Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Contrafactual #48: E se os Vampiros existissem?

por em seg 06America/Sao_Paulo nov 06America/Sao_Paulo 2017 em Contrafactual, Destaque | 13 comentários

Contrafactual #48: E se os Vampiros existissem?

Nossos queridos seres com caninos bem desenvolvidos, sede de sangue e que brilham no sol (ou não) são reais! Como seriam esses seres? Mais próximos dos humanos ou mais animalescos selvagens? Se alimentariam como? Como eles sobreviveriam na sociedade? Formariam grupos organizados para lutar por direitos? Haveria um Estado Vampiro? Haveria uma religião própria? Seria o fim dos humanos “normais”?

*Este programa, assim como tantos outros projetos vindouros, só foi possível por conta do Patronato do SciCast. Se você quiser mais episódios assim, contribua conosco!*


Arte da Capa:

 


Publicidade:


Redes Sociais:


Expediente:

Produção Geral: Tarik FernandesHost: Fernando MaltaEdição: Felipe ReisVitrine: Edu Balbino

Equipe de Gravação: Diogo, Thais e Giullian

  • Olá deviantes, aqui é o Vudu Reverso, do Mileniados :D

    Bom cast! Deu até vontade de dar meus pitacos.

    A princípio, os vampiros iriam se organizar para se manter secretos. Mas será que isso duraria pra sempre? eu acredito que não. Mais cedo ou mias tarde, eles seriam revelados. E isso não seria ruim pra eles a longo prazo.

    Um vampiro tem vantagens sobre um ser humano, mas em grupo, os seres humanos tem a vantagem das armas, dos números e da luz do dia.

    Ao descobrir os vampiros, poderíamos ter guerra. Mas aí vem o pulo do gato: em nossa sociedade atual, bastaria os vampiros passarem pelo processo de “humanização”: vampiros lutam contra o preconceito, alegam não ter controle sobre a sede, se colocam como membros potencialmente produtivos da sociedade, que podem aplicar suas habilidades…

    Logo apareceriam os humanos tentando defender os vampiros. A questão da alimentação seria facilmente resolvida com voluntários vendendo sangue para alimentar esse novo mercado. Quanta gente pobre não poderia ganhar dinheiro com isso? A longevidade dos vampiros permitiria que eles pudesse acumular bens suficientes para comprar quanto sangue eles quisessem.

    Vampiros passariam pelos mesmos processos que negros, lgbts e outras minorias passaram. Eles lutariam contra o preconceito, lutariam por aceitação… Muitos os tratariam não com raça diferente mas como humanos com deficiência. Aos poucos eles seriam aceitos. Provavelmente haveria algum tipo de regulamentação para alguém poder virar vampiro. Com o tempo, eles fariam parte da sociedade.

  • Alessandro Guimarães

    Queria saber o nome das musicas q tocaram nesse cast

    • Fernando Henrique Rosa

      A banda é “Stratovarius”.
      A da abertura é “Unbreakable”.
      As outras ainda não sei direito…

      • Alessandro Guimarães

        Valeu mano

  • Zlad Bigode de Neon

    Pensando bem a respeito se a regra que só pode entrar em uma casa se convidado, em uma sociedade de vampiros não ia existir uma Swat chutando a porta dos meliantes .

    • Não existiria (talvez) membros vampiros na SWAT. Mas humanos…

  • Darley Santos

    Esse caráter parasitário dos vampiros é um determinante! É inegavelmente uma condição crucial para se construir qualquer cenário hipotético com vampiros, não tem como se furtar a essa questão. Por isso não acho salutar (rsrsrs) nem razoável qualquer cenário que vise uma boa convivência entre humanos e vampiros. Escutando vocês, lembrei do seriado True Blood, que faz o mesmo esforço que este Contrafactual aqui fez, acho. Será sempre algo problemático regular/legislar acerca da convivência entre vampiros e seres humanos, e muito provavelmente o cenário é mesmo apocalíptico, não há muita saída hahah! Ao mesmo tempo, lembraram de X-men, o que faz bastante sentido, visto que em True Blood também os vampiros são uma representação midiática metafórica para/de minorias, em especial a galera LGBT.

