Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #92: Aspectos Sociais dos Jogos Online

por em sex 31America/Sao_Paulo jul 31America/Sao_Paulo 2015 em Destaque, Scicast | 32 comentários

Scicast #92: Aspectos Sociais dos Jogos Online

SciCast_MP3Cover_v02

Fala galera! Essa semana o SciCast, o seu podcast favorito de joguinhos ciência vai falar sobre um tema muito pedido! Vamos falar do mais moderno método anticonceptivo: os jogos online (na verdade vamos falar dos aspectos sociais dos jogos online, mas isso poderia matar a piada). Então abra sua coca-cola, prepare suas guloseimas, pegue seu controle (que já deve estar amarelo devido a gordura, argh!), entre no lobby com Silmar, GuaxinimJujuba, Felipe, André e Flavia Gasi e venha trocar uns tirinhos com a galera.

Essa semana vamos explicar como surgiram os joguinhos online, do nerd da faculdade até o adolescente HUEHUEBRBR, descubra se existem mulheres em jogos online (Spoiler: Não, todas são um gordo pelado, esse mesmo, o Guaxinim), entenda porque os homens são superiores em determinadas áreas (#SQN), se os jogos nos tornam violentos, se devemos proibi-los ou se casar com seu amiguinho é online é normal. E o mais importante “gibe moni pls! I report yu” (traduzindo: “give money, please. I’ll report you” ou ainda: COLOQUE DINHEIRO NO NOSSO PATREON).

 

 

Produção/Apresentação: Silmar Geremia. Coordenação: Marcelo Guaxinim. Pauta: Felipe ReisJuliana Vilela. Engenharia de Som/Edição: Silmar Geremia e Felipe Reis. Participação: Marcelo Guaxinim, Felipe Reis e Juliana Jujuba. Convidados Especiais: André L. Souza e Flavia Gasi. Arte da Vitrine: Silmar Geremia (também fiquei chocado, só falta ele fazer a voz das meninas).

 

Publicidade:

Contato Comercial:

Ajude a levar o SciCast mais longe:

Redes Sociais:

Aperte o pause:

 

 

Comentado no Episódio:

SciCast 42: Carlos Cardoso, a vida, o universo e tudo mais. –  Nesse podcast além de tentar entender essa lenda viva do twitter ele fala um pouco de como era a BBS.

“O Nerd Padrão é Imbecil e Preconceituoso” – @JMTrevisan/o-nerd-padr%C3%A3o-%C3%A9-imbecil-e-preconceituoso-498beee30ca">Texto JM Trevisan

Fifa 16 recebe críticas por incluir mulheres

Teaser de Rise of the Tomb Raider

Video – Neil DeGrasse Tyson fala sobre racismo e feminismo no meio acadêmico.

SciCast 77: Memória

#LikeAGirl – Reflexão sobre o que é “agir como uma garota”.

 

  • Edward Elric
  • Eu sou um menino! o/ E meu namorado é menina, sou melhor em esportes hahaha. Em compensação ele é gamer e de TI e eu não sou fã de video game e sou prof. de História.
    Claro que biologicamente os homens tem mais propensão ao desenvolvimento físico, mas eu acho a questão cultural muito mais determinante. Vide o casal daqui de casa.
    Uma coisa que eu gosto muito do scicast é o fato de fazerem questão de dar espaço para as mulheres nas áreas culturalmente dominadas pelos homens. Eu, que às vezes brinco que sou menino de saias (sou direta, falo palavrão, adoro rock pesado,gosto de praticar esportes, não tenho grandes problemas com exatas, gosto relativamente pouco de romance, etc etc etc), fico bem feliz e agradecida com o espaço e as discussões aqui.
    E se meus futuros filhos jogarem, ótimo pra eles. Com o pai, mas joguem. E torço muito pra se eu tiver filha e ela gostar de jogar online que ela não tenha que se fechar num clube da luluzinha pra jogar…

