Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Pod o que? Cast como?

por em 15/06/2018 em Notícias | Nenhum comentário

Pod o que? Cast como?

‘Um punhado é a quantidade que cabe em um punho. Um bocado é a quantidade que cabe na boca. Que ninguém me pergunte o que é cunhado”

É sexta à noite e você está há muito tempo em uma discussão engraçada e calorosa com amigos. O assunto inicial, alguém acha que foi amistosos da Copa do Mundo na Rússia, passou por vídeo games, seguiu para gestação, deu um pulo em DNA, migrou para mutantes, Marvel x DC, pincelou noções de álgebra e foi evoluindo de forma aleatória para questões da Língua Portuguesa. Por quê? Ninguém se lembra ao certo, mas você estava ali com argumentos, informações e curiosidades prontas para serem acrescentadas a discussão.

“Como você sabe disso?”

“Eu ouço podcast”

Segue aí uma quantidade enorme de perguntas sobre o que é podcast, de onde surgiu, como eu sei disso, quem faz esse tipo de coisa , o que é esse tipo de coisa. Todas estas perguntas sempre me deixaram sem respostas ou com respostas vagas.

“Ai minha filha faz tipo YouTube, mas não é YouTube.”
Mãe de quem faz podcast.

“É um YouTube sem imagem”. “É uma rádio na internet”. “É uma história contada sem necessariamente ter base em um livro”. “É um grupo de amigos conversando”. Tudo isso já foi usado em algum momento para explicar o que é podcast. Todos ótimos exemplos, mas afinal o que é podcast?

Foi do iPod, aquele dispositivo de reprodução de música da Apple, de onde originou-se o prefixo pod, enquanto que cast provém do inglês “casting” que significa difusão. Então podcast é um aparelho de música que serve para difusão?

Quase isso.

Do iPod o podcast herdou a singularidade de ser apenas auditivo. Podcast é uma mídia unicamente sonora, sim, senhor. E da difusão herdou-se a facilidade do feed. Originalmente o podcast era ligado diretamente ao RSS (Really Simple Syndication), uma plataforma que possibilita aos seus usuários o acompanhamento simples das atualizações de seu conteúdo, tudo automaticamente. Hoje, a gente assina o feed.

Eu sou amante da mídia podcast. Sou formada em Administração de Empresas e meu Trabalho de Conclusão de Curso foi: POR QUE AS PESSOAS OUVEM PODCASTS? – UM ESTUDO SOBRE OS MOTIVOS QUE LEVAM AO CONSUMO DESSA NOVA MÍDIA. Um dos estudiosos da minha pesquisa foi o Nuys e ele denomina podcast de forma sucinta sendo ‘a grande nova coisa’. É isso! Podcast é a nova coisa.

Freire é um pesquisador e definiu podcast como sendo um programa de áudio que se assemelha aos rádios tradicionais, porém, com características de um consumidor atuante nas escolhas de conteúdo, ou mesmo na produção de programas.

Você tá anotando?

Podcast é um processo midiático que tem origem na internet, então é um conceito criado e maturado na internet para internet e, como todo produto que surgiu na web, tem suas próprias particularidades. É uma mídia em ascensão que exige baixo investimento e simples manuseio (ou não tão simples se você se aventurar a produzir podcast). É caracterizado por programas de áudios disponibilizados para download ou consumo via streaming e pode conter imagens ilustrativas do tema e links que agregam ao tema retratado.

Ah… mas qual a diferença entre rádio e podcast?

Podcast é uma mídia nascida no meio virtual e, para a compreensão de seu significado e sua dinâmica de funcionamento, é necessário entender o contexto no qual ela está inserido. E este contexto é: a internet, o meio que possibilitou que pessoas anônimas escrevessem textos legais em um site, ou que pessoas postassem fotos/vídeos do seu dia a dia, aproximando de Rondônia a Rio Grande do Sul. Há uma imersão e envolvimento direto com o público.

Realizei entrevista com consumidores de podcast sobre seus hábitos de consumo. Um dos entrevistados definiu o podcast: “esse serviço sob demanda, o ‘pod’ do podcast significa justamente isso ‘personal on demand’ que é ‘pessoal sob demanda’. Dá a você uma comodidade.” Eu não tenho ideia de onde o entrevistado tirou isso, contudo estava mais simples e completo que todo o referencial teórico levantado até o momento.

“A ideia é que ouvintes de podcasts estariam predispostos a receber de bom grado o conteúdo oferecido, já que baixam o que é conhecido” (CASTRO, 2005, p. 13).

Conteúdo em áudio sob demanda disponível na internet em que o ouvinte tem participação direta na produção de conteúdo. É isso? Sim. Que tipo de conteúdo? Qualquer conteúdo. O tipo de conteúdo produzido não limita o podcast. Em uma busca simples pode-se verificar uma grande variedade de assuntos, formatos, duração, periodicidade, número de participantes e etc.

Espero que na próxima roda de amigos de sexta, quando chegar momento de responder “O que é podcast?” você tenha como continuar a discussão.

“Podcast é uma mídia em áudio onde seu conteúdo é consumido sob demanda. É bem fácil, basta assinar o Feed no agregador.”

“Tá aí… Agregador… Nome estranho né?! Vai para minha lista de nomes estranhos.”

E assim a conversa de bar volta a seguir o mesmo padrão de improbabilidades infinitas que vemos no Guia do Mochileiro das Galáxias, mas isso a gente pode tentar discutir em um novo texto.

 

Referências:

CASTRO, G. G. S. Podcasting e consumo cultural. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, n. 4, 2005.

FREIRE, E. P. O podcast como ferramenta de educação inclusiva para deficientes visuais e auditivos. Rev. Educ. Espec., v. 24, n. 40, p. 195-206, 2011.

LEITE, F. Raciocínio e procedimentos da Grounded Theory Construtivista. Questões Transversais – Revista de Epistemologias da Comunicação, v. 3, n. 6, 2016.

NUYS. D. V. Podcasting: The Next Big Thing. Revista Orca Views, 2006.


Mari Ribeiro. Formada em Administração de Empresas pela Universidade de Uberlândia. Apaixonada por novas mídias e por podcast. Nerd, turista e apaixonada por conhecimento.