ser de origem animal, abrir a embalagem, você encontra essas marcações em vários deles.

Então, se você não sabia, agora já sabe. E, se seu tio perdeu o programa da Ana Maria explicando isso, avisa lá em casa.

Ah, antes que me esqueça! Existe sim Leite Reconstituído. Leite reconstituído é outra situação totalmente diferente dessa. O leite reconstituído é feito com leite em pó hidratado adicionado ou não de gordura. Mas não é reutilizado.

O nosso patrono Rafael fez esse questionamento. Achou até que estava antiga a questão, mas não, meus amigos!!! A treta continua viva.

Apontarei aqui um detalhe sobre o delicioso requeijão <3

Bom, no meu primeiro texto, fiz a introdução das primeiras informações que temos que ler no rótulo de um produto. Daí você vai lá, todo feliz, compra um REQUEIJÃO com amido…

OPA!!!

Cada produto tem a sua RTIQ que é o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de um produto. No RTIQ é onde são definidas as qualidades do produto, o que é, quais variações, cabem, como deve ser feito.

E o do requeijão deixa bem claro o seguinte: “2.1.DEFINIÇÃO: Entende-se por Requeijão ou Requesón (agora apenas chamado de Requeijão) é o produto obtido pela fusão da massa coalhada, cozida ou não, dessorada e lavada, obtida por coagulação ácida e/ou enzimática do leite opcionalmente adicionada de creme de leite e/ou manteiga e/ou gordura anidra de leite ou butter oil. O produto poderá estar adicionado de condimentos, especiarias e/ou outras substâncias alimentícias.
A denominação Requeijão está reservado ao produto no qual a base láctea não contenha gordura e/ou proteína de origem não láctea.” Essa definição é encontrada no Decreto 9013/17, artigo 394.

Pois isso que diz a lei pra salvaguardar o direito do consumidor. Pesquisando sobre esse assunto, gente do céu!!! Quantos questionamentos! Quantas tentativas de burlar. Quantas adaptações. Ainda não entendi exatamente se pode colocar “Requeijão com Amido”. Amido é um polissacarídeo de origem vegetal, então não é requeijão, né? Mas aí no rotulo, estão “somando” requeijão E amido. Chega até ser engraçado. Por isso que tem que ler rótulo.

Tem até uma opção de chamar de “PRODUTO LÁCTEO FUNDIDO
COM GORDURA VEGETAL”… quando ao invés de manteiga ou butter oil, colocam algum óleo vegetal na preparação. Estranho, né!

Se você clicar nessa foto delícia aí acima, tem receita de requeijão caseiro (com leite PASTEURIZADO, HEIN!!!).

Já tem mais umas três dúvidas engatilhadas aqui para o próximo texto. Mas faça isso: quando for ao mercado, olhe com carinho os rótulos e depois me conte se achou alguma coisa diferentona e comenta aqui com a gente.

Modo Noturno