    • Edward Elric

      Isto é uma longa discussão. Acredito que a propensão biológica é muito mais determinante que questões culturais, afinal, são 2.500.000 milhões de anos de evolução contra meros 100 anos de nossa civilização ocidental. Esta evolução nos fez diferentes, fez com que evoluirmos para caminhos diferentes. Homens são mais agressivos, tem maior massa muscular, são menos propensos à atividades sociais, tem melhor acuidade visual para longa distância, habilidades perfeitas para caçadores. Mulheres são mais sociais, conseguem desempenhar melhor mais de uma tarefa ao mesmo tempo, habilidades mais afeitas para cuidar de bebes.

      Na Noruega, um dos países mais igualitários do mundo, eles tem um ministério para isso, homens preferem profissões da área de exatas e as mulheres ligadas as com mais interação social, enfermagem, magistério.

      Este documentário, fala sobre isso.

      https://www.youtube.com/watch?v=G0J9KZVB9FM

      • Segundo essa definição eu sou homem. Tenho um mínimo de habilidades sociais, que gasto quase toda em sala de aula. Não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo (de repente vou conseguir quando for obrigada, mas…). Tenho bons reflexos (sou boa em esportes), tenho uma boa visão de longo alcance. E não deixo de ter características ditas femininas pela sociedade.
        Já ouvi falar do documentário. Não estou aqui querendo invalidar as diferenças biológicas gerais. Estou apenas apontando que as relações feminino/masculino não são tão preto no branco, e especialmente: quando se enfatiza as tendências gerais biológicas de cada um dos sexos num discurso, é muito comum que venha a classificação “de menino e de menina” de uma forma MUITO determinista. De uma forma que oprime os homens que tem algumas escolhas “femininas” e as mulheres que têm escolhas “masculinas”. Feminino e masculino pode ir muito além do biólogico. O ruim da nossa sociedade brasileira (não vou falar de outras, vivo aqui) é que as pessoas que fogem desse preto e branco biológico ainda são bem marginalizadas por aqui. Que cheguemos aos nórdicos:que as mulheres que se sentem mais ” masculinas” não sofram por isso e que os homens que quiserem possam ter um ano de licença paternidade (que na lógica puramente biológica é inaceitável, mamíferos machos não cuidam tanto da cria).

        • Edward Elric

          Concordo contigo. Mas tudo com um mínimo de bom senso em se tratando de crianças. Há uma corrente de pensamento freak que acredita religiosamente que homens e mulheres são um construto cultural. No vídeo o constrangimento destas pessoas, quando defrontados com provas cientificas desta falácia, é visível.

  • SCICAST SOBRE TIBIA!

    • Larius Vopek

      A minha calculadora NÂO roda Tibia u.u

      Eu joguei muito no começo quando haviam amigos jogando junto e porque era o único jogo que meu PC suportava, daí parei por uns 7 anos, e voltei ano passado com o intuito de achar algum colega americano para treinar o diálogo.

      Por mais que meu pc aguente outros jogos continuo jogando :D

      • Hahaha sim! O SciCast não entrou muito nesse assunto, mas se tivessem falado sobre como uma comunidade se comporta dentro do jogo e as relações entre os membros, teriam descoberto por que o Tibia ainda vive: os jogadores.

        PS: minha TI-89 Titanium não roda Tibia, mas minha HP 50g roda! rs.

        • Larius Vopek

          HAHAHA pow, se a 50G roda então vou jogar durante as aulas de Administração / Estatística / Ecologia / etc.

      • A é, faltou perguntar: qual server?

        • Larius Vopek

          Jogo em Menera, Solera e Umera.

          • Caramba quanto!

          • Larius Vopek

            :D

            Depende da vocação. Gosto de variar bastante e experimentar cada uma em servidores diferentes entre pvp e non-pvp

          • Entendi. Eu jogava em Fortera pois meus amigos jogavam lá, mas tô afim de mudar. Não consigo jogar em non-pvp, fico com a sensação de falta de propósito. Lol

          • Larius Vopek

            Bora lá pra Solera =]

          • Hahahaha quem me dera. O mestrado quase não me da tempo pra dormir, imagine pra jogar.

