Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

SciCast #209: Anfíbios

por em sex 28America/Sao_Paulo jul 28America/Sao_Paulo 2017 em Destaque, Scicast | 17 comentários

SciCast #209: Anfíbios

Sapos, rãs, pererecas, salamandras, cobras-cegas. Falemos hoje dessas lindezas esquálidas, gosmentinhas e que coaxam por esses brejos mundo afora!

Quem são, do que se alimentam, onde habitam, como se reproduzem e, acima de tudo, sair da água foi o passo evolutivo definitivo pra ganharem alma (diferentemente dos peixes*)?

Anfíbios, no SciCast dessa semana!

* Brincadeira – nós amamos vocês, seus peixotos lindos!

** Nenhuma rã foi dissecada para a produção deste episódio

Arte da Capa:

——————————————————————————————-

Publicidade: 

WORKSHOP IGOR ALCÂNTARA

[LINKS PARA AS INSCRIÇÕES COM DESCONTO ESPECIAL AOS OUVINTES DO SCICAST!]

13/08 – Ciência de Dados – Módulo I

27/08 – Linguagem R

24/09 – Ciência de Dados – Módulo II


Redes Sociais:


Expediente:

Produção Geral: Tarik FernandesHosts: Fernando Malta e Marcelo GuaxinimEdição: Talk’ nCastEquipe de Pauta/Gravação: Werther Krohling, Flavia Ward e Caio. Vitrine: Jânio Garcia (Portfólio • Instagram)


Material Complementar:

Rã Golias Africana

Salamandra com dedinhos desenhados por crianças

Bolitoglossa

Instituto Rã-Bugio

Evolução dos Anfíbios

Sociedade Brasileira de Herpetologia

Listagem atual dos anfíbios brasileiros

Ranicultura

  • Muito interessante saber a diferença entre sapos, pererecas e rãs. A história das salamandras e o fogo eu já sabia, e inclusive tive uma ex namorada que tinha uma tatuagem de uma “lagartixa” de fogo nas costas, eu tive uma briga com ela por conta de eu falar que o elemento de fogo era relacionado a salamandras e que o que ela dizia ser uma lagartixa era uma salamandra. Hoje em dia ela é doutora em biologia (perifitologia, caso exista, ou alguma área relacionada com algas, não lembro) e possivelmente ouve o scicast, logo fica o recado: “VOCÊ ESTAVA ERRADA! EU FALEI! AGORA ACREDITA EM MIM CARALEO!”.
    Teria algumas histórias de pererecas para contar da faculdade, mas acho que esse fica pro scicast proibidão aeuheauheaueauhea

    • Fernando Malta

      HAHAHAHAHAHHA
      Não somos o Nerdcast de Dia dos Namorados, mas também entregamos mensagens a seus antigos relacionamentos! =P

  • Ainda não ouvi o final do episódio e não sei se isso foi abordado (nem deveria pq não vem ao caso), mas fico curioso em saber de onde vem a relação entre perereca e vagina.

    • Werther Krohling

      Boa pergunta! Tbm não tenho a mínima idéia.

    • Carlos Henrique

      Provavelmente por ser molhada e a pele exterior da vagina lembrar uma boca de perereca

  • Comecei a ouvir ainda agora, mas já gostei do tema desde o momento que vi no feed.

  • Keera Moon

    Adorei o programa, mas preciso confessar, tenho verdadeira fobia por sapos e familiares, pouco importa a espécie. Meu relacionamento com eles é igual com o da minha sogra, nos damos bem enquanto estiverem bem longe de mim. hehehehehe.

    • Tenho uma colega vet q me pede para vistoriar os locais onde a gnt vai trabalhar antes dela entrar, pra procurar algum anfíbio perdido no local. Ela não divide espaço com eles de forma alguma. Tem fobia mesmo. Dai lá vou eu, procurando sapo e perereca pelo caminho! 😊 Eu acho divertido! Ah sim, inclusive ela é bloqueada no meu FB nas postagens de anfíbios

  • miqueias

    ri litros

  • Darley Santos

    Tenho inveja de anfíbios pelo fato de poderem viver perfeitamente em dois ambientes tão diferentes… Mas para aí a admiração! Não vou dizer que tenho fobia de sapos, mas não consigo sequer me imaginar pegando nesses bichos, coisinhas pegajosas, arrrrggh! Mas já imaginou um ser humano dotado com a mesma capacidade de “skyjump”, do chão pro céu, do céu pro chão, de pererecas?! O céu seria o limite!

  • Iara Grisi

    Olá, pessoal! Adorei o episódio. Leve e com conteúdo.
    No livro Sexta Extinção a autora diz q os anfíbios estão ameaçados. Isto é correto? Penso naquele fungo q quase dizimou as rãs do Panamá se espalhando pelo mundo. Além do desmatamento e da contaminação de rios e lagoas. Mais uma “consequência” do Antropoceno?

    • Werther Krohling

      Não lembro da autora dizer que todos os anfíbios (tenho que ler aquele prólogo novamente), mas aqueles sapos amarelos do Panamá certamente.

      Fungos e bactérias descontroladas…. imagina o caos!

      • Tem ainda os protozoários q são uma grande ameaça e por não serem muito seletivos para hospedeiros, espalham muito facilmente.

  • Queria trazer uma espécie interessante para vocês, é o sapo pipa (Pipa pipa) também conhecido como sapo do Suriname, ele é interessante por não ter aquela lingua característica dos anfíbios (a que é projetada para alcançar as presas) e por os ovos serem incubados nas costas da fêmea.
    http://eol.org/pages/332922/overview
    (Imagens fortes)
    http://media.eol.org/content/2013/02/03/12/02478_orig.jpg
    http://media.eol.org/content/2013/12/10/06/53477_orig.jpg

    • Werther Krohling

      Parece uma testa cheia de espinhas para serem espremidas!

  • Mateus Rodarte

    Curti o programa, geralmente não gosto muito dos de bio (ironicamente pois sou graduado na área).

    Mas gostaria que mencionassem mais da filogenia dos grupos. Atualmente grupos como anfíbios e os “répteis” (mencionados algumas vezes no programa) não são mais entendidos como na época em que foram instituídos, havendo uma nova forma de trata-los desde a década de 70 onde diferentes escolas de sistemática “disputaram” o papel de sistema geral de referência ocupado pela tradicional escola de Lineu.

    Sei que a utilização da classificação clássica pode ser uma escolha do scicast por se aproximar mais do modelo que aprendemos na escola, entendido muitas vezes como mais simples quando comparado à atual sistemática filogenética, mas mesmo dentro do nosso país, existem linhas de pesquisa que defendem o uso das classificações filogenéticas desde o inicio do processo de aprendizagem, argumentando inclusive que essa seria de mais fácil compreensão por parte dos alunos.

    Sei que posso ter parecido pedante, mas como um apaixonado pela área de sistemática, e como um grande fã do trabalho de vocês (cheguei a lacrimejar ouvindo o especial Caravan) apreciaria ainda mais os casts sobre grupos biológicos se utilizassem a forma mais atual (e na minha opinião mais interessante) de classificação dos seres vivos.

    Obrigado pelo trabalho de vocês e pelas horas de diversão que me garantem todas as semanas.

  • Antonio Ramos

    Acho que o filme que falam, sobre um menino que cria uma salamandra que se torna algo parecido com dinossauro, se chama Gargântua.

%d blogueiros gostam disto: