Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

A conquista dos ares

por em 11/06/2018 em Ciência | Nenhum comentário

A conquista dos ares

Santos Dumont, brasileiro e pai do avião. Será?

Existe uma grande polêmica sobre este assunto. Quem realmente criou o avião? Santos Dumont ou os irmãos Writgh?

No decorrer deste texto iremos criar argumentos em ordem cronológica para alimentar, ou sanar, esta polêmica. Então, boa leitura!

Para tanto, contaremos a história de Santos Dumont e suas invenções.

Alberto Santos Dumont nasceu em uma família rica. Seu pai era produtor de café aqui no Brasil. Durante sua infância, ele vivia brincando nas máquinas espalhadas pela fazenda e, como consequência, tomou gosto por mecânica.

Em sua bibliografia, Santos Dumont conta que suas invenções foram inspiradas nas obras de Julio Verne, seu autor preferido:

“As primeiras lições que recebi de aeronáutica foram-me dadas pelo nosso grande visionário: Júlio Verne. De 1888, mais ou menos, a 1891, quando parti pela primeira vez para a Europa, li, com grande interesse, todos os livros desse grande vidente da locomoção aérea e submarina. (*Santos Dumont)”

Quando mais velho, decidiu ir terminar seus estudos em Paris, pois lá tinha uma tecnologia mais avançada.  Chegando, contratou um professor chamado Sr. Garcia, que o ajudou a entrar em contato com os balonistas do local.

Ao saber do voo de balão de um Sueco ao pólo norte, Santos Dumont entra em contato com ele e pede para voar em seu balão. Ao descrever este voo ele diz que percebeu que tinha nascido para a aeronáutica. Então, constrói o seu primeiro balão, o “Brasil”, em 1897, revestido de seda com 6 metros de diâmetro e 113 m3 de gás.

O seu balão numero três, denominado como Amérique, levava o próprio Santos Dumont e mais alguns tripulantes. Deu a volta na cidade de Paris, mas, infelizmente, devido ao mal tempo, ele perdeu o controle e caiu. Esta experiência o levou a pensar em como controlar um balão.

Um dia Santos comprou um triciclo a petróleo e pendurou em um galho de uma grande árvore. Sua intenção era observar como o motor do triciclo se comportava pendurado. Depois de sua observação, decidiu acoplar o triciclo ao balão. Todos achavam uma loucura, mas mesmo assim colocou o seu plano em prática, porém, não teve bons resultados:

“Comprei um dia um triciclo a petróleo. Levei-o ao “Bois de Boulogne” e, por três cordas, pendurei-o num galho horizontal de uma grande árvore, suspendendo-o a alguns centímetros do chão. É difícil explicar o meu contentamento ao verificar que, ao contrário do que se dava em terra, o motor do meu triciclo, suspenso, vibrava tão agradavelmente que quase parecia parado. Nesse dia começou minha vida de inventor.” (Santos Dumont)

Figura 1: Da esquerda para direita – Balão Brasil, dirigível 1(com triciclo) e o dirigível 5. Ciências hoje

Nesta mesma época, Santos Dumont descobriu que tinha esclerose múltipla e que sua aposentadoria seria antecipada devido à doença. Sendo assim, focou em seus testes aéreos, sem medo.

Em 1900, concorreu a um prêmio que consistia em: sair de Saint Cloud, voar por alguns minutos, dar a volta na torre Eifell e voltar ao ponto de partida.  Ao chegar na Torre Eifell, ele bateu e causou uma explosão. Não houve feridos

Em 1901, Santos Dumont tenta novamente e desta vez consegue fazer o percurso em 30 minutos e 29 segundos, ganhando o valor de 129 mil francos, que foi dividido entre os integrantes de grupo e os pobres de Paris.

Em 1903, os irmãos norte – americanos Orville e Wilbur Wright anunciaram por telegrama o voo com o Flyer. Entretanto, havia um pequeno detalhe em seu modelo. O Flyer precisava ser catapultado para lançar vôo e só se mantinha no ar com bons ventos.

Em 1905, para evitar mais acidentes, é criado a FAI (Federação Aeronáutica Internacional), que estabelece alguns critérios para voos.

Em 1906, Santos Dumont publicou o documento “Aviões mais pesados que o ar”, que mostrava projetos de monoplano e helicópteros. Neste mesmo ano ele voa mais de 100 metros e, com o 14bis, percorre 220 metros no ar, em 21 segundos com 37 km/h.

Figura 2: 14 bis

Em 1908, os irmãos Wright voaram novamente no Flyer 3, atingindo 124 km, e divulgaram seus resultados de 1903, que supostamente haviam se perdido. Porém, para o reconhecimento do vôo de 1903, a FAI pedia que houvesse um determinado número de testemunhas, critério que, na época, não foi atendido.

Figura 3 : Irmãos Wright

Em 1909, Santos Dumont mostra o Demoiselle, seu modelo ultraleve, pesando 115 kg, medindo 5,55 metros, com motor de 24cv.

No ano seguinte, anuncia sua aposentadoria e vende o Demoiselle para o piloto Ronald Garros, que, mais tarde, se torna o maior ases (piloto) da primeira guerra mundial.

Depois de aposentado, Santos Dumont retorna ao Brasil e se estabelece em São Paulo. Na revolução de 30, ele vê que sua invenção estava sendo usada para matar milhares de pessoas em algumas guerras. Então, tomado por grande tristeza, Alberto Santos Dumont se suicida em 23 de Julho.  Mas o noticiado nos jornais, por ordem de Getulio Vargas, foi que ele tivera um infarto e morrera em seu quarto.

Ok. A história de Alberto Santos Dumont foi apresentada até aqui em ordem cronológica, mas, enfim, quem é o pai do Avião? Os irmãos Wright ou Alberto Santo Dumont?

Para responder a esta pergunta, preciso dizer que naquela época (1901 -1909), no Mandato de Theodore Roosevelt, houve o Destino Manifesto, que rejeitava a intervenção européia e afirmava a Doutrina Monroe (America para os americanos).  Por consequência disso, não reconheceram o sucesso de Santos Dumont.

Porém a FAI concedeu um documento a Alberto Santos Dumont dizendo que ele foi o primeiro a realizar um vôo com aviões.

Então, chegamos ao fim de nossa história, com a conclusão de que: SIM, foi Santos Dumont, o pai do avião.

 

REFERÊNCIAS

Como Santos Dumont inventou o avião.    Revista Brasileira de Ensino de Física v.3 n.3 2006 – Rodrigo Moura Visoni e João Batista Canalle

Documentário Santos : Dumont o Homem pode voar.  Prefeitura de cultura do Rio de Janeiro.

Historia ilustrada do Século 20 – Folha da Tarde – 1995

Livros didáticos de história (Anglo) Historia do Brasil e Historia Geral.

Júlio  Cesar Ribeiro de Souza et la dirigeabilite Airienne – APEB.FR passage de Paris 2 (2005) 43 – 69 – Luiz Carlos Bassalo Crispino

O que vi e o que nós veremos –  Santos Dumont  biografia – 1918 

O sistema de navegação aérea de Júlio Cezar Ribeiro de Souza , Ensino de Física v.32 n.2 2010 – Rodrigo Moura Visoni e João Batista Canalle.

Santos Dumont e a invenção do Avião – Centro Brasileiro de pesquisas  físicas (CBPF) – Henrique Line de Barros.

http://www.aviacaocomercial.net/jetsite/reportagens_santosdumont.htm

Cem anos do primeiro vôo em Paris

http://pt.simpsons.wikia.com/wiki/Irmãos_Wright

http://youkai-sanseru.blogspot.com.br/2016/08/santos-dumont-x-irmaos-wright.html


Glaucia Silva. Licenciada em Física, técnica em química e necrópsia, pós graduanda em psicopedagogia e pedagogia. Pesquisadora por hobby. Admiradora de expressões artísticas.  Apaixonada por ciências e por descobrir algo novo. E esperando ansiosamente a materialização da TARDIS.