            Como era bom ter 12 anos.

          • Larius Vopek

            Bem 10

    • Juliana Vilela França

      Pressinto que Tíbia vai se tornar mais uma das coisas da mitologia do Scicast… u.u

  • Snb

    Mais um ótimo Scicast!
    Não sei se eram os servers no qual eu jogava mais sempre houve respeito independente do gênero das pessoas.
    Ps: Elas sempre foram melhores que eu em qualquer FPS ;-;

    • Juliana Vilela França

      <3 Eu odiava quando vinham com o papinho de que eu era "café com leite"… normalmente eram os primeiros que eu ia atrás ^^

  • Leandro Laia

    O começo do cast, falando dos jogos com modem e os chats, lembrou-me a segunda temporada de Halt and Catch Fire.

  • “Br? Br? Me da item? Me da gold coin?”

    PS: se algum dia for falar sobre os aspectos econômicos dos jogos online, conte comigo xD

    • Crow

      Se quiser eu até te ajudo falando sobre o monopólio que o World of Warcraft tem xD

      • Eu mandei um email falando um pouco do por que tantos jogadores insistem no Tibia, mesmo depois de tantos anos. Faça o mesmo falando sobre por que WoW tem monopólio. Se focar nas relações sociais, tem grandes chances de ser lido.

  • Escelente vídeo do Vsauce sobre avatares:

    https://www.youtube.com/watch?v=f8WsO__XcI0

    Recomendo muito a partir de 7:01

  • Henrique Tavares

    Engraçado, pra mim mulheres sempre foram as melhores professoras. Eu fico desconfiado quando é homem!

  • Helmut Wolfgang

    Puxa! Tem homens que fazem pouco caso de garotas que jogam video-game?? Passa meu contato do Facebook que eu estou a procura =D

    • Juliana Vilela França

      Pior que tem viu guri… aquela brincadeira no começo do cast, foi uma coisa que senti muito quando jogava Star Craft (bons tempos!)… conheço várias meninas que jogam com nicks diferentes e chars masculinos, pra não sofrer preconceito.

  • Victor Coutinho

    Achei muito interessante a parte que o André falou sobre o desenvolvimento das crianças e de como a personalidade delas incorpora esses aspectos vistos nos jogos e afins. Tenho uma irmã de 5 anos que já “fuça” no youtube pelo celular da minha mãe, e às vezes eu via ela assistindo algo como uns gameplays de jogos de bonecas. É, isso existe .-. Depois disso ela passou um tempo imitando bebezinhos nas brincadeiras dela e até quando ia falar com a gente em casa, coisa que eu nunca vi ela fazer hehehe

  • ThallisPHP

    Ótimo Cast como sempre :)

    Já joguei bastante Tibia, hoje jogo mais Battlefield.

    Sou programador e no meu meio realmente é um milagre encontrar uma mulher com trabalhos relevantes, porém quando encontro, não deixam nada devendo quanto a qualidade e organização de código. Existem inclusive movimentos como o Women Who Code que incentivam as mulheres á adentrar nesse mercado em que, convenhamos, o que importa é a sua capacidade de fazer uma bom código, não importando qualquer característica física ou psicológica.

    Comprei um livro dessa coleção O Livro Das Religiões, é muito bom, explica desde os cultos mais primitivos até os mais recentes como a bizarrice da cientologia.

    Um abraço para todos!

  • inuyashagui

    Não comentei até agora pois não tinha nada a acrescentar sobre esse ótimo programa!
    Só tenho uma reflexão:

    Jogar MMO RPGs é igual fumar. Quando vc para, sempre fica o capetinha lá pedindo pra vc voltar e “provar” sua dose diária.

    (Sou ex-jogador de WOW e fumante que já tentou parar várias vezes sem sucesso :( )

%d blogueiros gostam disto: