Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #113: A Ciência no Cinema

por em sex 11America/Sao_Paulo dez 11America/Sao_Paulo 2015 em Destaque, Scicast | 29 comentários

Scicast #113: A Ciência no Cinema

Luz, Câmera, retoquem a cor do bebe gigante… e… AÇÃO!

Sejam bem vindos a mais um programa produzido, atuado e editado pela equipe do Scicast Podcast! Pegue sua pipoca e venha discutir se é possivel criar um bom filme balanceando entretenimento e ciência.

Print

Publicidade:

 

Contato Comercial:

 

 

Redes Sociais:

 

Aperte o pause:

 

Produção Geral/Edição: Silmar Geremia. Equipe: Marcelo Guaxinim, Juliana Vilela e Roberto PenaConvidados Especiais: Carlos Cardoso. Arte da Vitrine: Silmar Geremia, Fernanda Schuster e Maria Eduarda Schuster Geremia.

 

 

Comentado no Episódio

 

Filmes:

  • [Le voyage dans la lune (Viagem à Lua) 1902, Georges Méliès]: baseado no romance homônimo de Júlio Verne, é tido como o primeiro filme de ficção científica produzido para o cinema. O filme se inicia com uma reunião na Academia de Astrônomos da França. Os cientistas discutem os planos para uma viagem à Lua, usando trajes de trabalho, muito semelhantes às vestes de feiticeiros. Antes de embarcar na cápsula, que será lançada por um canhão em direção à Lua, eles trocam as vestes por roupas de expedição. Viagem à Lua é considerado hoje um curta metragem, em que Méliès mostra uma das visões fantasiosas que os homens possuíam da Lua nos primeiros anos do século XX. Uma expedição formada por homens corajosos que vão à Lua, onde encontram seres nada amistosos. Lá, distantes de seus locais de trabalho, os “cientistas” são capturados, mas ao final, por meio de técnicas de trucagem cinematográfica, conseguem escapar e retornar ao nosso planeta.
  • [Frankenstein, 1910 (Mary Shelley, publicado em 1818)]: o Dr. Frankenstein ousa cruzar a fronteira entre a vida e a morte ao criar um monstro humano com partes de corpos sem vida. A criatura sai em busca de sua identidade e se volta contra o criador. Esse filme não só marcou uma fase do cinema como também influenciou – e ainda influencia – muitas produções cinematográficas nessa linha.
  • [Dr. No (1962)] O personagem britânico 007 enfrenta o Dr. No, pondo fim a seu plano diabólico de destruir o mundo. A missão do Agente 007 era neutralizar a ação de um cientista louco que desejava dominar o mundo. O cientista (Dr. No) era um especialista em Física Nuclear e chefiava uma organização criminosa localizada num esconderijo numa ilha do Caribe.
  • [A máquina do tempo (1960)] Um aparato transporta Rod Taylor até uma civilização que perdeu totalmente suas características normais devido a séculos de guerra. A humanidade foi reduzida a duas classes sociais: os passivos Eloi e os repugnantes Morlocks.
  • [2001: uma odisseia no espaço (1968)] é uma contagem regressiva para o futuro, o mapa para o destino da humanidade, uma indagação para o infinito. A viagem começa no nosso passado ancestral, então salta milênios para colônias espaciais, onde o astronauta Browman entra no espaço sideral, até a sua imortalidade. Neste, o cinema questiona as invenções da ciência (as máquinas criadas pelo homem) e a possível ameaça destas à própria vida do homem. Novamente, a ideia do filme Frankenstein – ‘a criação se volta contra o criador’ – aparece nesse filme com uma nova roupagem.
  • [Westworld (1973)]: um parque de diversões onde ricos em férias podiam viver suas fantasias utilizando robôs que satisfaziam todos os seus desejos. Os cientistas eram encarregados de consertar os robôs e de fazer o parque funcionar.
  • [Meninos do Brasil (1978)]: Nesse filme, um grupo nazista põe em prática um antigo projeto do alto escalão do Partido Nazista, cujo objetivo era reproduzir geneticamente Hitler, sua família e reviver os acontecimentos que marcaram sua vida. As experiências eram realizadas por meio de células congeladas e óvulos de mulheres semelhantes à mãe de Hitler.
  • [Síndrome da China]: esse filme é um dos mais conhecidos dessa época, pois foi lançado doze dias antes de um acidente real na usina nuclear de Three Mile Island. Devido ao acidente e à intencionalidade dos produtores desse filme em alertar a população para os perigos das usinas nucleares, este pode ser considerado um marco dos filmes de ficção científica que têm o intuito de abordar questões que envolvam o ambiente e a vida. O título é uma metáfora que se refere ao efeito que poderia provocar um reator superaquecido e descontrolado derretendo e afundando no chão até chegar à China. O filme retrata a dificuldade da mídia (TV) em mostrar e alertar a população sobre os perigos de uma usina nuclear recém-construída.
  • [Indiana Jones, 1981]: e os caçadores da arca perdida (Steven Spielberg) –, dando início a uma nova fase da Ciência e do cientista no cinema. O cientista era um herói, aventureiro que usava seus conhecimentos para resolver mistérios e salvar o mundo. Era um homem fascinante, especialmente para as mulheres, para as quais despertava desejo. Além disso, era professor que despertava paixões nas alunas.
  • [Matrix (1999)]: No primeiro filme, a história acontece por volta de 2200 e mostra a luta do ser humano para se livrar do domínio das máquinas que tiveram uma evolução surpreendente após o advento da inteligência artificial. Matrix é o nome do programa de computador que simula uma realidade virtual ao qual a humanidade está presa, enquanto seus corpos reais permanecem em habitáculos. Entretanto, escondidos no interior da Terra ainda existe uma cidade povoada por seres humanos livres que tentam combater o domínio das máquinas. A grande intenção dos produtores desse filme foi confrontar o virtual à ilusão do cotidiano e nos fazer questionar a respeito do que é o real num mundo virtual e o quanto a Ciência, por meio das máquinas, poderá formar um novo tipo de humanidade.
  • [Em X-Men, 2000]: A presença dos seres mutantes que resultaram da evolução e alterações genéticas que detêm poderes de super-heróis. Os cientistas, no filme, veem esses seres como um novo degrau da evolução humana, mas os X-Men convivem com homens comuns e, muitas vezes, são considerados uma ameaça à sociedade humana. Como esse é um filme baseado em super-heróis, aparece a luta entre o bem e o mal. Alguns mutantes utilizam seus poderes para dominar o mundo, porém o filme traz a figura relevante do cientistaprofessor Xavier que percebe que os mutantes devem ser educados para controlar seus poderes e utilizá-los para o bem. Assim a educação aparece como forma de transformação e construção dos indivíduos.
  • TIBIA

