Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Dekatrian – Um calendário minimamente decente

por em 21/09/2017 em Devaneios do Pena, Notícias | 53 comentários

Dekatrian – Um calendário minimamente decente

A gente acaba fazendo tantas coisas sem se perguntar o porquê. Seguimos o fluxo, repetimos padrões, mesmo quando não parecem fazer sentido. E… desculpe incomodar assim, a essa hora do dia, mas… o nosso calendário (o tal Gregoriano) não faz nenhum sentido.

Setembro é o mês… SETE? Não, errou, é o mês Nove. Nove de Novembro, que na verdade é 11. Dezembro, coitado, tinha tudo para ser DEZ mas é DOZE. Ahh, mas a gente já se acostumou com isso, ninguém pensa mais nisso. Bom, eu às vezes me seguro quando vou escrever Outubro e quase coloco um 8, mas daí lembro que é 10. Se esse fosse o único problema do nosso calendário eu estaria bem feliz.

Cada mês tem 30 dias certo? Ou 31… ou 28, que às vezes ganha um dia a mais a cada 4 anos. E esses meses não seguem uma lógica, tem dois meses com 31 dias juntos e um de 28 no meio do nada. Isso atrapalha muito entender o tempo. É totalmente confuso. A gente não consegue pensar o tempo, e medir o tempo, e ficar à vontade com datas porque nossa régua é toda torta. As contas de vale-refeição, de período de férias, de compensação de salário, viram uma bagunça por causa desses meses esquizofrênicos.

Isso sem falar da maior trolagem de todas: a semana – que é nossa unidade mais básica do dia-a-dia, aquela que nos diz quando se trabalha e quando se descansa, que dia sai o Scicast ou quando você vai para a academia, ou que dia você precisa buscar seu irmãozinho na natação – essa nossa bem conhecida semana que se repete perfeitamente segunda após segunda… bom, ela não se encaixa nos meses. É uma grosseria falar que cada mês tem 4 semanas. Apenas Fevereiro tem – e nem sempre. O resto é essa gambiarra que só serve para atrapalhar qualquer tentativa de planejamento. A cada mês seu salário cai num dia da semana diferente, e quando cai no sábado ou domingo você precisa ficar fazendo conta de dia útil. Por falar em conta, que tal falarmos sobre as contas a pagar, putz, que sacanagem. Seria tão mais simples usar sempre a primeira segunda feira do mês para pagar a internet, a água, o condomínio, não seria? Quem nunca se pegou atrasando conta porque cada mês elas vêm em dias da semana diferentes? É ridícula nossa relação com o tempo, simplesmente porque nossos meses não conversam com a semana. E olha que eu não cheguei ainda em pagamento de férias, em juros de aplicações, em prazos de entregas de trabalho, em planejamentos de viagens, coisas que exigem você abrir um calendário e ir contando o número de dias e que dia cai em qual dia da semana.

No caso de você ser mulher, e querer entender seus ciclos, compreender melhor seu corpo e suas fases hormonais, e poder antever sua menstruação, então você precisa criar um calendário separado porque o nosso atual não serve para nada disso.

Por que tanto esforço? Por que a gente aceita isso?

Tentando responder a essas perguntas, resolvi criar algo novo, simples e, como posso dizer, decente: O Calendário Dekatrian. Nele, todos os meses tem 28 dias – exatamente 4 semanas, que é exatamente o ciclo hormonal dos seres humanos. É simples assim. Uma régua regular, constante, coerente e que usa uma medida que nos é familiar.

São treze meses de 28 dias. Os nomes dos meses foram pensados para referenciar elementos ou conceitos universais e naturais, já que o calendário precisa ser algo atemporal. Quando falamos “mês de Julho” é uma reverência a um Julho César com o ego megalomaníaco que queria se eternizar no meio dos Deuses. Acho que não precisamos disso, não é mesmo? Para facilitar a vida, os meses começam com letras em sequência. O primeiro é Auroran – o nascer do Sol, o início do calendário; o segundo Borean – o vento norte; seguido de Coronian – das estrelas cadentes; acompanhado de Driadan – homenagem aos bosques e florestas. Temos assim o A, B, C, D, E, F, G, H, I, K, L, M, N (não tem J porque no alfabeto latino I e J são a mesma letra), fácil de lembrar e intuitivo, afinal segue um padrão. O último mês é Nixian, o anoitecer, fechando o ano para recomeçar com mais uma aurora no seguinte.

