Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Castelos Medievais – O “Castelo acima das Nuvens” dos Hohenzollern, Alemanha

por em qui 16America/Sao_Paulo jun 16America/Sao_Paulo 2016 em Ciência | 1 comentário

Castelos Medievais – O “Castelo acima das Nuvens” dos Hohenzollern, Alemanha

Castelos sempre foram fontes de inspiração para artistas, escritores, arquitetos e outros tipos artísticos. Eles nos fazem pensar sobre por que foram construídos onde foram construídos, quem os construiu, quem morava neles. Muitos castelos entram no quesito “standard”, ou seja, similar à muitos outros na Europa. Porém, às vezes, verdadeiras obras de arte em carne-e-osso (ou melhor, rocha e madeira) são construídas. Esse é o caso do castelo alemão Hohenzollern Burg.

Vista do horizonte do Castelo Hohenzollern, em seu morro, e da área entre as cidades de Hechingen e Bisingen, à 50 km de Stuttgart (Fonte: Wikicommons / Autor: Zollernalb - 2007)

Vista do horizonte do Castelo Hohenzollern, em seu morro, e da área entre as cidades de Hechingen e Bisingen, à 50 km de Stuttgart (Fonte: Wikicommons / Autor: Zollernalb – 2007)

Então, qual é a História desse lugar “mágico” que vemos nas fotos? Primeiro de tudo, vamos à sua localização: O Castelo Hohenzollern sempre foi lar dos duques e condes da Suábia, região ao sul da Alemanha, próxima a Baviera e fica a 50km de Stuttgart, sudeste da Alemanha. As modificações em sua estrutura datam desde o século XI até o Século XIX.

Heráldica da Casa Hohenzollern, dos duques eleitores da Suábia (Fonte: Wikicommons - Autor: Arkad)

Heráldica da Casa Hohenzollern, dos duques eleitores da Suábia (Fonte: Wikicommons – Autor: Arkad)

Escudo de armas da Casa Hohenzollern-Sigmarigen, casamentos entre famílias nobres sempre mudavam a Heráldica das famílias, os Hohenzollern ainda existiam, mas unidos à Casa Sigmarigen (Fonte: Filipe Portas)

Escudo de armas da Casa Hohenzollern-Sigmarigen, casamentos entre famílias nobres sempre mudavam a Heráldica das famílias, os Hohenzollern ainda existiam, mas unidos à Casa Sigmarigen (Fonte: Filipe Portas)

O castelo Hohenzollern, juntamente com a cidade de Hechingen (que se desenvolveu na base de sua colina) sempre passou por reconstruções, restaurações e modificações através dos séculos de sua existência, destacando-se 3 desses períodos:

O Primeiro Castelo

O castelo era o centro político do Condado de Zollern, e provavelmente foi construído na primeira metade do século XI, sendo mencionado pela primeira vez em textos históricos em 1267. Em Maio de 1423, depois de quase um ano de cerco pela União das Cidades Imperiais do Sacro-Império Romano, foi conquistado e completamente destruído. Deste primeiro edifício restam apenas registos em fontes escritas, nem as fundações do atual castelo são as originais. O castelo tornou-se rapidamente numa espécie de efígie dos Hohenzollern, um símbolo de seu poder na região e entre as Casas Eleitoras do Sacro Império, considerado então como a “coroa dos castelos suabos”. Infelizmente não há nenhuma gravura medieval que represente como era o primeiro Castelo Hohenzollern, mas muitos historiadores presumem que ele era como qualquer outra fortificação militar da Europa ocidental, com muros altos, torres e guaritas para os soldados, nada parecido com o castelo atual

Exemplo de construção defensiva alemã do século XIII e XIV. este é o "Portão Alemão" da Cidade de Metz, antes parte dos reinos alemães medievais, agora parte da atual França. Possivelmente as torres e muros do primeiro castelo Hohenzollern eram parecidas com estas (Fonte: Wikicommons - Autor: Marc Ryckaert 2011)

Exemplo de construção defensiva alemã do século XIII e XIV. Este é o “Portão Alemão” da Cidade de Metz, antes parte dos reinos alemães medievais, agora parte da atual França. Possivelmente as torres e muros do primeiro castelo Hohenzollern eram parecidas com estas (Fonte: Wikicommons – Autor: Marc Ryckaert 2011)

O Segundo Castelo

Depois da destruição do primeiro castelo, o Imperador Sigmund proibiu qualquer tipo de reconstrução da fortificação. Porém, seu sucessor, Frederico III, anulou essa ordem, permitindo que o Conde Jos Niklas de Zollern iniciasse a construção do segundo castelo dos Hohenzollern. Em 1454 foi iniciado, então, um novo edifício, mais forte, mais bonito e maior do que seu antecessor, para realmente virar a joia da casa dos duques da Suábia, o qual ficaria concluído em 1461.

Gravura medieval, de 1650, mostrando o castelo Hohenzollern com a cidade de Hechingen logo abaixo (Fonte: Wikicommons - Autor: Matthäus Merian, ilustrador da época)

Gravura medieval, de 1650, mostrando o castelo Hohenzollern com a cidade de Hechingen logo abaixo (Fonte: Wikicommons – Autor: Matthäus Merian, ilustrador da época)

Durante a Guerra dos Trinta Anos, serviu de refúgio à Família Hohenzollern, sendo temporariamente conquistado em 1634 pelos württembergueses, que eram protestantes. Depois da guerra, o castelo manteve-se principalmente na posse da Casa de Habsburgo, mas durante a Guerra de Sucessão Austríaca, no inverno de 1744-1745, foi ocupado pelas tropas francesas. Depois da retirada da última ocupação austríaca, em 1798, o castelo entrou completamente em decadência. No início do século XIX, o edifício estava totalmente em ruínas; de tal forma que a única parte significativa sobrevivente foi a St. Michaelskapelle (Capela de São Miguel).

Capela atual do castelo Hohenzollern (Fonte: Wikicommons)

Capela atual do castelo Hohenzollern (Fonte: Wikicommons)

O Terceiro Castelo

Gravura do Castelo no século XIX (Fonte: http://www.burg-hohenzollern.com/ - Autor: Desconhecido)

Gravura do Castelo no século XIX (Fonte: http://www.burg-hohenzollern.com/ – Autor: Desconhecido)

No verão de 1819, o príncipe prussiano e futuro rei, Frederick William IV (1795 – 1861), que era da família Hohenzollenr, visitou o castelo onde o trono de seus ancestrais estava e decidiu reconstruí-lo novamente, dando um “ar mais moderno” e deslumbrante às suas origens. Foi contratado o arquiteto Friedrich August Stüler (1804 – 1882), que decidiu executar a contrução de um dos mais impressionantes castelos neogóticos alemães, para ser mais como um memorial para a Família Hohenzollern do que uma residência para um príncipe.

Pequena gravura mostrando o castelo em 1815, antes da visita do príncipe prussiano (Fonte: Wikicommons / Autor: desconhecido)

Pequena gravura mostrando o castelo em 1815, antes da visita do príncipe prussiano (Fonte: Wikicommons / Autor: desconhecido)

 

Vista atual do castelo, que não está muito diferente da vista do castelo construído em fins do século XIX (Fonte: Wikicommons / Autor: A. Kniesel)

Vista atual do castelo, que não está muito diferente da vista do castelo construído em fins do século XIX (Fonte: Wikicommons / Autor: A. Kniesel)

Foto do pátio interno do castelo (Fonte: Wikicommons / Autor: Joachim Fenkes)

Foto do pátio interno do castelo (Fonte: Wikicommons / Autor: Joachim Fenkes)

Em 1952, o príncipe prussiano Louis Ferdinand (1907 – 1994) começou a mobiliar o castelo com uma coletânea rica de peças de alto valor (tanto na área artística quanto na área monetária), tudo isso em dedicação à história de sua casa nobre, a casa dos reis da Prússia. Manter o castelo era um desafio,  por conta do alto valor de manutenção de suas peças, mobília e infraestrutura, por isso os visitantes contribuem com a conservação do Castelo Hohenzollern.

Imagem de um dos salões do castelo (Fonte: http://www.tourism-bw.com/ - Autor: Desconhecido)

Imagem de um dos salões do castelo (Fonte: http://www.tourism-bw.com/ – Autor: Desconhecido)

 

Fontes de Pesquisa:

Página oficial do burgo de Hohenzollern

Página Turística oficial do Governo Alemão

Site Preussen.de, História do castelo Hohenzollern

Site Germany travel

%d blogueiros gostam disto: