Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Era Sombria 2.0 – Ano 1 – Capítulo 1 – Ataque

por em 11/04/2018 em Entretenimento | Nenhum comentário

Era Sombria 2.0 – Ano 1 – Capítulo 1 – Ataque

Foram meses para conseguir um grupo razoável. Ivan fez um grande esforço para juntar esses caras, mas ainda foi preciso recorrer a pessoas menos capazes. Sobrou alguma grana guardada para futuro. Agora, era a hora colocar a máquina para funcionar, era o momento para começar a segunda fase.

Lee foi um dos primeiros a aceitar, mas Ivan não confia muito naquele asiático nada simpático. Falava pouco e seria capaz de matar qualquer um em segundos, mas é um cara experiente, fez muito serviço sujo para sua antiga corporação. Ivan tinha presenciado a capacidade de Lee, e percebeu que é necessário ter alguém com tanto talento mesmo sendo um cara visivelmente perigoso e que ainda cobrava tão pouco.

O Chris foi policia, também é experiente, tem vários contatos com vagabundos e ex-colegas. É um cara útil. Ninguém sabe porque saiu de lá, não gostava nada de falar da corporação, mas se precisar de equipamento novo pode procurá-lo ou o A. Este esteve envolvido em muita negociata, tem acesso ao mercado negro. Foi ele quem procurou Ivan para fazer parte da equipe… Como conseguiu essa informação? Por que Ivan? Ou será que precisava de proteção e veio se esconder?

Já o Fred parece ser mais confiável, talvez o único. É responsável pelo equipamento e suprimento da equipe, tem um papel bem importante nisso tudo.

Aí… faltou grana, Ivan recorreu ao resto: são verdadeiros “faz tudo”, dois deles insistem em alcançar a fama catando à noite. São a tropa de frente, são bravos e pouco inteligentes, obedecem às ordens sem questionar e sabem atirar, o básico necessário para os trabalhos. Eles são Edu, Zeh e Tow.

Não demorou muitos dias para que A conseguisse um contrato interessante. Alguém de uma corporação está querendo ferrar com um um diretor, provavelmente quer o cargo e o esquema para ele. Nosso contratante quer que nos livremos desse estorvo por ele. As informações diziam que andava com três seguranças armados, dando proteção 24 horas. Esse alvo seguia a mesma rotina diariamente usando vias mais seguras para chegar e voltar da empresa. Pelo jeito esse cara não confia muito nos próprios colegas, mas não será um trabalho tão complicado definir o local da emboscada. A questão é decidir como executar isso. Foram necessário alguns dias para deixar tudo pronto.

Fred ficou próximo do trabalho do alvo para informar sua saída. O prédio principal da DT2A SA tinha cinquenta andares, era colossal para a cidade, um dos maiores. Devia existir uma centena de seguranças ali. Existem boatos de que existe um subsolo com mais dez andares, onde funcionava o principal laboratório de desenvolvimento tecnológico da empresa. O foco da DT2A era fornecer robôs de limpeza para trabalhos repetitivos em geral. Seus produtos são um sucesso nacional e começaram a avançar no mercado mundial, o que é uma aventura perigosa que requer muita proteção para executivos e informações confidenciais. Provavelmente os responsáveis pelo desenvolvimento de novas soluções são bem monitorados pela empresa. Além disso, entrar no mercado mundial requer autorização dos inalcançáveis, além de garantir o ódio de alguns diretores de corporações multinacionais rivais.

Nesse dia, o tal alvo demorou duas horas a mais lá dentro. Antes de escurecer, três vagabundos na rua tentaram atacar os canários. Isso mudou o rumo das coisas, pois Tow, Zeh e Edu tiveram que sumir do local, já que, em alguns minutos, a polícia apareceu para recolher os corpos. Fizeram umas perguntas e chamaram alguma atenção dos informantes das ruas.

Acreditando numa mudança de rota, Ivan pediu para que Chris ficasse e aguardasse no telhado. Os canários ficaram a algumas quadras do local junto com Ivan e Lee. A informação voa nesta cidade. O carro do alvo fez outra rota naquele dia. Fred acompanhava de longe com sua moto e de perto com dois micros robôs.

Houve alguma discussão no rádio entre ele, Ivan e Chris para a definição do local do ataque. Fred pediu um pouco mais de tempo. Foram mais dez minutos para traçar a provável rota definida pelos seguranças, considerando os caminhos mais seguros até o domicilio do alvo. Um ponto foi definido como melhor local para o ataque, todos tinham poucos minutos para chegarem até lá e ficarem prontos. Chris e os canários não conseguiriam chegar a tempo, o restante partiu em direção ao local, cruzou as ruas de moto ganhando xingamentos e acertando algumas pessoas. Quando chegaram, tinham alguns segundos para se preparar. Ivan e Lee foram para o outro lado da rua e ficaram um pouco mais a frente.

Quando o carro do alvo apontou na rua, o trio estava bem escondido, as pessoas que tinham notado a ação sumiram rapidamente, alguns curiosos acompanhavam atentamente de lugares seguros. Assim que o carro alcançou o local indicado, levou diversos disparos do lado direito, os pneus duplos furados obrigaram o motorista a encostar rapidamente, mas o sistema de segurança do carro não levaria mais que quarenta segundos para se recuperar. O trio buscou abrigo esperando um revide dos seguranças que não aconteceu. Ivan jogou um pequeno artefato que liberou uma onda eletromagnética para fritar qualquer dispositivo eletrônico dentro daquele veículo. Os canários chegaram e viram isso acontecer. Dessa vez os seguranças decidiram sair e abrir fogo. Lee desistiu de lançar dentro do carro uma granada de fumaça. O primeiro a cair foi um segurança do lado do motorista. Dois deles tentavam proteger seu contratante, e todos usavam submetralhadoras. Zeh também acabou atingido e foi ao chão. Do outro lado do carro, o alvo tentou sair atirando, mas levou um balaço na cabeça de Lee. Ivan também derrubou o outro, restando apenas um. O segurança não se entregava. Aproveitando uma das portas abertas, Lee jogou sua granada de fumaça, o segurança resistiu, mas foi obrigado a sair pela porta. Tow não deu chance e queimou o cara.

Fred apareceu quando a confusão terminou, cruzou com várias pessoas que fugiam dos disparos. O cenário era de prédios marcados a bala, várias janelas quebradas ao fundo. Duas pessoas que foram pegas no fogo cruzado, estavam no chão sem reação, provavelmente mortas. Vários curiosos observavam, talvez tentassem descobrir quem realizou a ação. Isso poderia valer alguma coisa no futuro ou garantir a mortes deles também. Fred antecipou que não havia relatos da polícia sobre o incidente, mas seria bom fugir dali. Seus micro robôs foram destruídos na troca de tiros. As redes de notícias ainda não relatavam nada, mas começaram as primeiras postagens nas redes sociais. Esse tipo de acontecimento era mel para os jornalistas, mesmo acontecendo de cinco a seis vezes por dia. No entanto, a notícia insistentemente distribuída atualmente era o casamento da filha do dono da empresa Alfa transportes com um dos filhos de uma grande indústria do aço.

Então chegam Tow e Edu com Zeh carregado, o jovem tolo estava inconsciente.

%d blogueiros gostam disto: