Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Órbita da Proxima Centauri Determinada Após 100 Anos – Space Today TV Ep.562

por em 9 09America/Sao_Paulo janeiro 09America/Sao_Paulo 2017 em Ciência | Nenhum comentário

Proxima Centauri, como todos sabem, é a estrela mais próxima da Terra, e que abriga um dos mais falados exoplanetas de todos os tempos, o Proxima b.

Obviamente que o interesse por essa estrela tem aumentado vertiginosamente desde o anúncio da descoberta do exoplaneta.

Porém, essa estrela é estudada há muito tempo, e intriga os astrônomos, basicamente desde a sua descoberta que aconteceu a 100 anos atrás.

Devido a sua fraca luminosidade é muito complicado medir com precisão sua órbita.

A órbita da estrela é medida através da velocidade radial com a qual ela se aproxima e se afasta da Terra.

Graças ao instrumento HARPS do ESO, os astrônomos conseguiram agora, 100 anos depois da sua descoberta, determinar a órbita precisa da Proxima Centauri, e também a órbita de outras estrelas importantes do sistema, como a Alpha Centauri.

A Alpha Centauri é na verdade uma estrela dupla, formada pela Alpha Centauri A e B, e que orbitam uma bem próxima da outra.

O que os resultados do HARPS mostraram é que na verdade a Proxima Centauri orbita o sistema binário de Alpha Cenaturi, porém a uma distância muito grande.

Isso tem uma implicação importante, de acordo com os astrônomos isso indica que essas três estrelas se formaram na mesma nebulosa de gás e poeira. Isso também faz com que elas tenham a mesma idade, cerca de 6 bilhões de anos, nos dando também uma ideia da idade do Proxima b.

Os astrônomos levantaram a hipótese também de que o exoplaneta possa ter se formado numa região mais distante da estrela e com o passar das eras, ele foi se aproximando da estrela parando na sua zona habitável.

O que isso significa?

Significa que se ele se formou numa região mais distante, ele com certeza foi um mundo congelado, e à medida que foi se aproximando da estrela esse gelo foi derretendo, como ele está na zona habitável quer dizer que a temperatura não é suficiente nem para congelar essa água e nem para evaporar, e isso implicaria que a superfície do Proxima b, pode sim ser repleta de água.

E, onde tem água, tem vida, pelo menos da forma como conhecemos, o que faz com que qualquer um possa literalmente “viajar” na possibilidade de haver algum tipo de vida em Proxima b.

Os trabalhos continuam e muito provavelmente em 2017, muitas novidades serão publicadas sobre o Proxima b, e eu as trarei todas aqui no canal para vocês.

Fontes:

http://www.eso.org/public/brazil/announcements/ann16089/

Artigo:

https://arxiv.org/pdf/1611.03495.pdf