    A questão do número proporcional de vampiros para humanos também é um fator decisivo – seríamos apenas rebanho para pastores-vampiros (após em algum momento ocorrer uma guinada hierárquica na cadeia alimentar deste mundo), assim como para cada fazendeiro é possível contabilizar milhares de cabeças de gado? Relação delicada, da nossa existência depende a sobrevivência dos vampiros. O que me faz pensar também: os vampiros não dependeriam somente de sangue humano, certo? Até onde sei, o sangue humano seria o de melhor qualidade e valor nutricional, mas não seria impossível imaginarmos o fim da raça humana e a sobrevivência dos vampiros, ainda que de uma forma qualitativamente, e talvez quantitativamente, diferente – uma raça de vampiros decaídos sobrevivendo de sangue de animais inferiores… noturnos… Haveria um retorno de uma ecologia como há muito não se via??? (…)

    Ei, é possível ainda imaginar uma história à la Planeta dos Macacos, só que com vampiros? Imaginar isso implicaria na discussão da origem dos vampiros também (talvez pelo viés de “seres humanos decaídos” por assim dizer, ou mutantes), o que seria interessante! Pois, vejo os seguinte pontos: 1) a partir de que momento os vampiros passariam a existir; 2) a partir de que momento os vampiros passam a ter controle sobre a raça humana e o mundo; 3) e, haveria a possibilidade de uma retomada de poder, cenário no qual a raça humana almejaria obter novamente o controle sobre o mundo?

    Viajei demais…

  • Daniel Duarte

    Vampiros já existem e se autointitulam “representantes do povo”. A questão numérica não influencia em nada, como já vemos com o 1% dominando a massa. Somos o gado do governo.

  • Fernando Henrique Rosa

    O podcast começou aqui e fui ver se não tinha trocado para o Spotify sem querer. XD

  • Fernando Pereira

    Contrafactual #50: E se Sócrates não fosse condenado?

  • Túlio Barros

    Senti falta de alguém fazer referências ao RPG Vampiro, a Máscara. No sistema, nenhum clã brilha ao sol, mas sua relação com os humanos é diferente a depender do clã. Não vejo como deixar “cair a máscara”. Humanos, percebendo a ameaça/poder dos vampiros e suas fraquezas, nunca permitiriam a coexistência. O Vampiro tambor luta contra a besta interior, logo não pode se render a sangrar toda a humanidade.

  • Kira Scheik

    Galera vocês precisam urgente de algum rpgista para os contra-factuais, ninguém lembrou do mundo das trevas, vampire the masquarede ou vampire the requein?

  • João Cláudio Fidelis

    Venho aqui para dar uma dica de leitura a esse interessante cast. Existe uma série de livros chamado Vampire Hunter D de autoria de Hideyuki Kikuichi e ilustrado pelo famoso Yoshitaka Amano ilustrador do querido (pela produção do SciCast) Final Fantasy. A história se passa em 12090 onde após uma guerra nuclear provocada pelos vampiros a sociedade humana voltaria a viver em feudos, como a idade média, ainda que os vampiros dispunha de tecnologia avançada aliada a magia. Com certeza cada feudo é controlada por um Vampiro “Elder”. É nessa que surge o protagonista da história o D que é um meio-humano, meio-vampiro que decide ir contra a raça vampírica em prol da humanidade, numa história que mistura fantasia, terror e sci-fi. Existem dois animes (baseados no primeiro e terceiros livros) mas que não mostra muito a sociedade. Existe em inglês a adaptação em mangá e os livros (são 26 livros até agora!). É de longe a obra mais detalhada sobre uma sociedade vampírica já feita.

%d blogueiros gostam disto: