Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #115: Poker e Estratégia

por em sex 25America/Sao_Paulo dez 25America/Sao_Paulo 2015 em Destaque, Scicast | 7 comentários

Scicast #115: Poker e Estratégia

Então é natal, e o que você fez?

JOGAMOS POKER! Afinal cartas não servem só para pedir presentes a papai noel! Cartas podem trazer muito mais do que isso!

Essa semana aprenda a jogar poker sem cartas, entenda como funciona a teoria dos jogos aplicado a baralhos, aposte sem olhar suas cartas, entenda que jogo ganha de que jogo, monte um vileplume (da coleção origens ancestrais) no T1! E principalmente faça uma poker face…

Print

Publicidade:

 

Contato Comercial:

 

 

Redes Sociais:

 

Aperte o pause:

 

Produção Geral/Edição: Silmar Geremia. Equipe: Marcelo Guaxinim, Roberto Spinelli, Fernando MaltaConvidados Especiais: Renato OliveiraMarcelo Rigoli. Arte da Vitrine: Silmar Geremia.

 

 

Comentado no Episódio

 

Estratégias:

Série:

  • Lie to Me (2009-2011): Seriado centrado em um personagem baseado no psicólogo Paul Ekman. Na série ele é um expert em identificação de expressões e micro-expressões faciais e as usa para identificar possíveis mentiras. No seriado, como esperado, eles dão uma extrapolada na coisa, mas a ideia geral é que pode-se buscar incongruências entre o estado emocional e aquilo que está sendo dito ou feito. Isso não é de fato utilizado para investigações, mas no ambiente clínico pode ser bastante útil para identificar dificuldades dos pacientes. No poker essas incongruências podem denunciar intenções veladas por parte dos demais jogadores.

Filmes:

  • Maverick
  • Cartas na Mesa
  • André Ruz

    gostei muito do cast, pessoal, parabéns de verdade! Também conheci vocês na Campus Party e espero vê-los novamente em 2016. Sobre esta febre de poker, apesar de eu gostar bastante (tenho um coleção de fichas de poker de vários cassinos diferentes, inclusive as q passaram no filme do James Bond e o “Tiozinho q Chora Sangue”, do casino royale), eu acho (minha opinião) que algumas pessoas estão dando uma magnitude muito grande para o Poker, dizendo que são as mesmas habilidades para se utilizar em empreendedorismo, análise de ambiente e perigo na rua, análise financeira, inclusive dando palestras tentando até empurrar o poker como uma ferramenta essencial para você ser bem sucedido na sua carreira profissional, forçando paralelos em coisas que não tem necessidade. Já vi inclusive que para as mulheres é muito bom, pois elas podem ler as pessoas na rua e evitar um assalto.. acredito ser um pouco exagerado, principalmente essa parte que as pessoas que gostam de forçar isso, elogiam e enfatizam as pessoas que tentam botar algum paralelo desses numa conversa com elas, do tipo (exatamente! é isso mesmo! perfeito!)

    acredito que dê pra forçar paralelos com qualquer jogo, até com o jogo de batalha naval, e não vejo necessidade de forçar tudo isso para o poker. Mas nem por isso eu deixo de apreciar todos os jogos, acho demais os jogadores de poker profissionais, q é uma carreira bem difícil (eu já vi profissionais amigos meus que só tomam pau, nunca ganham nenhum campeonato, e um amigo meu q já deve estar milionário com isso, o cara é muito bom).

    Enfim, parabéns pelo cast, pessoal. Espero que não me levem a mal e nem leve como uma crítica ao trabalho de vcs.

    • Marcelo Rigoli

      Que é isso cara! Obrigado pelo feedback! É sempre muito bem-vindo!

  • Anderson Paranhos

    Não levem a mal mas sou muito mais o Truco, também é um jogo de blefe e de pressão psicológica mas muito mais divertido, o problema é que nós brasileiros não somos tão bons em espalhar nossa cultura como os estadunidenses, senão, teríamos um World Series of Truco e não essa chatice do Poker com seus jogadores tentando se mexer o mínimo na mesa, isso quando não estão de tocas ou óculos escuros pra esconder suas reações, espero um dia ver um jogador de poker com uma máscara enorme de carnaval, aí talvez o jogo fique legal.

    • Marcelo Rigoli

      Confesso que juguei muito mais truco que poker na vida, mas cada um tem as suas peculiaridades. Mas acho que o Truco não é brasileiro viu.

  • Faltou o link para a biografia do Kasparov… :(

  • Pedro Henrique Siqueira

    Ciência é tudo

  • Marcos

    Silmar ficou defendendo o Deep Blue mas teve intervenção humana da IBM no meio da partida, e isso era proibido segundo o contrato. Robôs tem limitações, ñ adianta. Algumas manobras do xadrez são imperceptíveis p/ qualquer robô, como por exemplo quando um humano sacrifica uma de suas peças pra poder derrubar duas em seguida. Depois que o Kasparov sentiu a desonestidade da IBM, ele ñ quis continuar a partida contra o Deep Blue, que estava sendo vencida por Kasparov. Por isso tem gente que fala que o robô ganhou, mas foi uma farsa.

%d blogueiros gostam disto: