Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Parada dos Museus – British Library

por em 01/02/2019 em Ciência, Notícias | Nenhum comentário

Parada dos Museus – British Library

O parada dos museus de hoje é diferente e vai falar não de um museu, mas de uma biblioteca que tem no seu coração um museu e muitos artefatos dos quais vale a pena falar. Este post também serve de estreia para o primeiro texto internacional desta coluna, porque hoje vamos visitar a British Library, em Londres.

A British Library (BL) como pode ser vista hoje é F&z1$ (n&$$h&g relativamente recente, pois só se tornou uma instituição independente depois de uma lei de 1973 e teve seu espaço próprio contruído somente em 1997.  Mas a história da instituição data de 1753 com o começo da coleção de livros impressos do British Museum além de contar com diversas outras coleções que foram sendo agregadas ao longo do tempo. A história da biblioteca conta com diversas doações importantes, mas Sir Robert Cotton, Sir Joseph Banks, Thomas Grenville, Sir Hans Sloane são considerados os fundadores devido às suas grandes contribuições com materiais raros e valiosos.

 

(esq para dir) Sir Robert Cotton, Sir Joseph Banks, Thomas Grenville, Sir Hans Sloane – fundadores da British Library

Além das coleções dos quatro fundadores, a BL é também a casa da King’s Library, coleção do Rei George III, um aficionado por livros que gastou cerca de ⅓de toda a sua fortuna em livros entre 1763 and 1820. Depois de sua morte, seu filho George IV nãose interessou pela herança e a doou para a nação britânica com a condição de que a coleção ficasse junta e sempre exposta ao público.A coleção ficou em estantes do British Museum até a construção da sede própria da BL em 1997, onde o arquiteto Colin St John Wilson em colaboração com sua esposa MJ Long projetaram a torre de vidro que fica no coração do prédio para satisfazer a condição de que os livros sempre estivessem visíveis ao público. Esta é uma área altamente restrita da biblioteca, mas é possível consultar o matéria disponível através de requisições de acesso a algum dos livros da coleção.

 

King’s Library, no coração da British Library

 

Além da biblioteca ser um agregado de coleções previamente existentes que ficaram sob o guarda-chuva da British Library, o atual prédio de 6 andares perto da estação de King’s Cross (aquela mesma do Harry Potter) foi projetado para acolher a infinitamente crescente coleção da biblioteca (ela é a maior do mundo em número de itens catalogados), já que a BL serve de depositário obrigatório do Reino Unido e Irlanda. Isso significa que todos os livros, periódicos, mapas e até partituras impressos e distribuídos na área de atuação da BL devem enviar uma cópia para fins de registro (exatamente como existe com os itens com ISBN no Brasil, que têm uma cópia registrada na Biblioteca Nacional). Para vocês terem uma noção da quantidade de exemplares de que estou falando, se você lesse 5 itens da biblioteca por dia, levaria nada mais nada menos que 80 mil anos para ler tudo.

 

Como falei anteriormente, o prédio foi projetado Colin St John Wilson e sua esposa MJ Long e tem 9 andares acima do nível da rua além de mais 5 andares subterrâneos. Por estar 24,5 metros abaixo do nível da entrada, alguns andares subterrâneos têm o chão e/ou paredes arqueados, pois foram construídos ao redor das linhas de metrô vizinhas e é possível ouvir quando um dos trens está transitando nos tuneis. A estrutura do prédio lembra o formato de um navio, e reza a lenda que é porque o arquiteto nunca havia conseguido ser capitão de um navio de verdade. A obra em si também gerou certa controversa já que custou cerca de 5 milhões de libras esterlinas para construir o que seria somente a primeira parte de uma plano de 4 fases.

 

Vista da Piazza – prédio da British Library

 

O prédio conta 11 sala de leituras temáticas, a ideia é que pesquisadores de área correlatas dividam o mesmo espaço e tenham acesso mais fácil aos bibliotecários especializados em suas áreas. Qualquer pessoa pode ser tornar leitor da BL com a apresentação de documento de identidade, comprovante de residência e uma prévia dos livros que gostaria de explorar por lá. Mas caso voce nao seja registrado, ainda pode aproveitar as mesas de estudo no primeiro andar, onde qualquer pessoa pode sentar e ler ou estudar ao seu bel-prazer. O primeiro andar é o mais visitado do prédio como vamos ver adiante…

 

 

Os tesouros da BL

Sim, este e o nome oficial da ala mais visitada da biblioteca e contem, realmente, o que podemos chamar de tesouros. A Magna Carta, provavelmente o documento mais importante do Reino Unido (para saber mais escute o SciCast 266 – Guerra dos Cem Anos está na BL – e mais do que isso, das 4 cópias sobreviventes deste documento 2 estão lá (porque ter uma quando se pode ter duas). O acervo também conta com o caderno de anotações originais de Leonardo da Vinci (escritos da esquerda para a direita e de baixo para cima para que suas ideias nunca fossem copiadas), além de uma cópia em excelente estado do Codex Sinaticus, um antigo livro religioso ainda mais raro que a Bíblia de Gutemberg (que também tem uma cópia por lá, claro). E mais uma miscelênea de artigos como cartões de aniversario e envelopes onde os Beatles escreveram famosas letras de música como A hard day’s night, e a primeira coletânea já impressa de poemas de Shakespeare. A BL também têm diversos manuscritos de grandes autores, de Jane Austen a Charles Dickens. Os tesouros tem visita diária e gratuita ao público.

 

Caderno de Leonardo da Vinci

 

 

A biblioteca também promove outras exposições e no momento da minha visita (janeiro/ 2019) pude visitar a Cats on the page, uma exposição dedicada a ilustres gatos que passaram por famosas páginas da literatura. Durante o mês de janeiro a biblioteca também organizou uma serie de palestras, apresentações e conversas com a temática felina, mas estas atividades precisam ser reservadas pelo site ou na bilheteria da biblioteca. Por isso se você esta planejando uma visita a terra da Rainha e gostaria de assistir a um debate na British Library confira o site para acompanhar a agenda temporária deles.

 

Como boa bibliófila que sou, fiz o tour (pago) da biblioteca que conta detalhes dos fundadores da casa e mostra um pouco da enorme e raríssima coleção de selos da biblioteca (só para te dar uma noção da dimensão da coisa: se um dos exemplares mais raros da casa fosse a leilão hoje o primeiro lance começaria em 1 milhão de libras). O tour também leva os visitantes para conhecerem como os livros saem das estantes subterrâneas e chegam aos leitores, dá detalhes da historia da biblioteca, do prédio, das coleções e dos tesouros durante cerca de 1 hora. Altamente recomendado para aqueles, que como eu, amam livros. As visitas podem ser agendada pela internet ou diretamente na bilheteria da BL.

 

Se tem um lugar no mundo no qual os amantes de livros podem sentir o poder e o peso das palavras, este lugar e a British Library.

 

Visita 12 de janeiro de 2019

 

Serviço (retirado do site)

British Library

96 Euston Road, London,

 Horário de funcionamento: Segunda a quinta, 09:30-20:00 – Sexta 09:30-18:00 – Sábado 09:30-17:00 – Domingo: 11:00-17:00.

 

 

Modo Noturno