Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Scicast #129: Epidemias

por em sex 01America/Sao_Paulo abr 01America/Sao_Paulo 2016 em Destaque, Scicast | 13 comentários

Scicast #129: Epidemias

Se tem uma coisa que espalha de uma pessoa pra outra de maneira rápida é o podcast, será que podemos considera-lo uma epidemia? Pois é sobre isso que vamos falar hoje! Epidemias, não podcasts…

Qual a diferença entre epidemia, endemia, pandemia, surto e cera? Por que tem tantos animais envolvidos (porco, galinha, mosquito e guaxinim)? Como podemos evita-las? Elas serão o fim da humanidade? Como podemos eliminar um mosquito de pijamas? E qual a relação dos terríveis Pandas com as Pandemias?

 

Print

Capa129

Publicidade:

Marie Curie Front

 

Contato Comercial:

Redes Sociais:

Aperte o pause:

 

Produção Geral: Tarik FernandesHosts: Fernando Malta e Marcelo GuaxinimEquipe de Pauta: Fernanda SchusterMarlyni ZensTarik Fernandes.  Convidados Especiais: Atila Iamarino e Dr. Divago.  Arte da Vitrine: Fin/me/dmh.

 

Comentados no Episódio:

Cinco Epidemias para acompanhar em 2016 – Alerta MSF

Plague Inc: é uma mistura única de estratégia e simulação terrivelmente realística. Seu patógeno acabou de infectar o ‘Paciente Zero’ – agora você deve trazer o fim da história da humanidade evoluindo uma praga mortal e global enquanto se adapta contra tudo que a humanidade pode fazer.

Pandemias | Nerdologia 124

  • Werther Krohling

    Premero!

  • Sonho

    Discussão #1
    M.M., sexo masculino, 31 anos, professor, obeso, sedentário, morador de bairro sem saneamento básico na periferia de Gaspar-SC. Histórico de quadro progressivo de febre irregular (39°C) com mal-estar, cefaleia, mialgia, anorexia, tosse, náuseas e vômitos, com piora a partir da segunda semana com intensificação da febre, prostração, delirium, apatia, dor abdominal difusa, diarreia. Apresentou também pápulas rosadas, cerca de 3 mm cada, que desapareciam ao toque, localizadas no tronco. Encaminhado para emergência após ter iniciado quadro de enterorragia, dor abdominal difusa com peritonismo, tendo sido diagnosticada perfuração intestinal. Pergunta-se: Qual a principal hipótese diagnóstica (incluir agente etiológico e via de transmissão)? Como confirmar o diagnóstico? Como deve ser o tratamento? Quais as medidas para evitar que outros habitantes do bairro adoeçam?

  • Vagner Vinicius

    Finalmente vou saber diferenciar estalactite de estalagmite!!!

    • Fernando Malta

      Eww…

  • Juliana Vilela França

    Com essa mania de sabonetes anti bactericidas, pressinto o início de um apocalipse zumbi! O_o

  • Willian Spengler

    Salve rapeize! Pra quem curtiu o tema, recomendo:

  • Edward Elric

    O q mais irrita nesta questão do saneamento, é o estado não fazer nada e não deixar a iniciativa privada fazer. No RS a estatal de saneamento que em mais de 60 anos de vida, não chegou a atender à 30% da população com esgoto tratado luta insanamente para não ser expulsa das cidades pelos prefeitos. Governo nunca é a solução é e sempre será, parte do problema.

  • Willian Spengler

    Não é engraçado quando se é o próximo…

  • Ubirajara Campos

    Segue link de como encontrar e cuidar do seu tardígrado.
    http://pt.wikihow.com/Encontrar-e-Cuidar-de-um-Tard%C3%ADgrado-(Urso-D'%C3%A1gua)

  • Inoue

    O Atila tem andado ocupado com essa “zika” solta por aí.
    Vida longa e próspera.

%d blogueiros gostam disto: