Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

MeiaLuaCast #157: Jogos de Harry Potter

por em qui 07America/Sao_Paulo set 07America/Sao_Paulo 2017 | 5 comentários

MeiaLuaCast #157: Jogos de Harry Potter

Em 1997 chegou às livrarias britânicas um livro infanto-juvenil que reascenderia nos jovens o gosto pela leitura e os faria entrar em um mundo de aventuras mágicas: Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Com o sucesso da série, que agora com 4 livros publicados, chegava aos cinemas pelas mãos do diretor Chris Columbus e da Warner em 2002 e a base de fãs, que já era grande, ficou ainda maior e a franquia se tornou uma das mais populares da história.

E como todo grande lançamento do mundo dos cinemas, Harry Potter e a Pedra Filosofal recebeu, próximo à data de lançamento do filme, uma versão para os videogames e assim se iniciou a trajetória dos bruxos pelo mundo dos jogos eletrônicos e analógicos.

Fernando Malta (@fencas), Guilherme Vertamatti (@gvertamatti) e Marcelo Guaxinim (@marceloguaxinim) conversam sobre as adaptações de Harry Potter para os jogos e elucubram sobre algumas possibilidades futuras.

Leia mais...

Miçangas #35: Harry Potter e Gandalf contra Valdemar

por em qua 17America/Sao_Paulo maio 17America/Sao_Paulo 2017 | 30 comentários

Miçangas #35: Harry Potter e Gandalf contra Valdemar

Ergam suas varinhas e venham defender a Saga Harry Potter, que deveria se chamar Neville, contra o terrível monstro que não deve ser nomeado (sim, o Guaxa). Ajude Jujuba e Fencas a defender essa incrível obra que acompanhou o crescimento de muita gente!

Como a Saga nos marcou, quais seus furos, quais seus acertos e que gosto tem uma coruja branca.

Leia mais...

Crítica | Truque de Mestre: O Segundo Ato

por em qua 08America/Sao_Paulo jun 08America/Sao_Paulo 2016 | Nenhum comentário

Crítica | Truque de Mestre: O Segundo Ato

O grande truque, que a maioria dos bons filmes possui, é o de te trazer para dentro do filme. A sensação de estar dentro de uma história incrível junto de excelentes personagens é algo quase mágico. Isso não é algo fácil de conseguir, é necessário que o público “acredite” no que está sendo projetado, que ele compre a briga do protagonista. Se isso não acontecer, o público irá perder o interesse na história.

Leia mais...