Se você for bom de conta, talvez percebeu que 13 meses vezes 28 dá 364 dias no ano. Como a ideia é fazer um calendário que também esteja sincronizado com o ano solar, ao final do 28 Nixian existe um dia que não faz parte de nenhum mês, o Achronian (o que está fora do tempo). Essa é a maneira elegante de não entortar a régua. Um pequeno hiato de um dia por ano que ajusta os meses com o movimento do sol. Como é um feriado (cai em primeiro de janeiro), não gera nenhum problema no tempo, ao contrário, é um dia fora do tempo para usarmos para refletir sobre o ano que passou e celebrar o novo ano que chega (ou para encher a cara, como preferir).

Ok, já adorei, mas como eu uso esse calendário? E de que adianta usar o Dekatrian se o mundo todo usa aquela porcaria do Gregoriano?

Vamos lá, uma pergunta de cada vez. A começar pela última: Eu uso o Dekatrian, e se você usar também já somos 2. O Scicast está usando o Dekatrian, divulgando os lançamentos do Spin de notícias diários em datas Dekatrians. Somos 3. Existe uma comunidade no Facebook de adeptos. É chato ter que ficar convertendo datas para pessoas que não usam? Sim, um pouco, mas quanto mais gente usar menos complicado isso fica. Hoje você descobriu que estava usando uma régua torta, prefere continuar usando-a só porque a maioria também usa? Ou prefere mudar para algo decente e apresentá-la para a galera à sua volta. O único argumento para se usar o calendário idiota é a tradição. Já quebramos tradições muito enraizadas como o fim da escravidão, a democracia, o voto feminino, a liberdade de expressão etc. Para ter mudança é necessário primeiro gente questionando, com vontade para mudar, para apoiar algo que acredita. Quanto mais gente entrar nesse barco, mas fácil de remar fica.

E olha só, temos a grande vantagem que o Dekatrian foi pensado, foi planejado. Ele parte de um conceito e foi construído de forma coerente. Um dos seus pilares é o caráter universalista. As datas Dekatrian são escritas da mesma maneira em qualquer língua latina. Não é necessário traduzir. Escrevemos “12 Lunan” em inglês, francês e português. Todos os meses terminam com “an”, um sulfixo muito fácil de ser falado pela maioria das línguas. E se quiser escrever as datas de maneira abreviada, basta usar a barra invertida: 12 \ 11 \ 2017 (12 Lunan 2017) – um jeito simples, distinto e intuitivo.

Para começar a usar o Dekatrian incorpore ele na sua agenda. Se você usa uma agenda online (como a do google, ou da apple), basta adicionar esse link (abra o link e clique no + no canto inferior direito, ou insira esse link no seu programa de agenda preferido). Entre também na comunidade no Facebook e lá você pode obter mais informações, e baixar o calendário do ano atual – embora a estrutura do Dekatrian seja tão simples que você pode abrir mão dele completamente. Por exemplo, em 2017, todo dia 1 de todos os meses Dekatrian são uma segunda-feira. E todos os dias 2 são uma terça. Assim por diante. Depois de um pouco você já decorou todos e fica tão fácil usar que você nem percebe. O trabalho maior é converter para datas Gregorians, mas a culpa disso é da régua torta, não da régua certa, não é mesmo? Para converter você pode usar a agenda, o calendário em imagem, ou, em breve, vou colocar no ar um site com um conversor de datas (e um app, por que não?).

Fica aqui meu manifesto para que possamos melhorar nossas vidas e nossa relação com o tempo, relação essa que já ficou “tempo” demais relegada aos caprichos e incoerências do passado.

11 Kaosian 2017 – Pena

dekatrian.com