    • Jacarepaguá – A zona Negativa

      Volta pro mundofreak, seu esquisito!! HAHAHAHAHA

      • inuyashagui

        HAHAHAHHA o Lucas está cada vez pendendo mais pro lado Freak da força

        • Inoue

          Mas sempre com ciência.hehehe

          • inuyashagui

            Sim! A força tem um lado cinza hahahaha

        • Paulo Roberto Galliac

          O lado Freak leva ao medo, medo leva ao ódio, ódio leva ao sofrimento.

          Que ciência esteja com vocês. KKKKKKKKK!

    • Malcomtux

      WoW. Ganhei. :D

      • Tibia > WoW
        Tibia > Vida

        • Malcomtux

          CIVIL WAR

        • Nyell Quantos

          Wow ∞> Tibia :)

    • Inoue

      Salve.

  • Richard Toledo

    oba epi novo voces sao demais

  • Wagner CS

    Quero mais Lucas Bahamut no Scicast!

  • Malcomtux

    Super episódio.

  • Pensei que o início fosse sobre um pesadelo do Silmar :D

  • Malcomtux

    Apesar da esmagadora maioria dos planetas-anões estarem longe pra burro não precisamos ir muito longe pra achar um não, basta lembrar de Ceres no cinturão de asteróides, “logo ali”.
    Coitado de Plutão, sempre sofrendo bullying, sim porque dizer que tem metade do tamanho da Lua foi como chamar baixinho de pintor de rodapé hahahaha. :D ???? Plutão é só um pouco menor que Lua mesmo é uma informação muito impressionante.

  • Malcomtux

    Quanto a “classificação” de Guerra nas Estrelas eu fico com o Cardoso e o Android do Nerdcast, o filme só é associado com ficção científica porque é no espaço e apresenta um monte de tecnologias inexistentes mas ficção científica não tem nada, é só fantasia mesmo. O próprio começo “Há muito tempo atrás numa galáxia muito, muito distante” é outra forma de começar a história com um “Era uma vez…”

    • Paulo Roberto Galliac

      Star Wars está mais para o lado da fantasia que ficção científica. São vários elementos disso na saga. Saga de herói bastardo (Arthur), que encontra um mentor com poderes (Merlin). Irmã desconhecia Leia (Morgana).

  • ThallisPHP

    Eu fiquei com medo do Cooper ser spaghettificado quando assisti Intestellar no cinema. Quando ele entrou no tesseract eu fiquei aliviado

  • Malcomtux

    Só eu achei a voz do Kewin bizarramente parecida com a do Silmar? O.o

    • Inoue

      Já ia comentar a mesma coisa,deve ser um clone.hehehe

  • Ouvindo o começo do cast achei que estava ouvindo mais um episódio do Agência Transmídia :D

  • Inoue

    Mais um episódio massa.
    Esses dias indiquei o episódio 61 sobre a primeira guerra e o cara gostou (ele só ouvia os mais famosos e não sabia que tinha outros),mandei um e-mail para ele indicando uns 15 podcasts diferentes com uma descrição básica e um link dos episódios,agora é só esperar ele digerir(ouvir) e irei mandar mais.(já devo ter ouvido mais de 100 podcasts diferentes,a cada 6 meses reavalio minha lista e troco alguns,mas tem uns 9 que desde que comecei a ouvir nunca saíram da lista.

    Ps. Cada vez que sai um episódio de história eu faço uma maratona.(ouço no trabalho,tempo de sobra,hehehe)
    Ps2. Tem uma iniciativa do pessoal do Pró-RPG para ajudar as vitimas de Mariana,é um encontro que vai se realizar no dia 20/12 onde a entrada vai ser uma garrafa 1,5lt de água,aqui um link para a página do face.
    https://pt-br.facebook.com/events/428278057382056/

    Vida longa e prospera.

  • Nyell Quantos

    Comentários do Cardoso massageando meu ouvido…

  • Renato Moraes

    Silmar, Não achei referências do filme :”PROJETO PROIBIDO” que o Cardoso falou… o nome era é mesmo? Fiquei curioso pra assistir.. Valeu.

  • Pablo Neves

    Micahel Crichton foi mesmo um grande escritor de ficção científica, Jurassic Park sendo meu favorito, mas ele nos fez um grande desfavor escrevendo State of Fear!

  • Ótimo episódio. A participação do Cardoso é sempre muito bem-vinda!

  • Marco Faleiro

    Cast legal, papo correu! Só acho ~~complicado~~ ficar reclamando de não poder mais fazer piada com gordo, gay, deficiente etc. rs

%d blogueiros gostam disto: