Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #64: Carne (Papo de Gordo #145)

por em sex 16America/Sao_Paulo jan 16America/Sao_Paulo 2015 em Destaque, Scicast | 15 comentários

Scicast #64: Carne (Papo de Gordo #145)

Desde nossos ancestrais primatas, nós seres humanos já curtíamos uma carne. Tudo bem que era só carniça, resto que os outros animais deixavam para trás.  Mas como naquela época a vegetação (nossa principal fonte de alimento) estava cada vez mais dispersa, tivemos que dar o nosso jeito. Como o ser humano é um bicho do mal, com o tempo aprendemos a fazer armas de pedra e de repente começamos a enfrentar bichos do nosso tamanho ou até maiores.

Mas até ai só comíamos carne crua e sem sal. Num dia frio, a carne estava gelada e alguma boa alma teve a grande ideia de usar o fogo, técnica recém aprendida, para dar uma aquecida no filé ao invés de só acender uns fumos. A partir daí tudo mudou. Cozinhar a carne torna mais fácil a deglutição e digestão, permitindo que o intestino absorvesse mais calorias em menos tempo, assim o homem primitivo ficou todo musculosão e nunca mais colheu frutinhas. Com o domínio do fogo, agora ele também tinha tempo livre, e usava esse tempo pra construir ferramentas, acasalar, desvendar os mistérios da floresta, acasalar, pichar os muros das cavernas e acasalar mais ainda. O fogo Também matava a maior parte das bactérias(muito antes do protéx), então menos uma coisa para nos matar.

Nosso cérebro cresceu, o intestino diminuiu e nos distanciamos ainda mais dos nossos ancestrais, claro, comendo carne cada vez mais. Assim, plantou-se a cultura milenar do consumo massivo de carne que praticamos ávidamente até os tempos atuais. Porém, a sociedade de hoje paga um preço altíssimo por isso: cerca de R$ 25,00 o quilo do contra-filé.

Descubra com quantas alcatras se faz um churrasco e ajude Silmar Geremia@marceloguaxinim" href="http://www.twitter.com/marceloguaxinim" target="_blank">Marcelo Guaxinim, Matheus SilveiraEduardo Sales Filho, Maíra Moraes, Lúcio Luiz e Flavio Soares a prepararem o melhor bife de podcast jamais feito na podosfera brasileira.

 

O que são os especiais de férias do SciCast?

O SciCast sempre mimetizou uma sala de aula, mesmo que de forma caricata, e para continuar com a zoeira (e nós sabemos o que dizem sobre a zoeira) resolvemos propor a outros podcasts amigos essa mistura e intercâmbio de idéias como forma de apresentar o SciCast e a ciência a ainda mais pessoas e de trazer momentos de descontração e entretenimento aos nossos ouvintes. Afinal, estamos de férias.

 

O que é o Papo de Gordo?

O Papo de Gordo  é um portal de SAÚDE e COMPORTAMENTO. Ele trata sobre gastronomia, vida saudável, esportes, estilo e cultura pop. Tudo com informação e bom humor.

 

btn_donateCC_LG
120x53-doar-laranja

Agora você pode ajudar a financiar o SciCast

Produção e Coordenação: Silmar Geremia. Equipe de Pauta: Gustavo Simioni e Rafael BrisolaEquipe Papo de Gordo: Eduardo Sales Filho, Maíra Moraes, Lúcio Luiz e Flavio SoaresEquipe SciCast: Silmar Geremia@marceloguaxinim" href="http://www.twitter.com/marceloguaxinim" target="_blank">Marcelo Guaxinim e Matheus Silveira. Edição, Sonorização e Mixagem: Carlos Junior Eduardo Sales Filho. Foto da Vitrine: Pablo Rigamonti.

Diretoria:

  • Lucas Balaminut

    Essa foto da vitrine é uma sacanagem, uma injustiça com nós pobres mortais agora esfomeados!

  • Gente só registrando, da história do bacon e sua veneração. Muito interessante essa reportagem da Galileu que fala como a indústria alimentícia americana incentivou o consumo de carne de porco. Sempre achei desnecessário a veneração do bacon, nem é tão bom assim (funciona pra cupcake, macarón, coisas gourmet, toddyinho e qualquer comida overrated).

    Link:

    http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2014/10/moda-do-bacon-foi-orquestrada-pela-industria-de-carne-de-porco-nos-eua.html

  • Velozo

    complexo B galera. O mais importante da carne e mais as vitaminas do complexo B, que realmente são dificeis de conseguir em outro lugar. A carne vermelha tem muito mais complexo B. vegetarianos devem obrigatoriamente complementar estes micronutrientes. O frango tem menos gordura e menos impacto no ac urico e ureia porem tem menos vitaminas B.

  • Gente, foram os 14 minutos de introdução mais longos e repetitivos que já ouvi, vocês apresentaram os podcasts participantes umas duas vezes pelo menos, por que?
    Fora essa parte, achei bem divertido e espero que nenhum vegetariano ou defensor de animais ameace os participantes de morte. rsrsrs Sucesso!

  • Se assistir o vídeo do moedor de pintinhos ao contrário seria uma máquina de fazer filhotes de frango?

  • Tá tão calor, que to preferindo comer uma salada, e olha que amo carne.

  • Fala pessoal! Como bom gaúcho, também gosto de carne. Aliás, aqui comemos carne praticamente todo o dia. E quando não tem carne, tem algum tipo de massa (moro na serra gaúcha). Ontem mesmo comi um costelão, daqueles que precisam de no mínimo 6 horas pra assar. Carne é ótimo.

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Rafael Brizola

    Excelente cast! Ficou muito engraçado! E deu muita fome tbm hehe

  • Pedro Cassimiro

    Silmar, você poderia colocar os nomes da músicas usadas no podcast. Seria bem legal, sempre tem uma ou outra que não conheço e fico só na curiosidade.

  • Mateus Capssa

    Eu acho estranho a necessidade de afirmação que algumas pessoas que comem carne tem. Essa insistência em diminuir, em inferiorizar os vegetarianos não faz muito sentido para mim. Eu como carne, mas não me acho mais certo que os vegetarianos por isso. O argumento nutricional é muito ruim. Na verdade, não é um argumento. Para ele ser verdadeiro, teríamos que assumir que todos que comem carne se alimentam de forma 100% correta e obtém todos os nutrientes. O que, evidentemente, não é verdadeiro. Há pessoas que comem carne e se alimentam bem e há pessoas que comem carne e se alimentam mal (que não comem verduras e frutas, por exemplo). Há vegetarianos que se alimentam bem (e fazem suplementação de vitaminas do complexo B) e há vegetarianos que se alimentam mal. Eu achei esse cast muito pouco científico. Segundo a FAO (http://www.fao.org/news/story/en/item/197623/icode/), 14.5% dos gases de efeito estufa gerados pelo homem vêm da pecuária. A ingestão máxima de carne recomendada pela World Cancer Research Found é de 300g por semana (http://www.dietandcancerreport.org/cancer_resource_center/downloads/chapters/chapter_12.pdf). Enfim, desafio o SciCast e fazer, algum dia, um bate papo aberto, respeitoso e realmente científico sobre vegetarianismo, chamando convidados que realmente entendam do assunto.

  • Leandro X

    Scicast completamente INTRAGAVEL… tentei, fui até os 35min, mas nesse ritmo de 90% piadinhas fraquissimas e 10% ciencia, resolvi parar.
    Nada a ver botar essa galera do papo de gordo ai, os caras falam de mais e não sabem porra nenhuma, absolutamente porra nenhuma, pra q vou ouvir essas pessoas?! >> e editaram mal também, q porra de intro foi essa?! e essas musicas demasiadamente longas?!
    Uma questão que me deixou bastante preocupado foi a desinformação propagada sobre o vegetarianismo, pensei que o compromisso com a ciencia era real, mas não é tanto assim né?
    Vale a pena ser mais engraçado do que informativo?! Isso é mesmo um podcast de ciencia?! (obs: antes que comecem apelar com a perseguição absurda que vcs promoveram, eu não sou vegetariano não, nem adianta apelar pra isso.)

  • Ragnar_o_Viking

    Qual a peça de carne da vitrine???

  • Tiago Paulo

    Conheci O SCICast semana passada, até esse podcast estava fascinado mas depois se ouvir tantos erros eu perco a confiança nos senhores. Como as mesmas pessoas que fazem um podcast maravilhoso como o da Amazônia ou tantos outros fazem um programa horroroso desses sem buscar nenhuma referência. Vejo que ele tem 2 anos, tenho esperança de que vocês tenham estudado mais o assunto (principalmente a parte ambiental/nutricional) e tenham evoluído.

%d blogueiros gostam disto: